Domingos de Ramos em Carmo da Cachoeira.

Domingo de Ramos na Comunidade São Pedro de Rates, o povo aclamará: Jesus é nosso Rei.

A paisagem do Morro do Cruzeiro em Carmo da Cachoeira se transforma na antiga Jerusalém. Num espaço ao ar livre onde fiéis e moradores jogarão seus mantos para a passagem de Jesus e em coro aclamam: Jesus é Nosso Rei.

O percurso sugerido é pela entrada da cidade com início na pracinha da Paineira, junto ao início da Rua Domingos Ribeiro de Rezende, esquina com avenida JK. O destino será o local da celebração da Santa Missa – Terras de São Pedro de Rates.

Quem não tem mantos balança ramos colhidos nas imediações. Poderão ser encenados também alguns milagres, como a cura do homem de mão atrofiada, do cego, do paralítico, entre outros.

O papel mais importante da encenação – o de Cristo – é representado por um elemento do Grupo de Jovem Vinde e Vede e está sendo preparado pela coordenação da catequese crismal.

O encontro está sendo preparado e aguardado na expectativa de que a harmonia, a beleza advinda da singeleza, da simplicidade, do encanto e da demonstração de religiosidade possa servir de estímulo para que se potencialize o despertar do espírito comunitário no meio do povo de Deus.
O nutriente básico que cerca a celebração é mantido pela FÉ, Esperança e vivência fraterna, conforme missão recebida pela Igreja Católica, através de Jesus Cristo. Será um marco de renovação, renascimento, conversão na reedificação de uma sociedade justa e solidária. É uma construção coletiva portanto a responsabilidade é de todos, é de cada um fazendo sua parte.

Lutamos pela vida e não pela morte.

Comentários

leonor rizzi disse…
Quaresma é tempo de recolhimento, reflexão e retirada. Uma pausa em nosso cotidiano. Momento de visita mais intensa aos mundos internos - de cada um de nós e de nosso querido Planeta, ora gemendo em dores de parto. A semelhança de Jesus, que passou 40 dias no Deserto, alguns fiéis cristãos católicos recolhem-se em oração e jejum. Antes no entanto, uma olhada rápida na pasta deixada pelo Cônego Manuel (Manoel) Francisco Maciel, irmão do Cartorário Antonio Bonifácio Maciel. Entre anotações uma: "... Reza a tradição que Carmo da Cachoeira se chamava primeiramente Carmo da Bôa Vista em homenagem a N. S. do Carmo e Bôa Vista (...) Moravam membros de uma família - que não deixaram descendentes e que se chamavam 'Fulano de tal Ratis' e sua esposa, e não tendo filhos, e possuindo uma gleba de terras, deixaram para a N. S. do Carmo. Onde se ergue hoje a cidade de Carmo da Cachoeira." (Rates/Rattes).

Obs. No próximo comentário postarei parte da Arvore genealógica do Cônego Manuel (Manoel)Francisco Maciel.
leonor rizzi disse…
Pequena parte da Árvore Genealógica de Costado do Cônego Manuel (Manoel) Francisco Maciel.O documento original está sob a guarda do Projeto Partilha. Aqui, a parte que liga a família a Baependy, Minas Gerais. Lê-se: Belchior Martins da Costa, casado com Inêz Martins, pais de Diogo Martins da Costa, falecido em 1647, natural de Évora. Diogo foi casado com Izabel Ribeiro de Alvarenga, falecida em 1682. Diogo e Izabel foram pais de Baltazar Martins Guterres (S. L. vol.5, p.343). Baltazar Martins Guterres foi casado com Ramires Accença e foram pais de Izabel Ribeiro de Alvarenga, falecida em 1722 foi casada com Manuel Cardoso da Cunha, descendente de Henrique da Cunha, Senhor da Casa dos Cunhas em Portugal e sua mulher Felipa Gago. Manuel e Izabel foram pais de Maria da Cunha (I), casada com Sebastião de Candia. Maria da Cunha (II), filha da primeira, foi casada com Justo Domingues Maciel, falecido em 1762 (Cf. Leme, vol. 8, p.243), casado em Santo Amaro em 1738. Maria da Cunha (II), faleceu em 1799 na cidade de Bragança, São Paulo. Justo e Maria da Cunha (II) foram pais de Justo Domingos Maciel, residente em Baependy, onde se casou com Izabel Vieira.
Que a luz divina seja o nosso farol nesse período.
leonor rizzi disse…
Antônio Bonifácio Maciel.

CÂMARA MUNICIPAL DE CARMO DA CACHOEIRA - MG.

DECRETO LEGISLATIVO n.01

"CONCEDE TITULO DE CIDADÃO CACHOEIRENSE."

A Câmara Municipal de Carmo da Cachoeira, Estado de Minas Gerais decretou e eu Francisco Cláudio Ferreira Chagas, Presidente, promulgo o seguinte Decreto Legislativo:

Artigo Primeiro - Fica concedido ao Senhor ANTÔNIO BONIFÁCIO MACIEL o Título de Cidadão Cachoeirense, com reconhecimento dos Cachoeirenses aos inúmeros e relevantes serviços prestados a Carmo da Cachoeira.

Artigo Segundo - O Título será entregue em Sessão Solene da Câmara Municipal, em data a ser definida.

Artigo Terceiro - Revogadas as disposições em contrário, este Decreto entrará em vigor na data de sua publicação.

Sala das Sessões, em 30 de outubro de 1998.

Assina o Presidente, Francisco Cláudio Ferreira Chagas.

Obs. No próximo comentário o anexo que se segue ao referido Decreto - a Biografia de Antônio Bonifácio Maciel.
leonor rizzi disse…
ANTÔNIO BONIFÁCIO MACIEL - Biografia que se encontra anexada ao Decreto de outorga de cidadania cachoeirense, aprovada em sessão 30 de outubro de 1998.

Nasceu em Baependy - MG, aos 25 de outubro de 1915. Filho de José Francisco Maciel e de dona Tereza Luiza da Conceição, sendo o penúltimo dos 08 irmãos.
Viveu em Baependy, até meados de 1946, mudando para esta cidade de Carmo da Cachoeira, onde seu irmão Cônego MANOEL FRANCISCO MACIEL era pároco. Logo após assumiu o cargo de Oficial do Registro Civil Substituto do então Titular José Godinho Chagas, que tempos depois propôs uma certa quantia para pedir a exoneração do cargo, quantia esta equivalente ao valor de 15 alqueires de terra de cultura, que conseguiu com a venda de parte de herança recebida de sua falecida mãe.
Após pagamento, sua nomeação foi conseguida por intermédio de seu irmão, Cônego Manoel e do Sr. Amynthas de Oliveira Vilela, político daquela época.
Durante os 47 anos de dedicação e honestidade, assumiu o serviço eleitoral, trabalhando gratuitamente, pois durante todo o tempo só recebeu uma gratificação logo no início e depois nunca mais. Mesmo quando conseguiu se aposentar do Cartório, ainda continuou no serviço eleitoral, a pedido do MM. Juiz de Direito da Comarca de Varginha, Sr. Ruy Nogueira de Sá Filho, até que há mais ou menos 3 anos o Tribunal Superior Eleitoral extinguiu o cargo de Preparador Eleitoral.
Prestou inúmeros serviços assistenciais a comunidade, tais como:
-Presidente da Congregação Mariana
-Um dos fundadores e Presidente por mais de 10 anos da Sociedade São Vicente de Paulo, na qual durante seu mandato atuou ativamente, adquirindo vários terrenos para a Sociedade São Vicente de Paulo, inclusive, onde hoje está localizada a E. E. Wanderley Ferreira de Rezende, que na época eras a Fundação Santa Terezinha.
- Trabalhou junto com o seu irmão Cônego Manoel e o Sr. Didico Lopes no projeto para instalar em Carmo da Cachoeira a Comarca. Publicado no Diário Oficial no dia 24-12-1958, Processo n.81, por motivo ignorado não se efetivou o sonho de ver Carmo da Cachoeira como Comarca.
Casou-se em 29-01-1955 com a sra. Creusa Vilela Maciel tendo 5 filhos: Wagner, Elizabeth, Milton, Maraiza e Denize.
Homem de caráter íntegro, simples e franco, generoso em contribuir para as obras assistenciais e culturais de nossa comunidade, sempre amou Carmo da Cachoeira com veneração, como a sua verdadeira terra natal.
Batalhador, conseguiu depois da família formada, realizar o seu grande sonho: ser advogado, formando-se aos 67 anos de idade pela Faculdade de Direito de Varginha.
Atualmente aposentado, vive para a família e para sua grande paixão: criação de abelhas.
leonor rizzi disse…
Via-Sacra 2011.

Fiéis ligados a Igreja Católica refletem, rezam e agem em favor da vida no planeta.
Seguindo o que foi proposto a nós pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e, em comunhão de fé, subimos o Morro até o Cruzeiro que fica em seu topo. Aconteceu no segundo domingo da Quaresma. Subimos a montanha com Jesus para fazermos a experiência da intimidade com o Senhor. Foi uma caminhada comunitária em preparação para a Páscoa. Confrontamos nossa vida com os apelos da Palavra de Deus, a qual buscamos nos entregar confiantes e sem reservas. Durante a subida, paradas. Em cada uma delas uma reflexão. Assim voltamos nossas vistas para todas as formas de vida presentes em nosso planeta e nas presentes em nosso percurso, como expressão do amor generoso do Senhor, Deus da vida. O coordenador dos trabalhos, um jovem seminarista, nos exorta a uma fé renovada e a um compromisso no cuidado com a vida. A questão ecológica, sobretudo os problemas que se referem às mudanças climáticas e ao episódio ocorrido nos últimos dias no Japão, ocuparam os espaços de reflexão grupal buscando o entendimento de que só havendo compromisso de todos e de cada um é que se conseguirá fazer deste o paraíso com o qual tanto sonhamos. Foi um movimento de busca do despertamento. A Palavra serviu de alimento e nutriente de uma semente de vida comunitária. Um dos objetivos seria a renovação da consciência sobre a responsabilidade de todos na ação evangelizadora da Igreja, na promoção humana e na edificação de uma sociedade justa e solidária.
Em frente a Capelinha de São Pedro de Rates, Pe. André Luiz da Cruz - o pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Carmo, acolhe a todos dizendo:
"Sejam bem-vindos! Deus nos convidou e aqui estamos para renovar nossa comunhão com Cristo e com os irmãos. Como família de Deus vamos saudar a Santíssima Trindade, cantando: Em nome do Pai, em nome do Filho, em nome do Espírito Santo ... ." Lembrou a todos de que o tempo da Quaresma é um tempo privilegiado da graça de Deus, não só para os cristãos, mas para toda a humanidade, pois, a partir da conversão dos cristãos, o mundo inteiro recebe os seus benefícios. A seguir o grupo coloca-se a caminho da subida do morro até o cruzeiro onde aconteceu a décima quinta estação da Via-Sacra. No percurso fica a Cachoeira dos Rates/Rattes. Nela uma parada, foi a quarta estação - Jesus se encontra com sua Mãe. A presença de Maria animou a caminhada de Jesus e, ao longo da história, tem animado a presença da Igreja junto aos mais abandonados deste mundo.
Junto ao Cruzeiro, no alto do morro visualiza-se toda cidade. Desse ponto agradecemos a Deus o encontro realizado e pedimos a graça da perseverança na fé e a bênção para toda o planeta e para sua humanidade e espécies. Descemos o morro rezando o terço e contemplando seus minstérios.
leonor rizzi disse…
Cartório de Registro Civil - Carmo da Cachoeira, Minas Gerais. Rua Presidente Antonio Carlos, 370.

Um pouco de sua história. Uma história e que se funde com a vida de ANTÔNIO BONIFÁCIO MACIEL.

Conforme o contido em sua biografia, foi com aplicação de parte de sua herança que adquiriu os direitos de estar a frente do Cartório, em Carmo da Cachoeira.
Aos ouvidos dos privilegiados cachoeirenses que tiveram a oportunidade de sentarem-se ao lado de seu Antonio e ouvir o que ele tinha a contar sobre sua vida, soam termos como: "Rio Gamarra", "Vale do Gamarra", "Chapada", "Mato-Dentro". Expressões fortes na infância e adolescência de seu Antonio, quando ainda vivia com sua família na região de Baependy. A devoção a Nhá Chica sempre era demonstrada durante qualquer encontro. O local a que se referia é fácil de ser visualizado pelos que chegam ao PICO DO PAPAGAIO, símbolo da fundação da Cidade de Aiuruoca. A quem busca a aventura de atingir os 2293 metros de altitude deve passar pelo Retiro dos Pedros, de onde avista-se o Vale do Gamarra. Em documentos, datados a partir de 24 de dezembro de 1910 e assinados pelo Primeiro Escrivão do Judicial e Notas da Comarca de Baependy, Joaquim Olyntho de Figueiredo Torres, aparecem as delimitações de área resultantes de inventários dos ancestrais de seu Antônio e Cônego Manuel, seu irmão. São citadas muitas terras, por exemplo, "Bananal da Índia", divisão entre os sócios dona Rita Santa de Cássia e suas filhas e genros com pagamento ao sócio José Francisco Maciel. Outros como: "... nas terras da Ressaca, Distrito de Baependy, na Fazenda do Gamarra, avaliadas por duzentos mil réis compradas de Joaquim Arantes de Carvalho e sua mulher contendo oito hectares e em comunhão com Manoel Vicente de Abrêu e outros, uma parte, de quatro hectares (...). Numa parte de terras no lugar denominado Gamarra, deste distrito com a Chapada, com Antônio Esaú dos Santos e Calixto Martins de Lima já dividida, contando quatro hectares e havida de Joaquim Mendes Pereira e sua mulher (...). Outro, "Certifico que revendo os autos de inventário dos bens do espóleo do finado Manoel Francisco Maciel de que foi inventariante sua mulher dona Anna Silvéria de Jesus (...). Demarcação do quinhão pertencentes a viúva dona Anna Silvéria de Jesus e começão suas divisas no barranco do Rio Gamarra na margem direita subindo pelo Rio Gamarra até encontrar as divisas com os Paulinos (...) até encontrar as divisas com o confrontante Vicente Garcia de Seixas Oliveira e outros até o barranaco do Rio Gamarra onde principiou esta demarcação".
Em 02 de julho do ano de 2006, como Cristo, ANTÔNIO BONIFÁCIO MACIEL, enfrenta a morte com liberdade. Sabia ele que a morte não é uma escolha. É um momento inevitável da vida e que é possível enfrentá-la com liberdade quando é assumida como oferta e doação, como fez Jesus - uma libertação diante da morte. A lembrança distribuída pelos familiares durante a missa de sétimo dia dizia o seguinte: "Atento aos desígnos do CRIADOR o filho Antônio Bonifácio Maciel entende a mensagem: É TEMPO DE ALÇAR VÔO AO INFINITO e permite a todos compartilhar dos preparativos.
Nesta cumplicidade entre o AMOR e os SERES AMADOS, gotas de luz sob a forma de chuvas de graça, bênçãos e perdão envolvem a todos. Gotas cristalinas de brilho intenso facilitam o desprendimento de seu coração alado, que se solta num Universo sem fronteiras."
Que a luz Divina continue sendo sempre seu farol, seu Antonio. Saiba que no silêncio de nossos corações oramos por ti.
leonor rizzi disse…
Missionários da Comunidade São Pedro de Rates, Carmo da Cachoeira, MG, presentes no II Retiro Diocesano, dia 19 de março na cidade de Três Pontas, MG.

Antonia Donizetti Ribeiro Alves, Antonio Donizetti Alves, Mariana de Fátima Miranda, Paulo Maurilio Francisco, Eunice Castro Reis, Jair Caetano, Rosa Flaviana Valim, Jonas Valim e Tales Flávio dos Anjos, moradores na Comunidade faziam parte da comitiva e se integraram aos 3500 missionários que lotaram a Quadra Coberta Trespontana.
Inicialmente programada para acontecer em Varginha-MG, o evento foi transferido para a cidade vizinha de Três Pontas-MG. O objetivo desse II Retiro foi o de avaliar os primeiros meses da SMP, em clima celebrativo (louvor, perdão, súplica).
A abertura foi feita pelo Bispo Diocesano, Dom Diamantino Prata de Carvalho que, em meio a um clima festivo, enfatizou a alegria em comemorar o Dia de São José ao lado de tantos missionários. Pe. Ednaldo Barbosa recebeu os representantes das 66 paróquias e 49 cidades. É parte do Povo de Deus. Uma parcela representativa formando o corpo vivo da Diocese da Campanha. Ficou por conta do Pe. Rogério Augusto a animação. Pe. Carlos Henrique discorreu sobre o tema: "Fidelidade e convicção na Vida Missionária". Sua fala foi animada com encenação sobre passagens bíblicas ligadas ao tema. O período da tarde foi destinado as partilhas das boas novas, falhas e dificuldades do processo das Santas Missões Populares em toda a Diocese da Campanha. Ao longo da tarde, Pe. Joaquim Soares e representantes paroquiais avaliaram as primeiras etapas e iniciaram o planejamento das futuras. São Gonçalo do Sapucaí, MG, representado pela prof. Gininha tratou o tema: "As visitas de Jesus e dos Missionários". As visitas marcam profundamente o processo das SMP. As visitas fazem bem e os missionários procuram inspiração na vida de Jesus para melhorar sempre os passos a ser dados em sua caminhada nesse sentido. Houve também encenação do trecho do evangelho da filha de Jairo.
O grupo retorno depois da Missa de Ação de Graças que aconteceu na Matriz Nossa Senhora D´Ajuda.

"ONDE HÁ POVO,
HÁ MISSÃO.
ONDE HÁ MISSÃO,
HÁ RAZÕES DE SER FELIZ."
leonor rizzi disse…
Catequese 2011 no Setor Missionário São Pedro de Rates e Mãe Rainha - Segunda Edição.

Evangelizar é tarefa do conjunto da Igreja e missionárias se encarregam de fazer isso junto a nossas crianças. Alcione atua como coordenadora); Laura ( com grupo dos nascidos no ano em 1999, terças-feiras); Graça (grupo dos nascidos no ano 2000, quartas-feiras); Claudia, (grupo dos nascidos no ano 2001, segundas-feiras); Marina (grupo dos nascidos no ano 2002, quintas-feiras); Romilda (grupo dos nascidos no ano 2003), sextas-feiras) e também, na sexta feira, Nice (grupo dos nascidos no ano 2004). Os grupos tem suas atividades das 17:30 às 18:30 hs. no "Santuário". As sextas-feiras é utilizada, além do "Santuário", a Capelinha de São Pedro de Rates.
Pelo segundo ano consecutivo, crianças moradoras no setor São Pedro de Rates tem a oportunidade de receber formação religiosa sem sair de seu bairro.
Em 2011, o primeiro momento foi marcado pelo preenchimento de formulário. Os pais foram orientados pela equipe, quanto a seu preenchimento. Após esse perídodo, os responsáveis foram convocados para uma reunião com a coordenação, na qual foi dada a oportunidade para tirar as dúvidas existentes quanto ao processo a organização dos trabalhos e esclarecimentos gerais. Os pais receberam convite e muito nos alegrou a confirmação de suas presenças - lugar de se fazer amigos.
O "Santuário" se transforma todas as tardes num ponto de encontro. Lugar para se falar de coisas bonitas e saber mais da vida de nosso querido e grande amigo, Jesus Cristo. Aqui é lugar de gente que se quer bem, de gente que quer ajudar outra pessoa ou outro grupo. Lugar onde não se fala mal um do outro. Aqui é lugar de gente feliz. Oração da Campanha da Fraternidade.
Senhor Deus, nosso Pai e Criador.
A beleza do universo
revela a vossa grandeza,
a sabedoria e o amor
com que fizestes todas as coisas,
e o eterno amor que tende por todos nós.
Pecadores que somos,
não respeitamos a vossa obra,
e o que era para ser garantia de vida
está se tornando ameaça.
A beleza está sendo mudada em devastação,
e a morte mostra a sua presença
no nosso planeta.
Que nesta Quaresma nos convertamos
e vejamos que a criação
geme em dores de parto,
para que possa renascer
segundo o vosso plano de amor,
por meio da nossa mudança de mentalidade e de atitudes.
E, assim, com Maria,
que meditava a vossa Palavra e a fazia vida,
também nós
movidos pelos princípios do Evangelho, possamos
celebrar na Páscoa do vosso Filho,
nosso Senhor,
o ressurgimento do vosso projeto
para todo o mundo. Amém.
projeto partilha disse…
CAMPANHA DA FRATERNIDADE DE 2011.

TEMA: "Fraternidade e a Vida no Planeta"
LEMA: "A criação geme em dores de parto" (Rm 8,22)

A Campanha da Fraternidade deste ano (2011) reflete a questão ecológica, com foco, sobretudo, no problema das mudanças climáticas. Ela se coloca em sintonia com uma cultura que está se expandindo cada vez mais, em todo o mundo, de respeito pelo meio ambiente e do lugar em que Deus nos coloca, não só para vivermos e convivermos, mas também para fazer deste o paraíso com o qual tanto sonhamos.
O secretário executivo da Campanha da Fraternidade, padre Luiz Carlos Dias, informou que "o objetivo da campanha é de contribuir para a conscientização das comunidades cristãs e pessoas de boa vontade sobre a gravidade do aquecimento global e das mudanças climáticas, e motivá-las a participarem dos debates e ações que visam enfrentar o problema e preservar as condições de vida do planeta".
A Campanha da Fraternidade tem início na Quarta-feira de Cinzas, 9 de março de 2011, e se estende por toda a Quaresma. Desde o mês de outubro as lideranças das comunidades eclesiais estão estudando os materiais da Campanha, preparando-se para sua realização nesta Quaresma.

Cf. DEUS CONOSCO, p.121. Ano 10 - n.111 - Março de 2011. Edições Loyola. Editora Ave-Maria.
projeto partilha disse…
A Missa do mês de março do ano de 2011 nas Terras de São Pedro de Rates, Carmo da Cachoeira Minas Gerais.
Aconteceu no segundo domingo do mês, conforme de costume, às 17:00hs. O mês é marcado pelo tempo da Quaresma, tempo de graça e de conversão. Oportunidade de acolher a misericórdia de Deus que nos faz pessoas novas, capazes de vencer as tentações dos prazeres imediatos, do poder e da riquezas.
A Campanha da Fraternidade nos convoca a somar forças em favor da vida no planeta terra. Em Cristo, que venceu as tentações e o pecado, celebremos o mistério do amor, a Eucaristia. Nas terras de São Pedro de Rates, o garoto John encarregou-se das atividades de comentarista na missa deste dia 13. John recebeu a primeira eucaristia em dezembro último e, foi preparado pela missionária Rita, catequista da turma no setor São Pedro de Rates. Leu o seguinte: São Pedro de Rates foi um proeminente Evangelizador e a comunidade que recebe sua proteção mantem-se como força transformadora no local, através do empreendimento de pequenas ações positivas. Os fiéis enganjados o fazem a partir da forma como percebem o mundo atual e, nesse caminho de ação e realizações sabem que são moradores de um planeta. Que o planeta não está só no universo e que, tudo foi criado por um Deus amoroso e Santo. Sabem também que a humanidade vive numa época marcada pela liberdade de expressão e por diversidades de idéias, convicções e opiniões. É a época que muitos crêm qye "Tudo pode". No entanto, a Igreja católica Cristã canaliza todos os esforços no sentido de que cada fiel viva e louve a VERDADE CONTIDA NAS SAGRADAS ESCRITURAS. É ela que nos ensina algo sobre Deus e seu relacionamento conosco. É na vivência pautasda em amar as pessoas e a toda aa criação que o cristão católico deve caminhar e, amando-as como a si próprio manifeste e reflita o amor de Deus para com toda a Criação.
Em Mt :13,14 "... vós sois o sal da terra. ... vós sois a luz do mundo".

Continua no próximo comentário.
leonor rizzi disse…
O garoto John continuou sua exortação(ver comentário anterior)...
Nessa mesma linha marca-nos uma advertência deixada por Martin Luther King: " (...) O que me assusta não é a violência de poucos, mas a omissão de muitos." Já, a poetisa Gabriela Mistral (1889-1957) instiga: "(...) Onde houver um esforço que todos evitaram, fá-lo tu. Sê tu quem tira as pedras do caminho. Onde houver uma árvore para plantar, planta-a tu. Onde houver um erro para emendar, emenda-a tu."
Em 2011, a Oração da Campanha da Fraternidade diz: "Que nesta Quaresma nos convertamos. E vejamos que a criação geme em dores de parto, para que possa renascer segundo o vosso plano de amor, por meio da nossa mudança de mentalidade e de atitudes." É um apelo geral vindo de todo o canto: Faça sua parte. Não deixe o planeta morrer. Jesus Cristo, presente na Eucaristia hoje, deu sua vida não só para salvar a humanidade mas, para salvar toda a criação presente no Planeta Terra.
Hoje nossa comunidade está reunida nesta Páscoa da Semana. Momento de celebrar, festejar. E, o que temos para festejar quando a CRIAÇÃO GEME? Em primeiro lugar a Eucaristia e depois, CRIANÇAS. Elas serão as construtoras de uma nova sociedade - a da PAZ. Serão elas a dizer NÃO A VIOLÊNCIA. Cecília Meirelles escreveu: " (...) somos culpados de muitos erros e muitas falhas, mas nosso pior crime é abandonar as crianças, desprezando a fonte de vida. Muitas das coisas de que precisamos podem esperar. A criança não pode. É exatamente agora que seus ossos estão se formados, seu sangue é produzido, e seus sentidos estão se desenvolvendo. Para ela não poderemos responder "AMANHÃ". Seu nome é "HOJE".
A procissão de entrada deste encontro que é o primeiro domingo da Quaresma está formada pelo Pároco, Pe. André, por seus auxiliares e ministros da Eucaristia e por crianças em suas famílias. Seguem também as missionárias do MOVIMENTO MÃE RAINHA. Todos buscam aprofundar a consciência de que a VIOLÊNCIA NÃO FAZ PARTE DA NATUREZA HUMANA. Ela é uma construção social. Assim, pode ser modificada e, este mês de março oferece muitas oportunidades devido as muitas comemorações contidas no calendário: temos o carnaval, o início da Quaresma e da Campanha da Fraternidade. Comemoramos também o Dia da Mulher.
Recebamos pois, a procissão de entrada e celebremos o mistério do amor, a EUCARISTIA.
projeto partilha disse…
Atualizações: O cachoeirense, Padre Antonio de Oliveira Godinho.

Sílvio da Costa Bringël Batista em "O outro lado da Moeda", matéria do sábado, 03 de julho de 2010, traça comentários sobre a atuação do referido deputado, em sessão solene na Câmara Federal em 26/11/1963. Cf. Inédito - Pronunciamento do Deputado Padre Antonio de Oliveira Godinho - Windows Internet Explorer. Leia lá, "(...) foi recolhido pela Ditadura Militar, após a cassação do Padre Político e, destruído pelas agruras dos que não suportam a demorcracia, não reconheciam a liberdade de expressão inerente a uma sociedade democrática e justa. O exemplar, guardado a 'sete chaves' por Luis Costa" (Luis Ribeiro da Costa). Cf. www.ooutroladodamoeda.com ...
Ver video com o discurso do Deputado Padre Antônio de Oliveira Godinho, na Câmara Federal, Brasília, Sessão Solene dia 26/11/1963.
Nossa gratidão ao autor.
leonor disse…
Carta aberta aos pais.

O MILAGRE DA COMUNHÃO - o amor que protege é o mesmo que liberta.

NÃO a proteção que engole, que apequena, que aprisiona. SIM a proteção que acolhe, que cuida, que prepara para o desenvolvimento da autonomia e do sonho.
Cabe aos pais fazer o filho fazer em seu próprio nome, contribuindo assim para a construção de sua identidade.
A Comunidade São Pedro de Rates vive o mesmo impasse que toda civilização - como se adequar para a mudança profunda que se manifesta no seio da família. O casamento estável ficou como marca de um passado remoto. Os filhos deixaram de serem olhados como sendo um dom de Deus. Hoje, homens e mulheres sentem-se no direito de tê-los. Por traz disso o que percebemos? MUDANÇAS DE VALORES. A instituição familiar tornou-se frágil. Além do que, entra como componente agravante a influência de uma mídia que não respeita a outoridade dos pais, que insulfla a idéia de que os valores cristãos, como a da amizade, por exemplo, são coisas ultrapassadas. A invasão de desenhos e vídeos games violentos infestam as telinhas e, enquanto influenciam negativamente as ações, cooperam para a implantação da violência infantil.
A família como comunidade de amor, ou seja, como comunidade comunhão de pessoas, tenta se equilibrar nessa corda bamba. Tentando não cair ou afundar-se, a sociedade assiste a mudança radical da civilização. Aos pais cabe o dever de conscientizarem-se de que a educação dos filhos é um dever e direito seus como família. É difícil? É. Inegavelmente é, no entanto, se houver DETERMINAÇÃO, dá para navegar contra a maré. É só acreditar, persistir, ter fé e se colocar no caminho. Que caminho, se as crianças não podem viver isoladas e se, dentro de casa está instalada a mídia com suas mensagens subliminar e ideológicas agregadas?
Há que se buscar forças e despertar a capacidade de gerar a ESPERANÇA, a UNIÃO, a FÉ, o AMOR, a SOLIDARIEDADE.
"Não é bom que o homem esteja só; vou dar-lhe uma ajuda que lhe seja adequada. (Cf. Gênesis 2,18)
Proteja sua família, reze por ela. Plante amor, compreensão, respeito, solidariedade ... . Não olhes para traz. Deixe o velho e ajude a criar a nova civilização - a do AMOR.
Com zelo apostólico e amor desinteressado muitos se dão as mãos para ajudar a salvar a família e para isso, seguem os ensinamentos de Jesus Cristo, manso e humilde de coração. Juntos, certamente, pela via-amoris, cristãos serão capazes de entrar na grande alma do mundo - Jesus Cristo e em sua luz caminhar de retorno a casa do Pai, servindo, sendo amoroso, sendo corajoso e calando-se diante de todas as perseguições.
Que a Paz de Cristo instale-se em vocês e aí possa permanecer.
projeto partilha disse…
Construindo a civilização do Amor - Os difíceis caminhos da Paz.

(...) Frente a essa forma de globalização, sentimos forte chamado para promover uma globalização diferente, que esteja marcada pela solidariedade, pela justiça e pelo respeito aos direitos lhumanos (...). D.A.64.
Luther King define o momento, assim: "Ou nos damos as mãos ou morreremos todos como idiotas."
A comunidade São Pedro de Rates tenta a todo custo inserir-se na criação de um mundo mais humanizado e busca desenvolver sua capacidade de se renovar continuamente adequando-se ao novo. Ao regular-se no processo procura manter a integridade na força de Jesus Cristo e na guiança do Espírito Santo de Deus.
Uma das ações empreendidas foi a luta para conquista de um espaço digno e íntegro para crianças de 9 a 12 anos treinarem semanalmente. A quadra coberta ficou disponibilizada às sextas-feiras, das 16:30 - 18:00 horas. O missionário Paulo Maurilio Francisco acompanha o grupo como tutor. Durante todo o mês de março e meado de abril os encontros se deram conforme o combinado. Estamos, no entanto, vivendo num impasse. Falta-nos encontrar um treinador voluntário que esteja com os participantes nesse horário. O secretário de Esportes, Dalmo Elisyo Oliveira Reis - autoridade que nos cedeu o referido horário, é cauteloso quando se trata da criançada na quadra. Necessitamos, portanto, decidir em conjunto com os participantes, os rumos a serem tomados visando cumprir o estabelecido. Entendemos que cada jovem atraído para essa atividade é resultado de uma vivência que lhe é própria e que cada um deve ser ouvido e suas idéias e opiniões respeitadas. Este século XXI trz muitos desafios, o momento é ímpar e marcado por aceleradas mudanças sociais, econômicas e culturais. Tudo está exposto e ao mesmo tempo em que uma decisão pode servir de elemento construtivo, pode também vir-a-ser instrumento de destruição da dignidade de alguém. Seria difícil de digerir essa idéia, não? - a de destruição. Basta o que o passado já fez com seus jovens e que desencadeou em conformismos e comodismos, fruto da submissão imposta pelos que detêm o poder, o saber, o ter e que querem controlar.
A oportunidade dos encontros organizados e com regras proporcionam a vivência de momentos de descontração e prazer. Lugar de se viver a verdade, a liberdade, o respeito mútuo, o discernimento. É uma vivência que tende a gerar alegria. O jogo e as brincadeiras respondem a um impulso natural do homem. Esse elemento que é um "ser em relação".
Como os profetas de Deus a comunidade chama, busca articular relações positivas, realizar sínteses resultantes das ações grupais sempre com a finalidade de auxiliar a natureza em sua obra, transformando-a para que atinja a perfeição.
Jovem, você e sua opinião são muito importantes. Não falte ao treino dessa sexta-feira, dia 15 de abril de 2011. Sabia que você está ajudando a construir uma nova civilização? Lembre-se:
- o ser humano recebe de Deus dois grandes presentes: a vida e a liberdade. A liberdade é para que sejamos responsáveis por nossas escolhas e decisões.
Apareça!
projeto partilha disse…
A entrega das chaves do Espaço Missíonário São Pedro de Rates e Mãe Rainha.

Aconteceu no dia 8 de abril deste ano de 2011. As Terras de São Pedro de Rates surgiram como resposta a questionamentos históricos locais no que diz respeito a sua dimensão terrena. A dimensão do enraizamento; do dia-a-dia; do limitado. Essa mesma dimensão que tem causado indignação a muitos cristãos diante de um sistema esmagador que caminha sob o prisma de uma visão de mundo científica e mecanicista. Um sistema que teima em denigrir e diminuir a qualidade de vida e que corrompe as relações entre os seres humanos. No entanto, num mundo de natureza dual, a dimensão do ilimitado; do vir-a-ser, da paixão infinita; do impossível pode ser sentido por muitos. Plutarco, escritor que viveu entre 125-50 AC, na Grécia, diz: "Podereis encontrar uma cidade sem muralhas, sem edifícios, sem ginásios, sem leis, sem uso de moedas como dinheiro, sem cultura de letras. Mas um povo sem Deus, sem oração, sem juramentos, sem ritos religiosos, sem sacrifícios, tal nunca." Concordamos com Plutarco e ousamos criar um espaço onde o silêncio pretende servir de comunicação. Visa concretizar, no setor norte da Paróquia Nossa Senhora do Carmo, a ligação do homem em busca de si próprio reencontrando seu lado espiritual, ou seja, o lado que o transforma pessoal e sacramente. É em outras palavras um local que se destina buscar uma ligação do homem com o SER SUPREMO. Não importa se no plano material ele permaneça em silêncio na maior parte do tempo. O silêncio também é comunicação, se visto sob o prisma espiritual - o lado interno da vida, ou seja, no plano de Deus. E assim, passando pelo local ermo ostentando símbolos sagrados, o homem pode ser levado a contatar sua consciência mais profunda, mais reflexiva e contemplativa, natural do ser humano. Um lugar sagrado, um campo santo, em que pela singeleza, simplicidade e oferta desinteressada pretende seja instalada impulsos de Paz e Justiça; Amor e Perdão; da Cura e da Reconciliação; da Transformação e da Renovação. Local onde consciências possam criar o mundo que tanto sonhamos. E, para que chaves? O local é fechado a chave. Supõe-se segurança. É para se dar a entender como sendo guardado, preservado e respeitado o fim para aquilo a que foi destinado.
Quem possui as chaves? Os missionários com função no setor. São eles: Antonia, Toninho, Paulinho, Rita, Maria Urbana, Jair e Nice, Teresa Maciel, Alcione e a Paróquia Nossa Senhora do Carmo. Mal uso e desrespeito rompem com o estabelecido e fere a ordem pela qual primam os evangelizadores em sua meta transformadora.
Para honra e glória de Deus Pai, Filho e Espírito Santo.
Amém.
Ursula disse…
Bovaris e leonor,
Li aqui uma ata referente a 1ª constituição do estado de Minas onde sita meu bisavó Manuel Eustaquio Martins de Andrade tomando posse como senador. Agora não consigo mais localizar.
Peço o favor de vcs me ensinarem a chegar ate ela.
Obrigadae uma abç Úrsula

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.