Um pouco sobre Mariana Felisbiana da Silva.

Faleceu na freguesia de Carmo da Cachoeira, em 09.01.1870, com 60 anos e no estado de viúva, Mariana Felisbiana da Silva (Felisbina ou F.).

Dona Mariana foi atuante em seu meio. O Projeto Partilha teve oportunidade de acompanhar, através das documentações estudadas, o quanto evidente foi seu nome. Além da Ermida em sua fazenda, a qual serviu para infinitos atos religiosos, ela aparece, com muita frequência como madrinha em cerimonias de batizados e casamentos. Foi filha de Maria Ribeira da Conceição e José da Silva Oliveira¹, e neta de Ângela Ferreira e Bento Ribeiro Salgado. O inventário de dona Maria Ribeira da Conceição aconteceu na fazenda Couro do Cervo, Freguesia de Lavras. Compareceram como louvados: Martinho Dias de Gouveia e Manoel Tomás de Carvalho (Thomaz). Só lembrando que a Fazenda do Couro do Cervo é a antiga fazenda Retiro e que, é vizinha do Sítio da Cachoeira, de Manoel Antônio Rates.

Projeto Partilha - Leonor Rizzi

Próxima matéria: A fazenda denominada Retiro e Rio do Peixe.
Artigo Anterior: O pagamento da dívida de Anna Cirino da Costa.

1. Aos oito dias do mês de maio de 1870, morre em Carmo da Cachoeira, Freguesia de Lavras, José da Silva Oliveira, com 88 anos, no estado de viúvo. José foi casado com Maria Ribeira da Conceição, pais de Mariana Felisbina da Silva.

Comentários

projeto partilha disse…
Maria Ribeira da Conceição, casada com José da Silva de Oliveira(I), nascido em Aiuruoca, teve duas filhas casadas com netos de Antonio Ribeiro do Valle. Antonio foi irmão de Ângela de Moraes Ribeiro (Ribeira/Morais) mãe de José Joaquim Gomes Branquinho da Boa Vista. As filhas de Maria Ribeira foram Rita Joaquina Maciel (ou Ribeira Salgado), casada com Manoel Joaquim Ribeiro do Valle em 1793 e Josefa Emerenciana Ribeira, casa com Felix Ribeiro de Mendonça. Teve filhos batizados na Ermida de São Domingos da Barra de Lavras, quando o Distrito da Boa Vista também pertencia a Lavras.
A filha Ana Esméria, casada em 1808 com Antonio José de Freiria é neto de Francisco Ávila Fagundes e Maria Alves Barbosa da Porciúncula que tem laços de parentesco com uma filha de Cipriana Antonia Rates.
projeto partilha disse…
Documento da aquisição de uma casa registrada Registro de Imóveis Ney Alvarenga, Varginha-MG.Talão N.27, p.152. "Certifico que a fls.84 do livro n.3M foi registrada hoje sob n.5252,a aquisição do imóvel - uma casa de morada e benfeitorias, situada à r. do Pretório, em Carmo da Cachoeira, Minas Gerais, e seu terreno confrontando com a Rua Municipal, Joaquim Ribeiro Carvalho, Álvaro Dias Pereira, que houveram por compra a Antonio Ribeiro da Cunha (continua)
projeto partilha disse…
(continuação) Registro sob n.5252:
(...)A aquisição foi feita por (ilegível), residente em Carmo da Cachoeira, de Francisco Guilherme Júnior e sua mulher dona Ana Evangelista Ximenes, residentes em Carmo da Cachoeira, por título de compra e venda e escritura pública de 29 de maio de 1925, lavrada nas notas do tabelião José Godinho Chagas, de Carmo da Cachoeira, pelo preço de seis contos de réis (6:000$000) sem nenhuma condição. O referido é verdade - dou fé.
Varginha, 26 de agosto de 1942. Assina, Ney Alvarenga. Segue selos e carimbos.

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.