A cidade ficou iluminada no dia de São Pedro de Rates.


.
As mais de 100 fotos foram realizadas por Evando Pazini, no Dia de São Pedro de Rates comemorado em Carmo da Cachoeira, Minas Gerais. Brevemente, o álbum completo estará a disposição de todos, nesta página.

A Missa foi campal e aconteceu às 19:00, conforme o programado. A cerimonia foi presidida pelo Pároco da Matiz de Nossa Senhora do Carmo, Pe. André Luiz da Cruz. A lua, em seu período de cheia, emanava tons prateados que se conjugavam, na superfície terrestre, aos tons avermelhados vindos das tochas que demarcavam os limites das Terras de São Pedro Pedro de Rates, vindos da fogueira Sagrada montada ao centro do terreno, vindos das velas que compunham o altar de celebração e que estavam nas mãos dos presentes. O álbum de fotos completo é um documento histórico de valor inestimável. O cachoeirense marcou sua presença coalhando todo o espaço disponível e a rua Francisco de Assis Reis que faz a ligação "Santuário" e Capelinha. Ao final da celebração verdadeira multidão enche as ruas que a leva de volta a seus lares. Os presentes saíram mais ricos, mais enobrecidos, mais felizes e menos densos.

Foi um momento de trégua numa sociedade do espetáculo e do consumo. O gozo e a satisfação imediatista foram destronadas naqueles momentos de oração e fé. O cachoeirense voltou a sentir suas verdadeiras origens, ricas em idealidade de si, de reconhecimento de si no mundo que tem uma história, histórica única, sua história. A mídia que insiste em mostrar a diferença entre os que tem e quem não tem; entre quem pode ter e quem jamais terá; entre quem é reconhecido e quem não tem nome, entrou em sonho profundo e, desligada, não viu que, no espaço onde se comemorava o DIA DE SÃO PEDRO DE RATES, todos estavam irmanados na fé, na união, na fraternidade.

Lembrando o legado de Cristo vindo através de Isaías (43: 1-3) "Não temas porque Eu te remi", agradecemos ao Criador pela oportunidade em servi-lo neste espaço físico-geográfico cachoeirense - Terras de São Pedro de Rates.
Luz, Paz e Harmonia a todos.

Comentários

projeto partilha disse…
Uma identidade em construção.

A Capelinha de São Pedro de Rates está construída em um terreno cujas características físicas exigem esforços coletivos visando transformações. Dizem alguns: "é uma verdadeira pirambeira". Dizem outros: "é uma aguada só". Não importando com os conceitos, os vizinhos dizem: "vamos transformá-lo para que sirva como espaço da manifestação de FÉ e AMOR INCONDICIONAL, por parte daqueles que para ele se sentirem atraídos". Sentem eles que este é um ponto que favorece transformações exteriores e interiores e, nesse sentido investem na essência criadora e transformadora. Conhecedores que são de cada ser a sua volta, porque ali nasceram, cresceram, viveram e vivem até hoje, cada membro se incorporou a um grupo orante - são 4 os grupos de oração formados:
. segunda-feira, 18h00 - Terço dos Homens na Capelinha de São Pedro de Rates;

. quarta-feira, 18h00 - Terço dos Guardiões do Santuário na Capelinha de São Pedro de Rates;

. quinta-feira, 20h00 - Terço do Espírito Santo com o tema: "No deserto, preparareis o caminho do Senhor", no "Santuário" Mãe Rainha

. sexta- feira, 19h00 - Terço Cenáculo no Santuário, no "Santuário" Mãe Rainha.
Os membros que constituem esses grupos entendem que o sustentáculo de todo o trabalho externo está ancorado nesses encontros de fé e oração semanal. Entendem eles que em essência todos são perfeitos e puros e que, pela força de suas orações essa perfeição e essa pureza irá manifestar-se em cada morador. Estão convictos de que a transformação não será somente a do terreno onde está a Capelinha. Cada um de nós vizinhos do terreno, ou não, está em provas, pois são membros naturais do Planeta Terra. Muitos a identificam, reconhecem-na e investem em sua superação. O fortalecimento encontra-se no grupo. Neles não há exclusão, todos são aceitos. Não há cisão/divisão entre "nós" e "eles", não há ausência de ideal. Há sim, um reconhecimento de si no mundo que o acolhe e o aceita, tal e qual está posto. Aqui todos, sem exclusão pode dizer com a boca cheia: "EU SOU ALGUÉM. Visto e respeito a camiseta do meu grupo".
Durante a homilia proferida pelo Pároco, Pe. André Luiz da Cruz, durante a celebração da Santa Missa, duas passagem marcaram o evento: ."aqueles que dividem, que buscam o exercício do poder, não estão seguindo seu Mestre, Jesus Cristo";
. "Aqui, a primeira missa está sendo celebrada hoje, vamos nos lembrar da primeira missa nas Terras de São Cruz, hoje, Brasil, no ano de 1500".

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.