Crianças em Carmo da Cachoeira, Minas Gerais.

Ajude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço "comentários" para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região.

Foto: Evando Pazini - 2008 - Arte: TS Bovaris

Próxima imagem: O pastor Dom Diamantino Prata de Carvalho.
Imagem anterior:
Oratório mineiro, uma antigo local de fé.

Comentários

PROJETO PARTILHA disse…
A imagem de Santo Antônio que se vê ao fundo das crianças está onde funciona a CASA DA CRIANÇA CACHOEIRENSE hoje.Foi um local SAGRADO.Nesse espaço encontra-se ainda os marcos deixados pelo Cônego José Joaquim de Souza, por ocasião da demolição da CAPELA DE SANTO ANTÔNIO, conforme documentos que tivemos oportunidade de manusear na DIOCESE DA CAMPANHA, no ano do sesquicentenário da Freguesia do CARMO DA CACHOEIRA DOS RATES/Rattes/Raty/Rati/Raty.
projeto partilha disse…
Documento encabeçado pelo Emblema Símbolo do Regime Republicano no Brasil e assinatura de José Augusto de Paiva, lê-se o seguinte:
DECLARAÇÃO: Declaro, para fins de direito, que o senhor NICÉSIO SILVA CUNHA, atualmente funcionário da Prefeitura Municipal de Carmo da Cachoeira, neste Estado, exerceu também, quando da minha gestão como Prefeito desta cidade Varginha, as funções de Fiscal do Distrito de Carmo da Cachoeira durante os anos de 1934,1935,1936,1937 e 1938. Varginha, em 3 de maio de 1960 (assinado José Augusto de Paiva). Firma reconhecida em 3 de maio de 1960 por Lúcia Carvalho Terceira Tabelião. Constam os carimbos indicando: Firma: - Tab. PENTEADO Senador Dantas, 84 - C-Fundos com entrada, também, pela Av.13 de maio, 23 (EDIFICIO DARKE) - Rio
- Tenho a firma no TABELIÃO BOLIVAR. Av. Amazonas, 533 B.H/MG.
- Reconhecer no Tabelionato Veiga. R. Líbero Badaró, 29´3 - Loja G São Paulo.
projeto partilha disse…
Maria Eunice. Gilberto Vilela é filho de Saul de Oliveira Vilela (in memoriam), prefeito em Carmo da Cachoeira(1-2-1963 a 31-7-1967). Gilberto diz: "e a Nicinha tem se comunicado?". Deixe o abraço de nossa Família a ela. Nicinha é vc, portanto, receba o caloroso abraço cachoeirense, nesta belíssima estação do ano - inverno no sul de Minas é prá ninguém botar defeito. Quanto as mentes mais lúcidas de que lhe falei, consultei todas. Trabalho infrutífero, porém realizado. Quanto a Eulina Cândida de minhas anotações, existe uma, casada com Estevão Marcolino de Figueiredo (Estevam), ligada por parentesco com João Damasceno Branquinho, portanto, com José Joaquim Gomes Branquinho, da Faz da Boa Vista(cont.).
projeto partilha disse…
Maria Eunice. Vou enviar a TS Bovaris a declaração postada em nome de NICÉSIO SILVA CUNHA. Aguarde programação para publicação. Quanto a Eulina Cândida de São José(que não é a de sua busca), o que tenho é o seguinte: Filha de Francisco Alves Junqueira e Cândida Maria de São José. Enviuvando-se Francisco casou-se a segunda vez com Maphalda Carolina Branquinho, filha de JOÃO DAMASCENO BRANQUINHO e Anna Cândida de Jesus. José Joaquim Gomes Branquinho, filho de Ângela Ribeiro de Moraes (Ribeira/Morais), do Distrito da Fazenda Boa Vista, Lavras do Funil, foi padrinho no casamento de EULINA CÂNDIDA. Seu marido foi chefe do Partido Conservador de Patrocínio do Sapucaí.
silva lemes disse…
Prezado Colega,

Gostaria de sugerir-lhe que adote outro layout (veja no blogger) que facilite a leitura das mensagens.
Esse formato tem prejudicado a leitura pelo internauta.

Saudações,

Gilberto Lemes
http://cambuquira.blogspot.com
TS Bovaris disse…
Prezado Senhor,

Agradeço sua crítica, o velho Ford já dizia que devia seu sucesso aos que o criticaram e não à aqueles que lhe despejavam louvores. Tenho tido dificuldade em encontrar, seja no blogger seja em outros sites de ferramentas um layout que suporte os gadgets que temos no blog. Tentei até algumas alterações, no entanto sempre apresentaram erro em algum dos mecanismos. Além disso temos nos esforçado para fazer diariamente duas postagens, o que nos custa entorno de 4 horas diárias, sem contar a fazer de pesquisa, que é feita pela Profª Leonor Rizzi.

Mas manterei-me atento, e tendo tempo tentarei buscar novamente outras soluções.
Raquel disse…
Ola, sou brasileira e moro em Luanda. Tenho um filho de 23 anos que saiu da casa de meus pais e disse que ìa para Carmo da Cachoeria (retiro de monge). Acontece que faz quase 3 meses que não tenho mais notícias dele. Estou desesperada, diante de tantas notícias e tragédias atuais, fico a cada dia mais nervosa, como poder localizá-lo. Se alguém deste blog tiver algum acesso sobre o lugar que citei, ou se souber alguma coisa, me mande notícias pelo e-mail: rawerlich@bol.com.br
Desculpa a invasão, mais não tenho a quem me ajudar...só Deus sabe a minha angustia....aguardo alguém se prontificar e me ajudar. Desde já agradeço!

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.