Um corpo para inaugurar o novo cemitério.

Antigamente o cemitério de Carmo da Cachoeira ficava na região onde hoje se localiza a rodoviária, e teria sido benta no ano de 1855. A Capela de Nossa Senhora do Carmo tinha sido elevada apenas a um ano e ainda não havia párocos na igreja, apenas um cura era responsável pelas solenidades, o Padre João Tomás de Sousa. Naquele tempo também Carmo da Cachoeira era um ponto perdido no mapa e pertencia ao distrito Boa Vista.

Por muito tempo o cemitério ainda se manteve naquele lugar. Seu Célio Brasiliense Naves nos lembra um fato ocorrido com seu parente João Antônio Naves, seria pitoresco, caso não estivesse envolvido uma "partida"- a de dona Jacinta Naves. O Cemitério estava para se mudar para o local onde hoje está, a data marcada para mudança chegava e dizia João Antonio:

- Temos que encomendar um corpo para inaugurar o novo cemitério.

O primeiro enterro foi o de dona Jacinta Naves, sua esposa.
Projeto Partilha - Leonor Rizzi

Próxima matéria:
Artigo Anterior: Manoel Antônio Rates e Sérgio Buarque.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.