Padre José Procópio Júnior em Carmo da Cachoeira

Imagem
Paróquia Nossa Senhora do Carmo sob nova guiança Editorial Sai Pe. Daniel Menezes, e assume como administrador paroquial da acolhedora cidade de Carmo da Cachoeira, em fevereiro de 2019, o Pe. José  Procópio Júnior.
"Não cabe à pedra escolher o lugar que deve ocupar no edifício. Assim também não cabe à nós criaturas ditar ao Criador o que deve acontecer em nossa vida, pois Deus é quem sabe e dispõe com sabedoria própria." − Dom Servílio Conti, IMC Como página que observa os acontecimentos neste pedaço de chão mineiro, limitado por montanhas e que, segundo o cachoeirense Padre Godinho, “todas são azuis”, registramos o remanejamento ocorrido entre padres ligados a Diocese da Campanha no ano de 2019. Entre as mudanças encontra-se a Paróquia Nossa Senhora do Carmo/Carmo da Cachoeira – MG.

Sai nosso querido Padre Daniel Menezes. Por ele continuamos a rezar e o devolvemos, entre lágrimas e a esperança de um dia tê-lo entre nós. Somos eternamente gratos e devedores. Entra, aureola…

O inventário, a igreja e o bar.

O primeiro inventário realizado pela Igreja Matriz da Freguesia do Carmo da Cachoeira traz, entre seus bens, a imagem do Senhor dos Passos. A cidade tinha um ponto dedicado a este Irmão Maior - Jesus Cristo, representado no momento do Calvário. Foi aí, ao derramar seu sangue, que se abriram as portas do Universo. A partir deste momento, as consciências presentes neste sofrido Planeta Terra poderiam alçar voos infinitos. Momento sublime, o da autorização, através do sangue. Um irmão doou-se, e o passaporte tornou-se universal. O homem, residente neste Planeta estava autorizado a conhecer novos, e mais evoluídos mundos - "na Casa do Pai há muitas moradas".

A Igreja do Senhor dos Passos em Cachoeira foi demolida. Em seu lugar instalou-se um bar.

Projeto Partilha - Leonor Rizzi

Próxima matéria: O carpinteiro Manoel Pereira dos Santos Roque.
Artigo Anterior: Os herdeiros de Domingos Ferreira Guimarães.

Comentários

Anônimo disse…
Imagem inventariada e ainda preservada pela Paróquia de Nossa do Carmo - Carmo da Cachoeira, Minas Gerais.

Foto de Evando Pazini - ANO, 2007.
Anônimo disse…
O autoritarismo e o desvio dos preceitos e Leis Espirituais levam homens coligados basicamente as leis opostas - as materiais, a encaminhar decisões e ações àquelas que dão lucro. Assim, como Igreja não dá lucro material, o espaço físico que ocupa poderá ter outros destinos, conforme os "donos do poder"- civil e religioso, melhor o determinarem. Cada um a sua época vão agindo e destruindo, até que a sociedade venha a perceber que poderá intervir, e que a Jurisdição dos Capitães é coisa do passado. É página virada e que, SÓ O AMOR CONSTRÓI. Foi demolida, também, a IGREJA DE SANTO ANTONIO. Hoje o local abriga a Escola da Criança Cachoeirense.
Veja texto de Rodrigo Leonardo de Souza Oliveira, mestrando em História pela Universidade Federal de Juiz de Fora - Minas Gerais: UFJF (Departamento de Pós-Graduação em História. Juiz de Fora, Minas Gerais. CEP 36036-30 - Brasil. Está disponibilizado no site:
História (São Paulo) - A geografia do crime: violência nas Minas Setecentistas - Windows Internet Explorer.
www.scielo.br/scielo.php?
História vol.25 no. 1 Franca. 2006. Revisão Histórica em 2009. Print ISSN 0101-9074.

JANUÁRIO GARCIA LEAL, teve em seu extenso currículo um serviço prestado aos moradores da Vila de Lavras do Funil. O professor Firmino Costa, em seu Boletim Quinzenal do Grupo Escolar de Lavras de n. 9, Ano 1, ao falara sobre a HISTÓRIA DE LAVRASS - Apontamentos - IX, coloca o bilhete histórico:
"Primo, amigo e senhor.
Constando-me que V. Mc. quer arrasar as casas construídas na praça, vou rogar-lhe que tal
não faça (...). Januário Garcia."

Cf.:
www.museu.ufla.br/vida9.htm

Postagens mais visitadas deste blog

Antiga foto da fazenda da Serra de Carmo da Cachoeira.