A Ascensão do Senhor e os dois tipos de batizados.


O Concílio Vaticano II, acontecido no final do milênio passado, afirmou que a Igreja é o Povo de Deus em marcha, que ela está se construindo e que a cada momento os cristãos devem ver e interpretar os fatos que vão acontecendo.

Nota-se nos tempos atuais dois tipos de pessoas batizadas: aquelas que aceitam a teoria que o Reino de Deus está no meio de nós, de que Ele veio para libertar o mundo do mal, que tudo foi resolvido por Ele, que tudo está pronto; e outras que acreditam que o Reino de Deus está se construindo, que a unidade está sendo feita, que existe uma dinâmica eclesial.

De qualquer forma, tanto esta quanto aquela têm noções claras que a Igreja é formada por cristãos batizados, que não são senão, membros de um corpo cuja cabeça é o Ressuscitado.

Não resta a menor dúvida que o Espírito Santo de Deus trabalha o coração de cada um dos membros da Igreja.

O amadurecimento é um ato contínuo e assim vamos aprendendo, a dar e gastar a vida em proveito de todos. Vivemos a fé inserida num mundo caótico, na tribulação do dia a dia, cheio de confusões, num mundo materializado. Mas temos a certeza que o Espírito Santo nos anima, nos encoraja naquilo que precisamos para viver a liberdade dos Filhos de Deus.

Entre os batizados existem aqueles que não têm tempo para viver o Evangelho, estão preocupados com dinheiro, com negócios, com as preocupações mundanas: clube, piscina, praia e tantas outras coisas mais. Existem também aqueles que continuam olhando para o ar, não escutaram aqueles dois homens vestidos de branco (At. 1,11-12) dizendo: Ele virá uma segunda vez. É como eles estivessem dizendo: vão fazer o que Ele ensinou enquanto esteve vivendo nesta terra no meio de vocês, difundam o Reino anunciado por Ele, levem a Palavra de Deus às cidades, às nações, aos impérios existentes no mundo de hoje, àqueles que recusam a colocar em prática as leis divinas, àqueles que legislam em causa própria, fazendo leis que ferem as de Deus, àqueles que não vivem a partilha nem a fraternidade.

Feliz daquele que se sentar à mesa no Reino de Deus“. (Lc.14,15)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.