As Terras de São Pedro de Rates em Minas.


As Terras de São Pedro de Rates significa um espaço exclusivo de dedicação ao Sagrado, ao Divino. Nele existe uma Capelinha dedicada ao Mártir São Pedro de Rates. Está localizado num lugar histórico nesta cidade do sul de Minas Gerais.

Em espaço urbano cercado por alambrado, o local visa estabelecer estreita ligação com a singela paisagem em seu entorno - o morro do Cruzeiro, demarcado a oeste por belíssimos espetáculos oferecidos ao por do sol. A Capelinha funciona como pórtico de entrada e indica, claramente, a separação de sua área que é dedicada a experiências de encontro com Deus, através de seu Filho unigênito - JESUS CRISTO e com o Espírito Santo (de Deus). Fica no setor norte da Paróquia Nossa Senhora do Carmo.

A vida urbana aqui, como em qualquer parte do planeta, se manifesta carreando os afazeres e vivências do cotidiano. É, portanto, onde acontece a realidade da existência humana com suas alegrias/tristezas; com os momentos de felicidade/infelicidade; com os benéficos/dores; com encontros/desencontros, com as realizações ou não realizações de sonhos e esperanças, entre tantos outros atributos. Aliás, esta semana os moradores estão sendo visitados e contados pelas equipes do IBGE 2010.

Junto ao pórtico, que abriga antiga pedra do Altar da Igreja Matriz local, fica a imagem do Padroeiro das Terras. Há um espaço externo e contíguo a Capelinha. Esta área, segundo sua concepção, deverá estar em oferta ao lado interno da vida, como uma forma de abertura, de diálogo do homem com sua natureza mais profunda e interna. Nessas Terras se concentram os fiéis cristãos por ocasião das realizações da Santa Missa. O patamar onde está construído o Altar é um espaço criado e concretado e faceia toda área livre. Nos dias dos encontros é montada uma tenda que funciona como cobertura e proteção ao Altar e ao cerimonial. A harmonia do céu azul funciona como cobertura dos outros espaços transformados em anfiteatro.

Devido a natureza física explícita, as Terras ganham uma atmosfera de mistério e contemplação. Atmosfera essa complementada pelo grupo de fiéis orantes, formado pelo "Caminho de Oração" que, 45 min. antes da Celebração, inicia a recitação do terço. A atitude dos participantes demonstram o recolhimento e silêncio, elementos fundamentais para busca interna. Buscar o interno é voltar-se para dentro de si mesmo, aprofundando-se a ponto de encontrar o templo onde reside o essencial - o verdadeiro e puro amor.

Segundo sua projeção, está manifestado no local o que foi mais adequado para o momento e dentro das reais possibilidades existentes. Ele serve, para alguns, como uma trégua, uma parada ou ruptura entre as vivências do mundo profano e a aproximação do Sagrado/Dovino. A singeleza, simplicidade e pureza do ambiente devem tocar o mais profundo e interno espaço do ser humano que por transita.

Luz é o que lhe desejamos.
Projeto Partilha - Leonor Rizzi

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.