Gentil Naves e a árvore de Costado.

A Beth, filha do Sr. Gentil (94 anos, saudável, forte, determinado e de rara lucidez) está levantando dados para a organizar sua Árvore de Costado. Busquei contactá-la. Cheguei até a lhe falar ao telefone.

Hoje Carmo da Cachoeira está com temperatura elevadíssima. Céu claro e límpido forrando com sua abóbada a serena e tranquila Cachoeira, no Sul de Minas Gerais. Acabo de chegar de um encontro que tive com o senhor Célio Brasiliense Naves. Entre muitos "causos", envolvendo o dia-a-dia de seus antepassados, citou nomes os quais transcrevo abaixo.

Célio Brasiliense Naves é filho de Eli Brasiliense Naves e neto de Evaristo Brasiliense Naves (diz ele: "esta é a pessoa que você encontrou nos livros de Lavras, lembra?").

"Bem, "Os Bilicos Velhos" - a Bilica, Umbelina Naves de Figueiredo, foi casada com o Bilico Severino Ribeiro de Figueiredo. A Umbelina é de Carmo da Cachoeira. O Severino é de Boa Esperança. Ele veio para Cachoeira quando se casou com Umbelina Naves de Figueiredo que se liga a nossa família. O casal Severino Ribeiro de Figueiredo e Umbelina Naves foram moradores daqui desde o casamento deles. São pais de:
Gentil (pai da Beth a que me referi);
Sebastião, o Tião Biliva, casado com Maria Aparecida e avós da farmacêutica, que se mudou de Cachoeira;
Nilson;
Adelaide;
Madrinha Donana;
Polcina, casada com Wantuil, e ainda moradores na antiga casa dos velhos Bilicas.
→O único já falecido é o Sebastião. "

Projeto Partilha - Leonor Rizzi

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.