Medições de Sesmarias do final do século XVIII.

1764 - Sítio Ilha de Nª Sª da Conceição da Barra - 13 - João Caetano de Abreu - SM-29
1776 - Sítio e Fazenda Santa Fé - José Marcelino de Azevedo - Bento Ferreira - SM-19
1777 - Sesmaria do Campo Bom -Tenente Luiz Gomes Salgado - Pedro da Silva - SM-18
1778 - Santana das Lavras do Funil, no Capão das Abelhas, Caminho da Campanha do Rio Verde - Cipriana Lourença de Jesus - SM-02
1779 - Paragem Moinhos - Luiza Felícia Simfroza de Bustamante - SM-MPT
1779 - Bom Jardim - Antonio Gonçalves Penha - SM-15
1779 - Fazenda Posses, São Bento do Campo Bello, Lavras, Margem do Rio do Peixe - Antonio Teixeira de Gouveia - José Bernardes de Morais - SM-15
Santana das Lavras do Funil, Serra da Boa Esperança das Três Pontas - Antonia Maria Leonarda - SM-15
1794 - Lavras do Funil, Serra da Boa Esperança, suburbios - Capitão Antonio José Ferreira - Francisco José Ferreira
1794 - Fazenda São Jerônimo e Sítio Nª Sª das Dores, aplicação, Sertão do Rio Grande - Josefa Maria Silva - SM-15
1796 - Fazenda Nª Sª das Dores, aplicação - José Alves de Figueiredo - SM-25
1797 - Fazenda Cachoeira do Campo - Cataruba Domingas da Cruz - SM-02
1797 - São Bento do Campo Belo, aplicação Lavras do Funil, Duas Barras e Aplicação da Capela de São Bento Abade - Maria do Rosário - SM-13
1797 - Borda do Campo - Miguel Joaquim da Cunha Bastos - SM-13
1797 - Fazenda Rio do Peixe, aplicação São Bento do Campo Belo, margem do Rio do Peixe, freguesia de Lavras do Funil - Joana Isidora Nogueira - SM-15
1798 - Fazenda Passatempo, Lavras - Francisco José de Araujo - Felizarda Matildes de Salgada - SM-02
1798 - Barra do Ribeirão da Cachoeirinha, Paragem do Rio do Cervo - João da Silva Ribeiro de Queiroz - Felizarda Matildes de Salgada - SM-14
1798 - Sítio Palmital, Santana das Lavras do Funil - José da Silva Leme - SM-24
1798 - Bocaina do Lambari - Pedro Bernardo da Costa - Capitaõ Joaquim Bernardo da Costa - SM-35
1798 - Fazenda e Morro Sobradinho, Vertentes do Ribeirão da Cachoeirinha, freguesia Paraiso das Três Pontas - Reverendo José Domingues de Carvalho - SM-24
1798 - Fazenda São Pedro e casas de morada do Capitão Antonio, Campanha do Rio Verde, Córrego da Onça - Domingos Rodrigues Afonso - SM-05
1799 - Sítio Boa Vista, aplicação Nª Sª do Desterro - Gabriel da Costa Resende - SM-15
Morro Cavado, Nª Sª da Ajuda - Capitão Bento Ferreira de Brito - Alferes Domingos Vieira da Silva - SM-23
1799 - Ribeirão e Fazenda Nª Sª da Conceição do Rio, aplicação Baependi, Paragem do Córrego da ... e Jardim - Antôno Dias de Castro - SM-11

Projeto Partilha - Leonor Rizzi

Próxima matéria: Marcelo Brettas lebra o velho João Petronilla.
Artigo Anterior:
Amélia e o pasto da Izalina em Minas Gerais.

Obs: Da listagem são esses, no entanto, li em livro publicado sobre uma cidade vizinha que o Capitão Tomé Martins da Costa (Thomé) (1760) recebeu sesmaria do outro lado do Rio do Peixe, no sertão inculto denominado "dos negros".

Comentários

projeto partilha disse…
O Município de Carmo da Cachoeira, Minas Gerais, lembra com carinho de SEVERINO VILELA e sua mulher Alzira. Nos idos anos de 1960, dona Alzira, bisavó de Marcelo Brettas, completava seus 90 anos de idade. Seu marido, Severino, um pouco mais velho ostentava seus 102 anos. Severino Vilela "fundou uma fábrica de manteiga que produzia as marcas Turmalina e Aviação, que mais tarde vendeu, mas segue no mercado até hoje" (Marcelo Brettas - 2004). "Dona Alzira foi a pessoa que supervisionou a construção da bela Capela de Santo Antônio, distante uns cinco quilômetros da pequena cidade de Carmo da Cachoeira, Minas Gerais." A Capela de Santo Antônio foi construída ao lado da Estação de Trens - a do Couro do Cervo, no povoado da Estação. A Câmara Municipal aprovou a denominação de uma das ruas da cidade - a que fica paralela a E.E. Wanderley Ferreira de Rezende com seu nome, SEVERINO VILELA. Foi uma forma de lhe render homenagens.
projeto partilha disse…
Seu Peró é morador em Carmo da Cachoeira, Minas Gerais há mais de 50 anos. A porta de sua casa ostenta como manifestação de fé e identificação religiosa de seus moradores o CRUCIFIXO. Situa-se na Rua Francisco de Assis Reis, esquina com a Rua Sr. Veiga Lima, centro de Carmo da Cachoeira. Perguntado sobre o significado de seu apelido "Peró" vai logo dizendo. Está ligado as terras que meus antepassados receberam por ocasião da Libertação dos Escravos. Tenho em meu sangue as marcas do NEGRO e do ÍNDIO. As terras eram dos "Perini" ou "Peró". Fica na MATA GRANDE, entre Três Corações e São Tomé das Letras.
projeto partilha disse…
Seu Peró conta uma história entre as muitas que sua lúcida memória mantém armazenada. Esta se passou na FAZENDA CAPÃO DOS ÓLEOS, Carmo da Cachoeira, Minas Gerais. Foi um acontecimento ocorrido com o tropeiro João Petronilla. Sobre este personagem também nos fala Marcelo Brettas, em: mbrettas - UOL Blog - Windows Internet Explorer
"João Petronilla era negro, alto e esguio, com cabelos encaracolados e esbranquiçados. Nunca consegui saber ao certo a sua idade, alguns diziam beirar os sessenta, outros juravam já ter há muito ultrapassado os oitenta. Sei apenas que ele está guardado em minhas lembranças (...) fazia questão de viver sem família (...) em casa térrea e ampla, do final do século 19 ao lado da estação de trens (...)."
projeto partilha disse…
"Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU): tem como fato gerador a propriedade, o domínio útil ou a posse de bem imóvel por natureza ou por acessão física, como definido na lei civil, localizado na zona urbana do município (Portaria 211). Cf. Texto: EVOLUÇÃO DO IPTU. Veja as diferenças de resultado da evolução, Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), em:
www.carmodacachoeira.mg.gov.br
Fontes: Confederação Nacional de Municípios
Secretaria do Tesouro Nacional (STN).

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.