A temperança deve ser lembrada.

A virtude da temperança é uma moderação pela qual permanecemos senhores de nossos prazeres e não seus escravos.

É desfrutar com alegria.
Saborear com serenidade, por ser bem controlado.

É a virtude que envolve as "necessidades naturais", alimento, repouso, reprodução.
No mundo atual a propaganda age como um convite à intemperança.
Fundamentalmente a propaganda visa estimular o consumo ao máximo e isto é um convite ao abuso, à intemperança.
Portanto, nos dias de hoje, a temperança é a virtude mais carente. Converse sempre, com seus filhos, sobre a temperança.

Observe a linha geral das propagandas:
"Compre um, leve dois".

Seja um glutão, coma enormes pizzas, gigantescos sanduíches, copos imensos dos açucarados. A intemperança a serviço do lucro e sem preocupação com o desequilibrio da saúde, que possa acarretar.
Alimentação mal equilibrada, em atendimento à maximização do lucro. Se há uma maneira de obter riqueza (dinheiro), não importam as obesidades, as celulites, os inúmeros problemas decorrentes das repetidas refeições inadequadas a uma boa saúde.
Bebida que desce bem, refresca até calores estranhos, desperta atrações, solta a língua, favorece o relacionamento. Beba, beba e beba!
Atente bem! Cada vez mais o lazer parece significar intemperança e bebida!
Hoje, vemos as crianças afrontadas por comidas que saciam a fome, mas não alimentam. São vítimas da intensiva propaganda de guloseimas, que as deixam gorduchas, pela falta de orientação e exercício.
Lembre-se, a prudência manda que se vigie os filhos para se evitar vê-los, amanhã, prisioneiros da intemperança.

O mundo, bom de se viver, se desfruta com moderação.

Contatos com o autor pelos endereços eletrônicos:

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.