Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2009

A fazenda da Serra e um documento importante.

Imagem
A grande beleza da fazenda da Serra só é igualada por sua importância histórica, pois foi em um documento referente a ela em que pela primeira vez foi citado o nome da Ermida Nossa Senhora do Carmo em Carmo da Cachoeira por ocasião do casamento de Jerônimo José Rodrigues com com Antônia Maria de Assunção em 1819.Foto: Evando Pazini - 2007 - Arte: TS BovarisPróxima imagem: Detalhe da arquitetura de fazenda sul-mineira.
Imagem anterior: Detalhe de envento cultural afro-brasileira.

O Prefeito Azarias de Azevedo, Três Pontas, MG.

Imagem
Pessoa de baixa estatura, rosto fino, levemente calvo, Azarias de Azevedo irradiava simpatia e tratava a todos com cortesia. Vestia-se com esmero e elegância. Natural de Três Pontas, Minas Gerais, filho de Luiz Antônio de Azevedo e Purcina Ferreira Brito, casado com Antonieta Amaral de Azevedo. Muito jovem, ficou órfão de mãe e foi residir com sua avó e tutora, Zulmira Ferreira Brandão, filha do Barão da Boa Esperança. Estudou no Colégio Anchieta de Nova Friburgo, Rio de Janeiro e no Colégio São Joaquim de Lorena, São Paulo. Ingressou na antiga escola de Odontologia e Farmácia de Minas Gerais (hoje UFMG), onde se graduou em Farmácia. Por ocasião da Revolução de 1930, fez parte do "Batalhão Cristiano Machado". Participou da direção do Clube Atlético Mineiro, quando universitário em Belo Horizonte, Minas Gerais.Regressando a sua cidade natal, exerceu a profissão de farmacêutico. Dedicou-se também às atividades de cafeicultor, pecuarista e comissário de café, tendo sido represe…

Detalhe de envento cultural afro-brasileira.

Imagem
Ajude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço "comentários" para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região.Grupo de Congada de Oliveira, Minas Gerais em visita a Carmo da Cachoeira.
Foto: Maria do Carmo - Arte: TS BovarisPróxima imagem: A fazenda da Serra e um documento importante.
Imagem anterior:Cavaleiros na Fazenda do Morro Grande, Minas.

Cavaleiros na Fazenda do Morro Grande, Minas.

Imagem
A1887 quando a Lei n° 3442 transferiu duas fazendas para o município de Carmo da Cachoeira. Servia de limite com Luminárias a estrada da Cachoeira até as terras dos herdeiros de José Joaquim Gomes Branquinho, abrangendo a fazenda do Morro Grande (foto)¹, de Antônio dos Reis Silva.Escaner: Rogério Vilela - 2009- Arte: TS BovarisPróxima imagem: Detalhe de envento cultural afro-brasileira.
Imagem anterior: Cena de genuína fé em Carmo da Cachoeira.1. Na foto aparece a esquerda Antônio Marciano dos Reis Júnior e a direita um amigo seu cujo nome se perdeu na história.

Sétimo dia de falecimento de Ederval J. dos Reis.

Imagem
Faleceu a 22/7/2009 emPatrocínio Paulista, Ederval José dos Reis, filho de José Cândido dos Reis (Zé Chico) casado com Gabriela Garcia Pereira. Neto paterno de Francisco Antônio Dos Reis e Maria Avelina de Figueiredo, esta filha de Jacinta Carolina de Figueiredo (dos Reis) e do Cel. José Candido de Figueiredo, nascido em Boa Esperança MG e falecido aos 80 anos à 19/7/1923 em Patrocínio do Sapucay onde foi sepultado em jazigo da família¹.

Ederval foi sem dúvida um dos melhores Prefeitos que Patrocínio conheceu. Mais detalhes sobre este ilustre patrocinense e sua família mineira enviarei em breve. Que a Luz Celestial ilumine a todos. Sobre esta família procurem na obra de Daunt².


Profª. Palmira Luiza Novato Faleiros,

Próximo documento: Descomplicando a genealogia de Mariana.
Documento anterior: A terra natal de João Vilela dos Reis.

1. L3 CM, fls 15, nº47.2. Ricardo Gumbleton Daunt na obra " O Capitão Diogo Garcia da Cruz", pag. 67/68.

A Família Moraes na mineira Zona da Mata.

Imagem
de: Dahiana Moraes QuindósOlá,

Meu nome é Dahiana Moraes Quindós (casada) meu nome de solteira era Dahiana Nogueira Moraes, e caso esteja procurando uma localidade onde tenha muitos com sobrenome Moraes, busque na região da Zona da Mata - Minas Gerais, meus avós e toda família Moraes são de Santo Antônio do Aventureiro, maior que uma vila, uma cidade pequena, mas repleta de Moraes.
Nas redondezas também têm muitos: Além Paraíba, Juiz de Fora entre outras.
Sou muito curiosa para saber das minhas origens, da raiz mesmo.

Um abraço,

Dahiana Moraes Quindós.

Cena de genuína fé em Carmo da Cachoeira.

Imagem
Terno de Congada de São Benedito - Mestre Dae, através deste grupo queremos prestar homenagem aos nossos antepassados, antigos moradores do Quilombo Gondu. Que a luz permaneça guiando o caminho de cada consciência que, a seu tempo, realizou a dura experiência e aprendizado de valores perenes como, por exemplo, o da humildade e submissão aos desígnos divinos. Descansem em Paz.Grupo de Congada de Oliveira, Minas Gerais em visita a Carmo da Cachoeira.
Foto: Maria do Carmo - Arte: TS BovarisPróxima imagem: Cavaleiros na Fazenda do Morro Grande, Minas.
Imagem anterior: Detalhe de capela rural sul-mineira de 1919.

Em busca de Manoel Joaquim de Oliveira.

Imagem
de: Larissa
Gostei muito e achei interessante a matéria de Manoel Joaquim d'Oliveira! Ele é meu tatavarô, se vocês tiverem fotos da família dele ou dele... muito obrigada

As duas fases do antigo Colégio Cachoeirense.

Imagem
Além da Escola Pública doProfessor Pedro Juvêncio de Souza; hoje vamos tratar do outra instituição de ensino que, não obstante ter sido de pouca duração, deixou bons resultados e também dela nos recordamos com saudade: o Colégio Cachoeirense.Foi em 1917 que, a convite do Sr. Antônio de Rezende Vilela, aqui chegava o Professor Arlindo Cruz e iniciava naquele velho casarão¹ que existiu na esquina das Ruas Artur Tibúrcio e Barão de Lavras, as aulas do Colégio Cachoeirense.Arlindo Cruz era um professor por vocação; suas aulas eram profundas lições não só da matéria a que se referiam, senão também de civismo e de moral. Patriota extremado, não perdia ocasião de insuflar em seus alunos o amor da Pátria, o culto à sua História e aos seus homens ilustres. Ainda tenho bem presente na memória o entusiasmo com que repetia para nós as páginas do "Porque me Ufano do meu Pais", do Conde Afonso Celso.Muitas vezes, no entusiasmo pela aula que nos ministrava, ele se esquecia de que a hora do…

Os ascendentes de João Urbano de Figueiredo.

Imagem
de: Palmira Luiza Novato Faleiros
-Gostaria de saber Quem eram os ascendentes de João Urbano aquí citado, pois o avô materno de meu marido também se chamava João Urbano de Figueiredo (filho de José Eduardo de Figueiredo Filho casado com Ana Euflausina de Figueiredo, nascido provavelmente em Boa Esperança) se casou em Patrocínio do Sapucay com sua Prima Mariana Delminda de Rezende, filha de Purcina Cristiana de Figueiredo e de Antônio Alves de Rezende este filho de Antônio Abdenago de Rezende filho de Jacinta Ponciana Branquinho da Fazenda das Abelhas. Estou ciente que o João Urbano de Figueiredo a que me refiro faleceu em Patrocínio a 13/6/1935, às 10:30 hs, na Fazenda Campo Limpo. (CRC PP - fls. 56, nº53)

Detalhe de capela rural sul-mineira de 1919.

Imagem
Interessante fachada da capela dafazenda dos Tachos no Sul de Minas Gerais, seu fundador foi Valério Ribeiro de Rezende, negociante na cidade de Campanha, casado com Francisca de Paula Ferreira Lopes, filha do Comendador Francisco de Paula Ferreira Lopes. Valério e Francisca tiveram: Francisco de Paula Ferreira de Rezende, casado com Ignácia Barbosa de Rezende e Valério Ribeiro de Rezende (Resende), falecido, solteiro.Valério aparece como testamenteiro no inventário de Juliana de Oliveira Cunha, casada com Leandro de Campos Silva. Juliana foi a oitava filha de Maria Josefa da Trindade, casada com José de Paiva e Silva, filho de Domingos de Paiva. Maria Josefa e José foram pais, entre outros de Gaspar José de Paiva, casado em terceira núpcias com Maria Cândida de Paiva Bueno (Boeno). Em seu testamento,em Campanha da Princesa, (1846-1854), Gaspar José constitui seu terceiro testamenteiro, "Meu compadre Francisco de Paula Ferreira Lopes".Foto: Evando Pazini - 2007 - Arte: TS Bo…

O caminho das boiadas de Nenzico em 1913.

Imagem
O corredor do Nenzico como é chamado hoje a rua Mizael Gouveia. O acesso, a partir do Largo da Matriz se fazia pela rua do Genico que, começava na Estrada das Boiadas, hoje chamada de rua Domingos Ribeiro de Rezende. Abaixo da Estrada da Boiada era área de pastagem até atingir o Córrego da Capitinga ou seja, o Ribeirão do Carmo, numa faixa que chegava até a Casa de Manoel Antônio Rates(Rattes) , junto a Cachoeira dos Rates(Rattes). As boiadas desciam o morro após passar pela Fazenda dos Coqueiros, hoje de propriedade de Jorge Fernando Vilela. A primeira travessa, para os que vinham da Cachoeira dos Rates e seguiam pela rua do Genico era a Rua Comercial, depois chamada de Rua Direita e hoje é chamada de Dr. João Octaviano da Veiga Lima. O Genico mantinha em sua casa uma loja de comércio com ofertas de secos, molhados, roupas, chapéus e miudezas em geral. Era seu vizinho um oficial para conserto de sapatos - Família Dias de Oliveira. A rua do Genico era cortada também pela Rua Santo Ant…

Os utensílios do Dr. João Justiniano Reis, médico.

Imagem
Médico e fazendeiro,Dr. José Justiniano dos Reis, Fazenda da Serra, Município de Carmo da Cachoeira, Minas Gerais, nasceu em 1890 e faleceu em 1967. Foi casado com Iracema Figueiredo, nascida na Fazenda Bela Vista, Município de Três Pontas.Iracema era filha do Dr. Domingos Figueiredo, advogado e ex-deputado e Ambrozina Paiva Figueiredo (Zinoca Figueiredo). Dr. José Justiniano e dona Iracema tiveram cinco filhos: Santuza; Yvone; Myrian gemea de José Figueiredo. Santuza, nascida em 1918 foi casada com Dr. Geraldo Oscar Domingues Machado, Engenheiro e Ex-Reitor da Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais. Yvone, casada com o Dr. Darwin Leão Teixeira, ex-Corregedor do Estado de Minas Gerais; Myrian casada com Dr. Paulo Chaves Ribeiro, médico em Varginha; José casado com Norma, filha de Pedro Garcia e Augusta Teixeira.Foto: Evando Pazini - 2007 - Arte: TS BovarisPróxima imagem: Detalhe de capela rural sul-mineira de 1919.
Imagem anterior: Mobilização cultural afro-brasileira em Minas.

Sétimo dia de falecimento de Carlos Lacerda.

Imagem
de: Liberato Bueno
-Em 1977 fiz um curso de oratória com o Pe. Godinho, em São Paulo, ministrado no prédio de uma antiga livraria que ficava na rua Araújo. Ele era um tribuno de cultura, inteligência e dicção invejáveis. Certa ocasião, distribuiu para nós, seus alunos, o texto abaixo, que discorrera por ocasião da missa de sétimo dia do falecimento de Carlos Lacerda, que fora seu companheiro de UDN.Como o texto é longo, poderei enviá-lo aos interessados.

Um cachoeirense na Atchim!

Imagem
O cachoeirenseWanderdei Theo Boschila, colunista da hilariante revista Atchim. pelo menos o foi no número um da revista, prestigiou este blog ao indicar a sua tia Marília, autora da poesia, "Retrato de minha terra", a leitura de nossa matéria "Um amigo de todas as horas!"

Poesia de autoria: Marília de Lourdes Rezende Bittencourt
Interpretação: Fernanda Aparecida Oliveira Pereira
Gravação: DjCia
Edição: TS Bovaris
Patrocínio:
http://www.carmodacachoeira.blogspot.com/
GAPA - Grupo de Apoio e Proteção aos Animais

Mobilização cultural afro-brasileira em Minas.

Imagem
Ajude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço "comentários" para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região.
Grupo de Congada de Oliveira, Minas Gerais em visita a Carmo da Cachoeira.
Foto: Maria do Carmo - Arte: TS BovarisPróxima imagem: Os utensílios do Dr. João Batista Reis, médico.
Imagem anterior: Antiga foto de Antônio Marciano dos Reis Júnior.

Definição de Capitão-mor no Brasil Colônia.

Imagem
Capitão-mor era autoridade na época do Brasil Colonial, cujas funções eram manter a ordem nos arraiais, vilas e cidades, prender criminosos e investigar suspeitos. Sua função equivalia a de delegado de polícia atual. Onde não existia Juiz Ordinário, era a autoridade máxima. Comandava uma milícia, denominada Companhia de Ordenanças.Artigo de Paulo Costa CamposPróxima matéria: O Prefeito Azarias de Azevedo, Três Pontas, MG.
Matéria Anterior: Definição de Distrito como termo histórico.

Carmo da Cachoeira no blog dos Rattes.

Imagem
Na busca pelas origens do povo cachoeirense encontramos a Família Rattes, cuja ligação com Manoel Antônio Rates também é discutida no Blog da Família. Apesar de todos os esforços ainda existe um grande vácuo na história cachoeirense, que necessita ser revelado. As nossas origens poderão revelar quais as razões de estarmos hoje vivendo como estamos e nos mostrar quais os melhores caminhos a seguimos para chegarmos a um futuro melhor.

Antiga foto de Antônio Marciano dos Reis Júnior.

Imagem
Neste retrato tirado na Fazenda do Morro Grande, de Antonio Marciano dos Reis e sua esposa e sobrinha Genoveva Cândida Garcia, filha de João Garcia Figueiredo e de Joaquina Cândida. Aparece a esquerda Antônio Marciano dos Reis Júnior e a direita um amigo seu cujo nome se perdeu na história.Antonio Marciano é descendente de João Damasceno Branquinhoe de dona Joaquina Antonia da Silva, através de dona Maria Cândida Branquinho dos Reis, falecida em 1896. Maria Cândida e Antonio dos Reis Silva foram os pais de Joaquina Cândida, casada com João Garcia Figueiredo, pais de Genoveva Cândida, nascida em 1884 e casada com Antonio Marciano dos Reis, nascido em 1868 e falecido em 1918.Escaner: Rogério Vilela - 2009 - Arte: TS BovarisPróxima imagem: Mobilização cultural afro-brasileira em Minas.
Imagem anterior: O pastor Dom Diamantino Prata de Carvalho.

Definição de Distrito como termo histórico.

Imagem
Distrito é a designação dada a locais já habilitados ou onde se iniciavam povoações. No final do século XVIII e primórdios do século XIX, o termo era impreciso e não tinha o significado hodierno de subdivisão administrativa. Usava-se também com o mesmo significado do termo continente. A expressão passou a ser usada no sentido de subdivisão territorial de uma nação, província ou município. As Câmaras Municipais tinham poder para criar ou suprimir distritos, assim como subdividir os municípios, até 1828, quando houve modificações nas leis vigentes, transferindo a prerrogativa para as Assembleias Provinciais, segundo o Dicionário da Terra e da Gente de Minas de autoria de Waldemar de Almeida Barbosa.Artigo de Paulo Costa CamposPróxima matéria: Definição de Capitão-mor no Brasil Colônia.
Matéria Anterior: Dados biográficos do Pe. José Bento F Mesquita.

Hino do Centenário de Carmo da Cachoeira

O fiscal do distrito Nicésio Silva Cunha.

Imagem
DeclaraçãoDeclaro, para fins de direito, que o senhor Nicésio Silva Cunha, atualmente funcionário da Prefeitura de Carmo da Cachoeira, neste Estado, exerceu também, quando da minha gestão como Prefeito desta cidade Varginha, as funções de Fiscal do Distrito de Carmo da Cachoeira durante os anos de 1934, 1935, 1936, 1937 e 1938.Varginha, em 3 de maio de 1960.
seguem quatro carimbos:Firma - Tab. Penteado - Senador Dantas, 84 - C - Fundos - com entrada, também pela Av. 13 de Maio, 23 (Edifício Darke) - Rio Tenho a firma no Tabelião Bolivar - Avenida Amazonas, 533 - Belo Horizonte - M. GeraisReconhecer no Tabelionato Veiga - R. Libero Badaró, 293 - Loja G - São PauloReconheço verdadeira a firma de José Augusto de Paiva - Varginha, 3 de Maio de 1960 - Em tt.° da verdade - (Lúcia Carvalho) 3º TabeliãoEscaner: Rogério Vilela - 2009 - Arte: TS BovarisProjeto Partilha - Leonor RizziPróximo documento:
Documento anterior: Cemitério dos Escravos segundo Mons. Lefort.

Audiência Pública - Serviço de Água e Esgoto.

Imagem
A Prefeitura do Município de Carmo da Cachoeira, convoca a comunidade em geral para participar da Audiência Pública referentes ao Contrato de Programa para Prestação de Serviços Públicos de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário na sede do Município, a ser firmado com o Estado de Minas Gerais, a Companhia de Saneamento de Minas Gerais - COPASA.A Audiência Pública será realizada às 19:00h (dezenove horas) do dia 23 de julho de 2009, no auditório do Clube Tabajara, localizado na Rua Dr. Veiga Lima, 522, centro de Carmo da Cachoeira. Na audiência, serão efetivados os debates relativos ao Contrato de Programa para a prestação de serviços públicos de abastecimento de água e de esgotamento sanitário no Município.Hélcio Antonio Chagas Reis
- Prefeito Municipal

Nós mesmo como exemplos de ética e moral.

Imagem
Ao repensar nossa sociedade, fica a semente de uma reflexão mais profunda, no sentido de que possamos presenciar discussões e debates em diferentes esferas sobre questões por nós herdadas de nosso passado. Somos todos frutos de nosso meio, e este foi edificado em nosso passado, nas ações e pensamentos de nossos antepassados. A corrente da vida nos liga ao passado como nós nos ligamos àqueles que virão depois de nós. Emergirão com certeza temas polêmicos que enterramos, aguardando momentos de transformação.A juventude necessita conhecer para poder optar conscientemente, entendendo que o maior desafio do momento é unir diferentes segmentos sociais. A demora em assistir aqueles que necessitam da ação do Estado pode levar à instabilidade social, mas os governantes devem buscam aumentar o número de beneficiários de ações públicas de qualidade, que proporcionem mais felicidade e menos ódio e rancor entre os mais desfavorecidos. Justiça e igualdade são conquistas que cabem aos administradore…

O pastor Dom Diamantino Prata de Carvalho.

Imagem
A PALAVRA VEM ATÉ NÓS

Irmãs, Irmãos,

O Senhor lhe dê a Paz! A Mãe Igreja nos convida a celebrar o Advento do Senhor. O Deus de bondade criou o ser humano para ser parceiro de sua felicidade. Rompida a aliança, Deus jamais abandonou a humanidade. Continuamente, lhe oferece a sua amizade.Ao longo da história da salvação, serve-se de lideranças para manter acesa a promessa. Sobretudo os profetas exortam homens e mulheres a confiar: O Deus-conosco vem nos salvar!João Batista prepara os caminhos do Senhor, pregando o batismo de penitência. Os corações devem estar preparados para acolher o Reino de justiça e paz que vai chegar.Maria de Nazaré é a escolhida para acolher a Palavra que se se faz carne. Palavra do Pai, gerada desde toda a eternidade, por ela criou os céus e a terra. Na plenitude dos tempos, vem encerrar-se no ventre da Virgem que concebe pelo Espírito Santo e vai dar à luz o Messias Salvador.Mistério da condescendência do nosso Deus Trindade. Só mesmo Deus pode realizar tal avent…

Marcelo Brettas e a história de Andrelândia.

Imagem
Conheça a história de Andrelândia, de onde vieram os ancestrais de Marcelo Brettas e Dr. José Vilela Bretas - médico e grande benemérito da Cidade de Carmo da Cachoeira, Sul de Minas Gerais. Dr. Bretas faz parte da história da Cachoeira dos Rates. Cientista, historiador, dinâmico, habilidoso no trato com as pessoas, dotado do dom da arte transformadora dos elementos da natureza e do censo artístico, não há cachoeirense que não o conheça e reconheça seu nome e seu trabalho.Conheça Andrelândia visitando: Fundação Guairá - Terra sem males
e-mail: guaira@fundacaoguaira.org.br Projeto Partilha - Leonor RizziPróxima matéria: Nós mesmo como exemplos de ética e moral.
Artigo Anterior: Marcelo Brettas lebra o velho João Petronilla.