O batismo do inocente Joaquim em 1776.

Entre as amareladas folhas marcadas pelos seus 233 anos uma referência: anotação feita em 10 de novembro de 1776, entre outras onde pouco se pode ler, devido a ação das traças que deixaram as folhas rendadas. Nesta data, o inocente Joaquim, filho de pai incognito, recebe o Sacramento do Batismo, e tem seu registro num dos livros de Lavras do Funil. Seus padrinhos foram José Lourenço de Abreu e sua mulher, dona Anna Maria Moraes.

Projeto Partilha - Leonor Rizzi

Próxima matéria: Alguns registros de óbitos de 1956 em Minas.
Artigo Anterior: A venda da fazenda dos Carapinas em Minas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.

Palanques e trincheiras na defesa dos quilombos.