Enchente em Carmo da Cachoeira, Minas Gerais.

Comentários

projeto partilha disse…
E ... reinará PAZ, muita PAZ sobre o Planeta Terra e sua sofrida humanidade. Na fé, e com forte convicção de que há uma ligação invisível que une Céus e Terra, os membros da Comunidade São Pedro de Rates buscam fazer sua parte. Enquanto irmandade sofre e, com rodo nas mãos, tentam ajudar a Maria (Nenê) e Tiana, a Terezinha, a ... .... . A chuva jorrando e, toda a vizinhança, encharcada de cabeça aos pés, tentava minimizar o sofrimento. A omissão de imagens mostrando o grupo de ajuda foi omitido propositalmente da matéria. O trabalho foi voluntário e as pessoas preferem não aparecer e, muito menos fazer sensacionalismo. É assim que funciona esta comunidade. Aqueles que se dispuserem buscar informações e só reler as atas da Câmara Municipal de Cachoeira dos últimos 10 anos. O discurso dos moradores é sempre o mesmo - como resolver o problema dos moradores da rua Olimpio Virgulino de Sousa, que a cada ano vem suas propriedades diminuídas com o aumento da cratera nos fundos de seus quintais? Este Santuário ecológico e sua nascente, não suporta mais receber águas vindas de toda a área urbana mais elevada. Falta infra-estrutura que apoie a descida da água. A cidade, situada numa área de topografia piramidal necessita de um projeto visando construção de bocas-de-lobo na rua Lourival Campos Reis e sua transversal, rua Dr. Veiga Lima. Delas desce uma enxurrada que se derrama sobre esta sofrida nascente e percorre o caminho natural de percurso. Muitos outros pontos desaguam ali, também: vem da Esperança, vem do alto da rua Olimpio Virgulino de Souza, vem do alto da Francisco de Assis Reis, vem da Domingos Ribeiro de Rezende. Anos a fio e, várias Câmaras já ouviram as queixas dos moradores. O problema estrutural persiste. Maquia-se de cá, maquia-se de lá. A nascente fica aos pés da majestosa Paineira que se vê no início do video. As Terras de São Pedro de Rates, ficam junto do alambrado mostrado e um muro umedecido com águas em seus pés. O muro continua em pé dada a forma de sua construção. Sua base de sustentação está apoiada em estrutura realizada com projeto especial que lhe dá suporte e sustentação. Era sexta-feira e, a comunidade se preparava para iniciar a via-sacra. A via crucis foi no socorro as vítimas da descida das águas morro abaixo. Que Deus nos dê Luz para ver e, ouvidos para ouvir. Nesta quarta-feira os vereadores receberão, das mãos dos moradores, cópias deste vídeo. A luta é pela melhoria da qualidade de vida e da dignidade dos moradores da Comunidade.
projeto partilha disse…
Uma pessoa deixou na caixa do correio do "Santuário Mãe Rainha", logo após a enchente a seguinte mensagem:
"As águas refletem a Luz do Planeta e a essência que transportam:
Água pura transmite Luz, Água impura transmite impureza ...
Água doce é a alma da Terra ...
Água salgada seu espírito ...
A Lei é única: a atração se dá por afinidade vibracional
A água do planeta ...
A água que permeia cada tecido de vida ...
O uso da consciência amplifica a irradiação, pois potencializa a capacidade latente da Água.
A consciência plena transforma a Água em Luz ...
A omnisciência transforma a Luz em Água para que possamos em qualquer estágio de consciência alcançá-la."

Nossa gratidão a este emissário.
Valdeir Almeida disse…
Realmente é muito triste. Nem há o que dizer. O vídeo já disse tudo, e como disse!
projeto partilha disse…
Ontem, 17/03/2010 estivemos presente na reunião ordinária da Câmara Municipal de Carmo da Cachoeira, Minas Gerais. Foram 6 pessoas: Evando; Leonara; Maria das Graças (Graça); Sebastiana (Tiana) - a que aparece no vídeo e vítima da enchente; Terezinha - que também aparece no vídeo, de costas na foto e em frente ao muro de sua casa destruído pela força das águas e Leonor. O vídeo foi projetado antes do início da sessão. Contou com a audiência de todos os vereadores. Aberta a sessão, um dos pontos de pauta foi a questão das enchentes. Houve participação popular nas falas. Hoje, nesta página, externamos nossos mais profundos agradecimentos a edilidade cachoeirense que, finalizou a reunião com a proposta, votada em unanimidade, de agendar junto a administração pública reunião para discutir o assunto, propor medidas que minimizem o problema para as futuras chuvas e, para os pontualmente afetados pelas deste ano. Terezinha diz que não foi tomada nenhuma providência para se reerguer o muro destruído, e isto causa grande dano e risco à sua numerosa família, composta de pessoas idosas e crianças em tenra idade.
projeto partilha disse…
Ontem, 17/03/2010 foi dia de sessão na Câmara Municipal. Lá estavam os representantes da Comunidade Paroquial São Pedro de Rates. Aproveitaram para levar este vídeo, que projeto durante a sessão causou grande impacto. Nossos mais sinceros e profundos agradecimentos a nossa edilidade.

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.