Fazenda de Sata Maria no Almanak Sul Mineiro.

Propriedade agricola do Cel. Estevam Ribeiro de Rezende (Estevão ou Estevão Resende) .
Situada no Districto de Cachoeira, e a 24 kilometros da cidade.
Area: 200 alqueires de terras, subdividas da seguinte forma:
30 alqueires de cafezaes, produzindo em media 3.500 arrobas de café e o restante em campos de mattas.
Industria Pastoril: 200 rezes de criar.
Justamente por ser de pequena área, a Fazenda de Santa Maria (Fazenda Santa Maria) é superiormente cuidada pelo seu proprietário, alcançando uma renda sobremodo compensadora.

Reprodução: Evando Pazini - 2007 - Arte: TS Bovaris

Próximo ducumento: Jerônimo, um homem da terra, da nossa terra.
Documento anterior: Homenagem à música de raíz em Minas.

Comentários

projeto partilha disse…
Errata: Tipo de erro: crédito indevido.

A Fazenda de "Santa Maria", indevidamente citada como sendo publicação do Almanak Sul Mineiro, na realidade é a página de N.152 da obra ALBUM DE VARGINHA. São organizadores da referida publicação SYLVESTRE FONSECA e JOÃO LIBERAL, em outubro de 1918. conforme o que lê:

"Os Snres. João Liberal e Sylvestre Fonseca, organizadores do presente trabalho, se encarregam, em qualquer cidade visinha, de organizar álbuns illustrados de propaganda, mediante contracto com os poderes municipaes.
VARGINHA - Sul de Minas."

Queiram todos aceitar nossas escusas e reconsiderar o referido
título da imagem do dia de hoje como sendo:
Fazenda de "Santa Maria" em FONSECA & LIBERAL.
projeto partilha disse…
Cf.: Projeto Compartilhar atualizando dados em abril de 2009. APORTES à Genealogia Paulistana (Silva Leme). Em João Francisco da Silva encontraremos novos dados sobre os "Moraes".
projeto partilha disse…
Padre Pedro Maciel Vidigal, foi Membro do Instituto Genealógico Brasileiro e Membro Efetivo do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais. Entre seus estudos genealógicos encontra o da Família Martins Costa, descendente de Amador Bueno - o Aclamado. Dentre suas obras uma denominada "Os Antepassados" que, no vol. I, cap. VI, p.121 cita o seguinte, ao fazer referência a PATRIMÔNIO DA PÁROQUIA, diz conhecer casos, em que áreas do patrimônio das igrejas foram invadidas por "indivíduos sem escrúpulos, atrevidos, violentos, e agressivos que, abusando da humildade, tolerância e timidez de alguns párocos, nela se instalaram, como se fossem absolutos e incontestáveis proprietários".
Saiba mais sobre este autor em:
Prefeitura Municipal de Senador Firmino - Windows Internet Explorer
www.senadorfirmino.mg.gov.br/quemfoi/padre.htm

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.