Pular para o conteúdo principal

O forno à lenha da fazenda Capitinga.

Ajude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço "comentários" para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região.

Há algum tempo atrás este forno estava na ativa. Por ocasião desta foto feita por Evando Pazini, a Lulu da Capitinga, ofereceu a equipe do Projeto Partilha deliciosos pãeszinhos de queijo assados neste forno. A Lulu(in memoriun) é irmã de nossa querida dona Zilah do Percy, e ela estava conosco. No jardim de entrada da casa, um arbusto ostentava garboso, um ninho com filhotes de beija-flor.

Próxima imagem: Foto do arquivo da família Veiga Lima.
Imagem anterior: Nossa Senhora e o Menino.

Comentários

projeto partilha disse…
Uma recordação ofertada a Lulu (in memoriam) PAZ FEITA DE AMOR
Autora - Simone Borba Pinheiro.

A paz se veste de branco
anunciando aos quatro cantos
que tudo na vida é amor.
Tem gosto de algodão doce e
adoça os corações mais
endurecidos pelos dissabores
dos dias atuais.
Exala um suave e
delicado perfume,
aromatizando, como se
fosse o último
A paz é um jardim
repleto de belas flores
à embelezar o mundo.
A Paz é o amor
que todo ser humano
traz no peito
que muitos não
conseguem demonstrar
A Paz é amor.
projeto partilha disse…
Nas belas paisagens, margens do SAPUCAÍ atraiu amigos e parentes (...) no sul da Província de Minas.

Cf.: Galeria dos Brasileiros Ilustres/ José Bento Leite Ferreira de Melo - Wikisource - Windows Internet Explorer

"Em 1810 foi criada a freguesia de Pouso Alegre na capela do Senhor Bom Jesus do Mandu. O padre José Bento compareceu ao concurso feito para provimento dessa igreja, e conseguiu ser apresentado e colado. Logo depois foi nomeado vigário da vara da comarca eclesiástica, ministério que exerceu até o falecimento."

Lembrando que MIGUEL ANTÔNIO RATES/RATTES, filho de MANOEL ANTONIO RATES/RATY, pretendia mudar-se para o MANDU, e tomava as providências para transferir a tutela de seus sobrinhos, filhos de JOSÉ DA COSTA MORAES e de sua mulher MARIA DA PENHA/Pena/Penna. Lá, segundo ele, tinha parentes, ... amigos.
projeto partilha disse…
Talvez tenhamos olhado menos do que o necessário para um espaço geográfico, cuja riqueza histórica é inquestionável. Espaço este, de suma importância em nossos estudos. Trata-se do Arraial Novo do Rio das Mortes - Queluz.
De um olhar pausado sobre alguns inventários, poderá vir resultados surpreendentes àqueles que estão com dados aguardando ligações, como é o nosso caso. Aguardamos, com expectativa encontrar as ligações que nos coloque em contato com dados de MANOEL ANTONIO RATES/RATTES/RATY. Poderemos perscrutar inventários como os disponibilizados por diferentes projetos, e, entre eles os de Bartolomeu de Villas Bôas (filho)- 1829, onde há o registro de muitos, "COSTA". O do capitão Manoel de Jesus Pereira. Ano 1827. Inventariante - Luciana Maria de Jesus. Fazenda Campo Lindo, "casas de morada de Luciana", que, entre seus filhos há uma de nome Emerenciana Elena de Santana, e entre os bens de raiz UMA PONTE, "uma ponte de madeira firmada na Cachoeira do Rio Grande, chamada de Ponte Nova. Não longe daí, e do outro lado do rio Ingaí, há uma passagem onde houve muitas doações de sesmaria - Três Pontes, e que dá acesso a nossa região de busca.
QUELUZ ... Queluz... Que ... Luz!
projeto partilha disse…
Hoje, domingo, ao abrir a caixa de correio convencional do Gapa Cultural havia uma mensagem. Estava escrito da seguinte forma:
DO ARCANJO MIGUEL PARA VOCÊ. Junto, um bilhete manuscrito dizendo o seguinte: "Digitei este texto, se alguém necessitar de cópias é só pedir". Deixou nome, endereço, telefone e e-mail. É uma pessoa nascida aqui em Carmo da Cachoeira e residente, moradora e membro atuante na sociedade cachoeirense.
O Projeto Partilha agradece o regalo e transcreve alguns trechos. Mais uma partilha de um filho da ABENÇOADA CARMO DA CACHOEIRA, no Sul de Minas Gerais, onde muitos dizem: O PARAÍSO É AQUI.

- "Houve desafios e oportunidades durante cada era, que afetaram todo Ser vivo da Terra, e cada decisão, benéfica ou prejudicial, afetava o todo. Todavia, nada nem ninguém pode modificar o plano divino universal, exceto nosso Deus Pai/Mãe. Ciclos sobre ciclos, pessoal, planetário, galáctico, universal e omniversal estão chegando à conclusão, e é como se toda a Criação estivesse se alinhando com o âmago do Criador Supremo."

- "Um componente decisivo para tornar-se um mestre de Si mesmo, a fim de criar um mundo melhor para si e para os outros, é focar e realizar a abertura do portal do seu Coração Sagrado, permitindo assim que as Partículas Divinas da Luz Viva fluam para dentro e através do seu recipiente físico. Vocês estão convidados a pegar o que necessitarem para uso pessoal, e permitir que o restante flua para a Terra e para o sistema de rede cristalina em volta da Terra."

- "Abençoados s/ao aqueles que alinharam a sua vontade com a do nosso Deus Pai/Mãe, para o bem maior de todos. O poder do Deus interno deve ser ativado mediante a intenção amorosa ou permanecerá estático, inativo e não reagirá positivamente. As leis universais são imutáveis; todavia, quando vocês se alinharem com o seu divino, as riquezas dentro do armazém cósmico estarão disponíveis em uma provisão infindável."

- "Lembrem-se, a abundância vem de muitas formas, assim, busquem uma abundância de amor, de alegria, de boa saúde e vitalidade, assim como todas as coisas materiais que vocês necessitam para viver uma vida plena e confortável. Criem beleza, paz e harmonia em sua vida."

- "Irradiamos o amor eterno do nosso Deus Pai/Mãe a cada um de vocês. Nós, das hostes angélicas, somos os seus guardiães e protetores. Invoquem-nos, nós responderemos. Algumas idéias do conteúdo de 07/01/2009.
Gratidão ao voluntário que, pelo que tenho notícias é desvinculado de toda e qualquer religião formal, ou grupos informais de trabalho espiritual. É um cidadão cachoeirense que prima pela ética em suas relações sociais, além de contínuo e persistente buscador da LUZ, voltado, basicamente, ao seu aprimoramento pessoal.
projeto partilha disse…
Continuação - ARY SILVA - Árvore Genealógica Família DIAS DE OLIVEIRA - BUENO, 1987, p.29:

EURICO, pai de :
3. ALARICO, o moço - morreu em 509, oitavo Rei visigodo de 487 a 507; casou-se com Teodogonda, filha de Teodorico, Rei ostrogodo da Itália e décimo rei visigodo da Espanha, durante a menoridade do neto abaixo. Pais de:

4. AMALARICO - Décimo primeiro Rei visigodo. Nasceu em 506, casando-se com Clotilde, filha de Clovis e Santa Clotilde, Reis francos, que abraçaram o cristianismo. Morreu na tomada de Barcelona em 531, combatendo contra seus cunhados Childerico, segundo Rei franco e Clotário, desavindos com Amalarico, por querer este impor à sua mulher Clotilde a religião ariana, senda ela católica; pais de:

5. LEOVIGILDO - décimo sétimo Rei visigodo de 568 a 586, quando morreu. Casou-se com sua prima Theodósia, filha de Severiano, Duque de Cartagena e de Teodóra, filha de Teodorico, décimo Rei Visigodo da Espanha e primeiro Rei Ostrogodo da Itália. Leovigildo foi pai de RECAREDO primeiro (589), e de:

6. SANTO HERMENEGILDO - Martirizado em 585, quando Rei de Sevilha, a mando de seu pai e de sua madrasta Gosvinta, viúva de Atanagildo, décimo quinto Rei Visigodo, por ser católico e seu pai querer obrigá-lo a abraçar a religião ariana. Casou-se com Ingunda, sua parenta, filha de Segiberto, Rei da Austrasia (Lorena) e de Brunechilde, filha de Atanagildo, décimo quinto Rei visigodo da Espanha. Pais de:

7. ATANAGILDO, casado com Flávia Juliana, sobrinha do Imperador Maurício (Império Romano do Oriente), pois Atanagildo foi criado em Constantinopla, para onde fugira com sua mãe Ingunda, depois da morte de seu pai Santo Hermenegildo. Pais de:

8. ARDABASTO - Conde. Casou-se com sua prima Favira, ou Flávia Cidasunta, filha de Flávio Cidasunto ou Cidasuindo, vigésimo oitavo Rei Visigodo e sua mulher Reciberga, sobrinha esta de Santo Eugênio. Flávio Cidasunto era filho de Siuntila primeiro, vigésimo quarto Rei Visigodo. Siuntila primeiro era filha de RECAREDO, primeiro, décimo oitavo Rei este irmão de Santo Hermenegildo e casado com Clodusinda, filha de Segiberto e Brunechilde (Reis da Austrasia) (Lorena). Pais de:

9. FLÁVIO ERVIGIO - 31 Rei Visigodo da Espanha, falecido em 687. Foi eleito Rei em 680 era trineto do décimo sétimo Rei Leovigildo. Casou-se com Luibrigotona, neta de Recaredo primeiro. Pais de:

10. PEDRO - Duque de Cantábria, em 700, pai de:

ll. AFONSO primeiro, o Católico, falecido em 757 e terceiro Rei de Asturias. Casou-se com sua prima ERMIZENDA, filha de PELÁGIO, Duque de Viscaia-711, primeiro Rei de Astúrias e de sua mulher GAUDIOSA, quarta neta de Opilão, irmão de Santo Estevão, Arcebispo de Toledo e ambos filhos de Atanagildo, décimo quinto Rei Visigodo. PELÁGIO era filho de Fávila, morto em 705 e de sua sobrinha Luz, filha de Flávio Cidasunto, vigésimo oitavo Rei. Este Rei e Fávila eram irmãos e filhos de Siuntila segundo, vigésimo sexto Rei e netos de Siuntila primeiro e trinetos de Recaredo primeiro (589). Pais de:

12. VIMÁRIO - Falecido em 766. Morto por ordem de seu irmão FRUELA primeiro, quarto Rei de Asturias, casou-se com Usenda, pais de:

13. BERMUDO primeiro - oitavo Rei de Asturias. Falecido em 795. Casou-se com a Infanta Usenda Numinha de Navarra, pais de:

14. RAMIRO 1 - décimo Rei de Astúrias. Falecido em 850. Casou-se com sua prima Urraca Paterna, filha de D. Diogo Procelos (D. Diogo Rodrigues) segundo Conde de Castela e neta de Aurélio, quinto Rei de Asturias, este filho de FRUELA, irmão de Afonso primeiro, o Católico. Pais de:

15. ORDONHO primeiro - décimo primeiro Rei de Asturias, falecido em 866. Casou-se com D. Munia Donna, pais de:

16. AFONSO terceiro MAGNO primeiro Rei de Leão e décimo segundo de Asturias, falecido em 912. Casou-se com XIMENA de Navarra, filha de Garcia Ininguez, rei de Navarra e de sua mulher D. Urraca, filha de Sancho Sãnchez, conde de Gascunha, pais de ORDONHO segundo.

(Continua)
projeto partilha disse…
Com apoio da FAPEMIG - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais o site, Arquivos Históricos e Documentais de São João Del-Rei - Windows Internet Explorer
www.acervos,ufsj.edu.br/
disponibiliza, Fontes cíveis e criminais dos acervos da Comarca do Rio das Mortes; Acervo do Fórum de Oliveira (Nossa Senhora de Oliveira, na Picada de Goiás).

Está disponibilizado, também, o catálogo do acervo de obras raras e antigas da Biblioteca Baptista Caetano de Almeida - resultado do projeto,"Livros raros ...". Os guias de fontes dos arquivos históricos disponíveis na página LABDOC no endereço da Universidade:
www.ufsj.ed.br. CD - ROM Campanha da Princesa:guia de fontes para a História do Sul de Minas, realizado em parceria com a Universidade do Estado de Minas Gerais - Projeto coordenado pelos professores, Maria Tereza Pereira Cardoso (UFSJ) e Marcos Ferreira de Andrade (UEMG). Projeto, "Justiça e Criminalidade na Comarca do Rio das Mortes - século XIX, e muito, muito mais.

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

O quilombo funcionava de maneira organizada, suas leis eram severas e os atos mais sérios eram julgados na Aldeia de Sant’Anna pelos religiosos. O trabalho era repartido com igualdade entre os membros do quilombo, e de acordo com as qualidades de que eram dotados, “... os habitantes eram divididos e subdivididos em classes... assim havia os excursionistas ou exploradores; os negociantes, exportadores e importadores; os caçadores e magarefes; os campeiros ou criadores; os que cuidavam dos engenhos, o fabrico do açúcar, aguardente, azeite, farinha; e os agricultores ou trabalhadores de roça propriamente ditos...” Todos deviam obediência irrestrita a Ambrósio. O casamento era geral e obrigatório na idade apropriada. A religião era a católica e os quilombolas, “...Todas as manhãs, ao romper o dia, os quilombolas iam rezar, na igreja da frente, a de perto do portão, por que a outra, como sendo a matriz, era destinada ás grandes festas, e ninguém podia sair para o trabalho antes de cumprir …

A família do Pe. Manoel Francisco Maciel em Minas.

Ajude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço "comentários" para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região.


Próxima imagem: Sete de Setembro em Carmo da Cachoeira em 1977.
Imagem anterior: Uma antiga família de Carmo da Cachoeira.

Aparições de Nossa Senhora em Carmo da Cachoeira.

A PADROEIRA
Senhora do Carmo
Informativo da Paróquia Nossa Senhora do CarmoEdição ExtraordináriaFEVEREIRO de2012
Carmo da Cachoeira/MG - Diocese da Campanha

NOTA DE ESCLARECIMENTO AOS PAROQUIANOS Pe. André da Cruz


Ultimamente, o fenômeno de supostas “aparições” de Nossa Senhora têm se multiplicado no, Brasil e em outros países, deixando muita gente confusa, tanto na vivência da Fé cristã, como no discernimento da veracidade dos fatos.
Como pastor dos católicos cachoeirenses ou demais participantes da Paróquia Nossa Senhora do Carmo não posso me furtar a trazer algumas reflexões e esclarecimentos de forma refletida, prudente e baseada nos subsídios doutrinais da Igreja Católica e à luz do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Dessa forma, transmito aos prezados paroquianos algumas orientações feitas pela Conferência Nacional dos Bispos no Brasil, que em seu documento “Aparições e Revelações Particulares”, afirma:
Nos últimos anos, o número de “aparições” e “revelações” particulares, princi…

Antiga foto da cidade de Carmo da Cachoeira.

Ajude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço "comentários" para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região.Foto: Paulo Naves dos ReisPróxima imagem: Imagem da mata da fazenda Caxambu em Minas.
Imagem anterior: Um pouco sobre a região do distrito de Palmital.

Palanques e trincheiras na defesa dos quilombos.

Observando os mapas do Quilombo de São Gonçalo, o da Samambaia e o do Ambrózio, todos com uma duração temporal grande permitindo, em última instância, uma certa estabilidade populacional e social capaz de gerar uma sociedade mais complexa, propiciadora de elementos materiais mais duráveis, percebe-se que eles possuíam muitas semelhanças e dentre elas, a delimitação de seus territórios por fossos, estrepes e trincheiras. Neste território se dava a vida social do grupo, ou seja, as relações econômicas, sociais e provavelmente políticas. As casas dos quilombos estavam divididas entre moradias e casas para atividades específicas, como por exemplo, ferraria, casa do curtume e a casa dos pilões. No Quilombo do Campo Grande, em 1746, foi localizado mais de 600 negros vivendo com “... fortaleza, cautelas e petrechos tais que se entende pretendem se defender-se...”1Uma outra referência sobre o mesmo quilombo, afirma que os quilombolas se defenderam por mais de 24 horas, protegidos por um palan…

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.

Pedro Romeiro de Campos é o ancestral da família Campos do Sul de Minas, especialmente de Três Pontas. Não consegui estabelecer ligação com os Campos de Pitangui, descendentes de Joaquina do Pompéu.Pedro Romeiro de Campos foi Sesmeiro nas Cabeceiras do Córrego Quebra - Canoas¹. Residia em Barra Longa e casou-se com Luiza de Souza Castro² que era bisneta de Salvador Fernandes Furtado de Mendonça.Filhos do casal:- Ana Pulqueria da Siqueira casado com José Dias de Souza;
- Cônego Francisco da Silva Campos, ordenado em São Paulo , a 18.12.1778, foi um catequizador dos índios da Zona da Mata;
- Pe. José da Silva Campos, batatizado em Barra Longa a 04.09.1759;
- João Romeiro Furtado de Mendonça;
- Joaquim da Silva Campos, Cirurgião-Mor casado com Rosa Maria de Jesus, filha de Francisco Gonçalves Landim e Paula dos AnjosFilhos, segundo informações de familiares:-Ana Rosa Silveria de Jesus e Campos, primeira esposa de Antônio José Rabelo Silva Pereira, este nascido em Lagoa Dourada³;
- Joaquim da …

Deus Pai, o Divino Espírito e a Sagrada Família.

Ajude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço "comentários" para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região.Foto: Evando Pazini - Arte: TS BovarisPróxima imagem: Manoel Antônio Teixeira da Fazenda Campestre.
Imagem anterior: Antigo telefone da fazenda da Serra.

Foto de família: os Vilela de Carmo da Cachoeira-MG.

Ajude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço "comentários" para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região.
Esta foto foi nos enviada por Rogério Vilela. Da esquerda para a direita: Custódio Vilela Palmeira, Ercília Dias de Oliveira, Fernando de Oliviera Vilela, Adozina Costa (Dozica), Jafoino de Azevedo e José de Oliveira Vilela (Zé Custódio).
Imagem anterior: Sinopse Estatística de Carmo da Cachoeira - 1948

Barleus e a imagem do Quilombo dos Palmares.

..., só se conhece uma imagem feita sobre Palmares durante sua existência. Trata-se da feita por Barleus1 em 1647 e reproduzida em Reis2. Infelizmente, esta imagem não possui riquezas de detalhes ou de informações. Aparentemente, trata-se de um posto de observação à beira de um rio que serve de local de pescaria coletiva.
Trecho de um trabalho de Marcia Amantino.

Próximo Texto: O negro aquilombado e a população colonial.
Texto Anterior: Padre Vieira e a legítima sua organização dos quilombos.
Figura: Imagem de Palmares - Barleus
1 Barleus, Gaspar. História dos feitos recentemente praticados durante oito anos no Brasil. Belo Horizonte: Itatiaia, 1974.
2 REIS, João José e GOMES, Flavio dos S. Liberdade por um fio: história dos quilombos no Brasil. São Paulo: Cia das Letras, 1996. p. 33

A importância e o trabalho dos ferreiros.

Pode-se perceber nos mapasfeitos sobre os quilombos que o espaço interno da estrutura era usado de maneira a indicar uma provável especialização das diferentes construções. Esta espacialidade poderia indicar uma certa hierarquia social dentro da comunidade. O fato de que a casa de ferreiro (São Gonçalo), a Casa do Conselho e do Tear (Perdição), a Casa de audiência (Samambaia) e a Casa do Rei (Braço da Perdição), estarem sempre em local destacado é sugestivo. O que isto pode indicar? É possível a partir destes dados, pressupor que houvesse no interior das comunidades quilombolas uma hierarquização política e social, já que elementos que desempenhavam um papel de destaque para a manutenção dos grupos claramente tinham seu espaço físico igualmente destacado.
O caso das Casas de ferreiro que aparecem no quilombo da Samambaia e no de São Gonçalo é curioso porque pode nos remete à uma prática antiga na África, ou seja, o uso do metal. É provável que os quilombolas utilizaram-se desse conhec…