Padre José Procópio Júnior em Carmo da Cachoeira

Imagem
Paróquia Nossa Senhora do Carmo sob nova guiança Editorial Sai Pe. Daniel Menezes, e assume como administrador paroquial da acolhedora cidade de Carmo da Cachoeira, em fevereiro de 2019, o Pe. José  Procópio Júnior. "Não cabe à pedra escolher o lugar que deve ocupar no edifício. Assim também não cabe à nós criaturas ditar ao Criador o que deve acontecer em nossa vida, pois Deus é quem sabe e dispõe com sabedoria própria." − Dom Servílio Conti, IMC Como página que observa os acontecimentos neste pedaço de chão mineiro, limitado por montanhas e que, segundo o cachoeirense Padre Godinho, “todas são azuis”, registramos o remanejamento ocorrido entre padres ligados a Diocese da Campanha no ano de 2019. Entre as mudanças encontra-se a Paróquia Nossa Senhora do Carmo/Carmo da Cachoeira – MG. Sai nosso querido Padre Daniel Menezes. Por ele continuamos a rezar e o devolvemos, entre lágrimas e a esperança de um dia tê-lo entre nós. Somos eternamente gratos e devedores. Entr

Eis aí a razão do meu pranto.

Vai começar o espetáculo!
O rei, apoiado em seu báculo,

Entra em cena e, em seu trono toma assento.
Descerra-se a cortina, em tempo lento.

Um outro personagem entra em cena
E chora, chora tanto, que dá pena!

- Por que choras tanto assim, Fantoche?!
- Porque não aguento mais tanto deboche!

Não suporto mais ver esta nação
Tão mergulhada na corrupção!
Não suporto mais tanto cinismo
Eu, que já tive tanto idealismo!

Eu sempre sonhei ver este país
Soberano e sua gente mais feliz.

Mas vejo que sou este visionário,
Um Quixote infeliz e solidário.

Eu sempre fui um cidadão honesto,
Por isso, estou lançando o meu protesto!

- Vejamos então, a que é que tens direito?
- Naturalmente ao respeito!

E principalmente à liberdade
E, ainda, à honestidade!

- Como vives tu, Fantoche?
- Naturalmente, manipulado!
Acintosamente, usado!
Sistematicamente, controlado!
Compulsoriamente, pressionado!
Conscientemente, enganado!

- Por que clamas tu, Fantoche?
- Eu clamo por justiça,
E também contra a preguiça!

- O que reclamas, Fantoche?
- Reclamo contra a violência!
- Reclamo por transparência!
Ah! Não gasto mais a minha dialética,
Onde existe absoluta falta de ética!

Eis aí a razão do meu pranto.
Cai o pano. Desencanto.


Trecho da obra:
Encontros e desencontros
de Maria Antonietta de Rezende

Projeto Partilha - Leonor Rizzi

Próximo Texto: Maio, o incipiente friozinho e a cristandade.
Texto Anterior: Lágrima de Cristo, à valorosa corporação musical

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A família do Pe. Manoel Francisco Maciel em Minas.

Antiga foto da fazenda da Serra de Carmo da Cachoeira.

As três ilhôas de José Guimarães.