História do Santuário Mãe Rainha.

O Santuário Mãe Rainha de Carmo da Cachoeira em Minas Gerais está sob a proteção da Comunidade São Pedro de Rates, e foi consagrada durante a Santa Missa, celebrada no último dia 20 de março de 2008.

A consagração do Santuário na sede da Comunidade Paroquial São Pedro de Rates, reforça o elo entre o etéreo e a Igreja Católica Apostólica Romana, fundada por Cristo para reunir o povo de Deus. A alma desta Igreja é o Espírito Santo, sua contra parte imaterial e que a sustenta. Espírito que une os fiéis na comunhão em Cristo, cujos fundamentos materiais encontra-se na doutrina dos apóstolos.

Suas crenças as foram revelações de Deus, através dos tempos e ao longo do Antigo Testamento, culminando em Jesus Cristo, o Filho de Deus, o Messias e o Salvador do Mundo e da humanidade.

O Santuário existentente na Comunidade Paroquial São Pedro de Rates é consagrado a fé cristã e ao crescimento das consciências de todos àqueles que dele se aproximam, por pensamentos ou em visitas. A proposta é de que os fiéis expressem sua fé e gratidão ao Criador através da prática das boas obras. Obras estas que auxiliam e ajudam o crescimento na caridade, na compaixão, conforme se lê em Mt 22:37 "amar a Deus acima de todas as coisas" e no mesmo apóstolo, Mt 22:39 "amar o próximo como a si mesmo". Soma-se a estes atos de virtude, o que diz Jo 15:10, "amar uns aos outros como Jesus nos ama". Este conjunto de verdades expressas refletem os Mandamentos do amor deixados por Jesus a seus discípulos e à humanidade. Em sua simplicidade, constituem o resumo de toda a lei e os profetas e é a ela que a Comunidade São Pedro de Rates pretende servir e se dedicar.

O "Santuário Cachoeirense" tem sua história nascido de num ato de amor e um preito de gratidão. Amor a vida, àquela, através da qual o espírito se serve para seu desenvolvimento, crescimento, aperfeiçoamento, elevação e renovação contínua.

Como preito de gratidão pela preservação de vidas, humanas e infra-humanas, foi construído o Santuário na esquina das ruas Francisco de Assis Reis e Domingos Ribeiro de Rezende. Sua forma Arquitetônica é arredondada.

Tanto o círculo, forma representativa da célula, como a própria célula foram os símbolos aí idealizados e construídos. Célula, por ser a menor partícula de matéria viva dotada da capacidade multiplicadora, de auto-duplicação independente. O círculo que, ao ampliar-se, a partir de seu ponto mais interno e central, passa irradiar num ângulo de 180 graus. A célula é a unidade estrutural e funcional dos organismos vivos. A palavra "célula" vem do latim: cellula que significa "quarto pequeno". No futuro, a sociedade cachoeirense poderá contar a história deste Portal morada de Maria, mãe do filho de Deus, a seus filhos. Maria, cuja presença se faz diuturnamente, e que, mesmo sem ser percebida por muitos, a todos abençoa.

Aos que chegam a passeio ou que seguem para sua lida diária, e ou os que sobem o Morro para suas orações. Ponto de Fé e Religiosidade, o "Santuário" tem como guardiões a Comunidade São Pedro de Rates. Este nome surge como uma forma de homenagear os Doadores do Patrimônio de Nossa Senhora do Carmo da cidade - os descendentes de Manoel Antônio Rates. Ao contar a história do Santuário a seus filhos, os pais saberão falar também sobre seu significado e, assim, os símbolos e nomes aí presentes estarão fazendo parte da história das Origens do Carmo da Cachoeira dos Rates, nos idos anos do Brasil Colonial.

A oferta do espaço a ser construído já havia sido decidido como sendo dedicado a presença da Mãe, por irradiar o Amor Incondicional, no entanto, não havia intenção em uma denominação específica. Seria uma Mãe Universal. Numa manhã de domingo, ao ligar o computador com a finalidade de buscar alguns dados para sua pesquisa, um membro o Projeto Partilha, inadvertidamente deve ter tocado alguma tecla e, para sua surpresa, viu aparecer na tela a imagem que representa a Piedade Mariana e a Entrega, a "Mater Admirabilis", que, segundo o contido na "História do Santuário de Schoenstatt". Sociedade Mãe Rainha, a imagem de Maria de Ingolstadt "Mater Ter Admirabilis" é uma cópia da imagem de Nossa Senhora das Neves em Roma, Basílica Maria Maggiore. Nesta Igreja ela tem o nome "Salus Populis Romani". Por duas vezes, no mesmo dia e pela mesma pessoa, foi confirmada esta presença. Assim se definiu, a partir daquele momento que o Santuário teria como orago Mãe Rainha.

A Mãe com o filho no colo, cujo olhar está dirigido a todos os que deles se aproximam. É a Mãe que medeia o contato com seu Filho Unigênito. Ambos servem de sustentáculos para se chegar ao Pai, ao Criador e Espírito Consolador, o Espírito Santo. Uma forma circular propiciando o acesso ao Triângulo Divino - Pai, Filho e Espírito Santo.

Que todos nós e nossos antepassados possamos ser dignos de suas bençãos e proteção e, que todos, sem exceção, possamos atingir o Espírito Santificador. Neste instante, ofertamos a ele esta Prece:

"Vem Espírito Santo,
Acende em nós o fogo do amor,
de um grande e flamejante amor a ti.
Vem, amável hóspede das almas!
Vem, luz dos corações!
Espírito Santo
que habita em nós,
tu és a luz eterna.
Faze tua luz brilhar mais
clara e cristalina em nossa alma."

Agora e para sempre. Amém.

Santuário Mãe Rainha de Carmo da Cachoeira
- Comunidade São Pedro de Rates -
Veja como chegar ao Santuário Mãe Rainha.

Projeto Partilha - Leonor Rizzi

Próximo Texto: O louvor da Comunidade de S. Pedro de Rates
Texto Anterior: Mensagem a uma amiga.

Comentários

Maria Cunha disse…
Parabens a todos pelo empenho dedicação!!! Salve nossa mae Rainha!!!

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.