Padre José Procópio Júnior em Carmo da Cachoeira

Imagem
Paróquia Nossa Senhora do Carmo sob nova guiança Editorial Sai Pe. Daniel Menezes, e assume como administrador paroquial da acolhedora cidade de Carmo da Cachoeira, em fevereiro de 2019, o Pe. José  Procópio Júnior.
"Não cabe à pedra escolher o lugar que deve ocupar no edifício. Assim também não cabe à nós criaturas ditar ao Criador o que deve acontecer em nossa vida, pois Deus é quem sabe e dispõe com sabedoria própria." − Dom Servílio Conti, IMC Como página que observa os acontecimentos neste pedaço de chão mineiro, limitado por montanhas e que, segundo o cachoeirense Padre Godinho, “todas são azuis”, registramos o remanejamento ocorrido entre padres ligados a Diocese da Campanha no ano de 2019. Entre as mudanças encontra-se a Paróquia Nossa Senhora do Carmo/Carmo da Cachoeira – MG.

Sai nosso querido Padre Daniel Menezes. Por ele continuamos a rezar e o devolvemos, entre lágrimas e a esperança de um dia tê-lo entre nós. Somos eternamente gratos e devedores. Entra, aureola…

Antiga foto da fazenda dos Tachos em Minas.

Tachos é conhecida hoje como uma “região”, dentro do município de Varginha, em 1918 pertencia ao coronel Emílio Justiniano de Rezende e Silva, filho do Coronel José Justiniano de Rezende e Silva (Resende) e Maria Benedita Teixeira de Rezende (Resende) , e neto de José Alves e Maria do Carmo Rezende.

Na época a fazenda contava com 600 alqueires sendo que 130 de cafezais, produzindo em média treze mil arrobas por safra, cultivava também quatrocentas rezes de cria e engorda. Moravam nas colônias da fazenda mais de vinte famílias.¹

Foto: Evando Pazini - 2007 - Arte: TS Bovaris

Próxima imagem: O Sagrado Coração de Jesus da fz. da Serra.
Imagem anterior: Magistral casa sede da Fazenda Pouso Alegre.

1. Fonseca & Liberal, 1918.

Comentários

projeto partilha disse…
Encontramos em um fragmento de documento algumas citações: "outorgantes Urbano dos Reis Silva e Felícia Generosa dos Reis a respeito o dito inventário no termo de Dores da Comarca de Três Pontas para o que dão amplos e illimitados poderes a Antonio Rodrigues de Figueiredo nos termos do inventário e partilhas dos bens deixados por dona Felícia Vilella de Figueiredo, avó dos outorgantes. Testemunhas: Antonio José Pereira e Luciano Tavares da Silva comigo Modesto José Pereira Escrivão de Paz e Tabellião de notas que o escrevi e assigno em publico e raso.
projeto partilha disse…
No rodapé do fragmento apresentado no comentário anterior está contido o seguinte:

Procuração bastante que fazem Camillo Antonio Ribeiro e sua mulher dona Geralcina Cândida de Jesus
Saibão quantos este publico instrumento(é tudo o existe como informação na referida página)
projeto partilha disse…
Escriptura de venda de um escravo de nome Miguel que a Antonio Rodrigues da Costa, e Anna Thereza de Jesus faz a Manoel Antonio Teixeira pela quantia de seis centos mil réis na forma abaixo.

Saibão quantos este público instrumento (...) no anno de mil oitocentos e secenta e seis aos honze dias do mês de junho nesta Freguesia da Cachoeira do Carmo (...) vendedores Anna Teresa de Jesus, e por vendedor José Celestino Terra como procurador (...).

Postagens mais visitadas deste blog

Antiga foto da fazenda da Serra de Carmo da Cachoeira.