Padre José Procópio Júnior em Carmo da Cachoeira

Imagem
Paróquia Nossa Senhora do Carmo sob nova guiança Editorial Sai Pe. Daniel Menezes, e assume como administrador paroquial da acolhedora cidade de Carmo da Cachoeira, em fevereiro de 2019, o Pe. José  Procópio Júnior.
"Não cabe à pedra escolher o lugar que deve ocupar no edifício. Assim também não cabe à nós criaturas ditar ao Criador o que deve acontecer em nossa vida, pois Deus é quem sabe e dispõe com sabedoria própria." − Dom Servílio Conti, IMC Como página que observa os acontecimentos neste pedaço de chão mineiro, limitado por montanhas e que, segundo o cachoeirense Padre Godinho, “todas são azuis”, registramos o remanejamento ocorrido entre padres ligados a Diocese da Campanha no ano de 2019. Entre as mudanças encontra-se a Paróquia Nossa Senhora do Carmo/Carmo da Cachoeira – MG.

Sai nosso querido Padre Daniel Menezes. Por ele continuamos a rezar e o devolvemos, entre lágrimas e a esperança de um dia tê-lo entre nós. Somos eternamente gratos e devedores. Entra, aureola…

Ilustração de antiga Bíblia latina de fazenda.

Fazenda dos Tachos - Carmo da Cachoeira, MG
Foto:
Evando Pazini - 2007 - Arte: TS Bovaris

Comentários

projeto partilha disse…
Uma árvore com mais de dois séculos? Tenho que estimular a minha capacidade de crer para crer. História verídica, faz parte do folclore lavrense, inspirada em uma reportagem do Jornal Lavras News de fevereiro de 2008. Cf.: Contando casos - Windows Internet Explorer. http:recantodasletras.uol.com.br/ contos/1371299.
O caso se passou junto da árvore centenária existente até hoje e, não muito distante da antiga fazenda que guarda a relíquia mostrada na imagem de hoje.
projeto partilha disse…
(...)dr. José Joaquim de Morais (...)a que tudo assistiu a Câmara em corporação reunida à comissão da Câmara Municipal de Espírito Santo do Pinhal tte. Vicente Gonçalves da Silva, alferes José Theodoro Garcia Leal, e Francisco Bernardes de Oliveira Mineiro." E mais: "As bandeiras paulistanas, segundo roteiros da época, partiam da sede da capitania, dirigiam-se a Juquerí, transpunham o morro do Lopo, chegavam até poucos km de Mogi-Guaçu em território pinhalense, onde a estrada dividia-se em dois ramos: um que se dirigia a Ouro Fino e outro seguindo para Baependi, atravessa os rios Cervo, Sapucaí e Verde, rasgando os sertões de Camonducaia e superando o morro do Caxambu. As que destinavam a Goiaz possuíam dois caminhos, que partiam do Rio de Janeiro e de São Paulo (...)." Cf.: Cidade do Espírito Santo do Pinhal Em Itapira?
Nova pagina 2 - Windows Internet Explorer. www.sfreinobreza.com/itapinhal.htm
Do livro "Álbum de Itapira" de João Netto Caldeira às páginas 59 a 61: "Em 21 de Maio de 1881 a edilidade endereço à Assembléia Legislativa uma representação (...)".

Postagens mais visitadas deste blog

Antiga foto da fazenda da Serra de Carmo da Cachoeira.