A Paragem da Ponte Falsa em Minas Gerais.

Segundo os dados que se seguem abaixo Antônio Dias de Gouveia teve seu inventário aberto na Paragem da Ponte Falsa da Freguesia de Santa Ana de Lavras do Funil, do termo de São João Del Rey, Minas e Comarca do Rio das Mortes. Faleceu em 27/jun/1789. O inventário está arquivado no Museu Regional de São João Del Rey, ano: 1790, caixa: 100. Sua esposa Ana Teresa de Jesus foi sua inventariante. Nele alguns pontos chama a atenção deste trabalho. São os limites e os bens que ficaram de herança. “(...) que de uma banda parte com fazenda de João Francisco Carvalho e com a fazenda chamada a dos Barreiros”.

O inventário arquivado em Campanha, CEMEC, cx. 8 em nome de Ana Teresa de Jesus da freguesia das Lavras do Funil – Comarca do Rio das Mortes. 1820, cita como seu genro Manoel Pereira de Carvalho; Gabriel Antônio de Carvalho e Joaquim Antônio de Carvalho e os filhos João Dias de Gouveia e irmãos. Bens: fazenda Chamusca – 14:090$000; fazenda Rio Grande – 3.000$000; fazenda Palmital – 200$000; terreiro fazenda Chamusca – 1.000$000; terreiro da fazenda Rio Grande – 400$000; terreiro da fazenda Caxambu – 270$000. A fazenda Chamusca ficou em comum, 8 herdeiros. Outro dado relevante para o trabalho é a quantidade de escravos e cabeças de gado. São 63 escravos e 1.500 cabeças de gado.

Projeto Partilha - Leonor Rizzi

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.