O beija-flor e a rosa.

- Teu perfume, senti, à distância,
Embriagador!
Não resisti à fragrância,
Ó minha flor!

Teu perfume era um convite
Tão sedutor,
Que, mais que a força permite,
Vim voando, meu amor!

- Meu coração bate forte,
Ó meu amor,
Ante teu garbo e teu porte,
Meu beija-flor!

Tua plumagem tão bela
E tua cor
Dariam a mais rica tela
De um pintor!

Gostaria de beijar-te,
Ó minha flor!
Mas receio magoar-te,
No meu ardor!

Nunca vi mais bela rosa
Em outro jardim!
Quero beijar-te, ó formosa
Flor de carmim!

Resistir já não devo,
Rosa gentil
Ao contemplar-te, com enlevo
O teu perfil!

- Não posso mais esperar
Pelo teu beijo!
Oh, Vem depressa matar
O meu desejo!

Eu agradeço teu beijo,
Meu beija-flor!

Volta de novo, que almejo
O teu amor!

Trecho da obra:
Encontros e desencontros
de Maria Antonietta de Rezende

Projeto Partilha - Leonor Rizzi

Próximo Texto: No meio da minha praça, existe uma bela igreja.
Texto Anterior: Caminhando sobre as águas com Cristo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.

Palanques e trincheiras na defesa dos quilombos.