A venda do escravo Procópio de Três Pontas.

Mais um fragmento assignado por Modesto José Pereira.

(...) por seus bastantes procuradores aos senhores Eduardo Alves de Gouvêa (Gouveia), José Domingues da Costa e Joaquim Fernandes de Rezende para juntos ou cada um in solidum com especialidade para assignar a escriptura de venda de escravos de nome Procópio solteiro averbado na Colectoria da Cidade de Três Pontas sob o número dois mil duzentos e secenta e quatro da matrícula geral que o outorgante faz a José Feliciano Alves de Gouvêa e dar quitação e também assignar e (ilegível) a escriptura de compra de terras que o outorgante faz a Antonio Joaquim Alves, José Feliciano Alves de Gouvêa, João Alves de Gouveia Sobrinho, Aureliano Alves de Gouveia e Antonio Alves de Gouveia, cuja terras compradas de Veríssimo Alves da Costa na Fazenda da Jacotinga na Província de São Paulo, termo da Cidade de Batatais cujas terras houverão por herança do finado tenente coronel Joaquim Alves de Gouveia (Gouvêa) para o que dá amplos plenos e illimitados poderes a hinda a de substabelecer esta em que lhes convier. E de como assim o disse assigna este instrumento depois de ser lido por mim escrivão e achar conforme tudo nas presenças das testemunhas Antonio José Pereira e Augusto F(ilegível) Alves, commigo Modesto José Pereira escrivão de Paz e Tabellião de Notas que escrevi e assigno em publico e razo, Modesto José Pereira.

Projeto Partilha - Leonor Rizzi

Próxima matéria: A venda do escravo Procópio de Três Pontas.
Artigo Anterior: Sepultada Júlia Paranaíba Vilela em Minas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.

Palanques e trincheiras na defesa dos quilombos.