Carmo da Cachoeira e Joaquim Pimenta de Abreu

Joaquim Pimenta de Abreu é um dos protagonistas da História do Município do Carmo da Cachoeira, Minas Gerais. Fez parte desta história no tempo de Manoel Antônio Rates e a época em que o distrito mais próximo era o da Boa Vista, ligado a Lavras do Funil. Este Distrito foi transferido posteriormente. Sediado inicialmente na fazenda do filho de Ângela Ribeiro de Moraes (Ribeira), José Joaquim Gomes Branquinho, foi transferido, por força de Lei, para a Cachoeira dos Rates.

Sem ligação até o momento, conferir no Projeto Compartilhar, Domingos Pimenta de Abreu (ou de Carvalho).¹

Carta Patente, 1811, cria a Companhia de Ordenança de Duas Barras² e fixa os limites:
Ø Rio do Peixe;
Ø Barra do Ribeirão Vermelho;
Ø Fazenda de Francisco Matias da Luz, Matias Alves Negrão e João Ferreira da Silva, Maria da Pena, viúva de José da Costa Morais, Domingos Gomes do Monte, Miguel Antônio Rates e os herdeiros de Joaquim Pimenta de Abreu;
Ø João Alves Ferreira;
Ø Mateus da Costa Manso;
Ø Manuel de Souza Diniz;
Ø José Joaquim Gomes Branquinho.

Projeto Partilha - Leonor Rizzi

Próxima matéria:Um pouco da genealogia de Joaquim Fernandes.
Artigo Anterior: A venda da fazenda Engenho da Serra em Minas.

1. Aportes à Genealogia Paulistana.
2. O Comandante nomeado foi o capitão João Damasceno Branquinho.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.