Padre José Procópio Júnior em Carmo da Cachoeira

Imagem
Paróquia Nossa Senhora do Carmo sob nova guiança Editorial Sai Pe. Daniel Menezes, e assume como administrador paroquial da acolhedora cidade de Carmo da Cachoeira, em fevereiro de 2019, o Pe. José  Procópio Júnior.
"Não cabe à pedra escolher o lugar que deve ocupar no edifício. Assim também não cabe à nós criaturas ditar ao Criador o que deve acontecer em nossa vida, pois Deus é quem sabe e dispõe com sabedoria própria." − Dom Servílio Conti, IMC Como página que observa os acontecimentos neste pedaço de chão mineiro, limitado por montanhas e que, segundo o cachoeirense Padre Godinho, “todas são azuis”, registramos o remanejamento ocorrido entre padres ligados a Diocese da Campanha no ano de 2019. Entre as mudanças encontra-se a Paróquia Nossa Senhora do Carmo/Carmo da Cachoeira – MG.

Sai nosso querido Padre Daniel Menezes. Por ele continuamos a rezar e o devolvemos, entre lágrimas e a esperança de um dia tê-lo entre nós. Somos eternamente gratos e devedores. Entra, aureola…

Romão Fagundes e o Retiro dos Pimentas.

Em 1771, Romão Fagundes adquire, por compra, a Sesmaria do Lambari, em Cristais. A extração do ouro atinge uma grande dimensão territorial: o vale do Rio Grande, Rio das Mortes, Cristais, Campo Belo, Cana Verde e Perdões.

O povoado denominado Retiro dos Pimentas tem sua história diretamente ligada ao arraial do Senhor Bom Jesus dos Perdões, constando, em relatos, a presença de Romão Fagundes¹ nessa localidade, trabalhando a extração do ouro. Consta, ainda, em registros, a construção da Capela de São Sebastião que, com o passar dos anos, foi demolida, sendo outra edificada no mesmo local.

Através de documento histórico do Arquivo Público Mineiro², podemos também comprovar sua presença, como morador do distrito da Mata do Senhor Bom Jesus dos Perdões, ano de 1772, "terras à beira do Rio Grande".

Trecho da Obra: Perdões e Sua História - Profª Cleuza Carvalho Marques

Próximo trecho: A professora Marques e a construção da história.
Trecho anterior: Perdões e Romão Fagundes do Amaral.

1. Texto2. Fragmento manuscrito da Carta de Sesmaria concedida a Manoel Correia Guimarães (Correa).

Comentários

Anônimo disse…
minha mae me disse as historias dele e ele era o tataravo ou alguma coisa parrecida da minha avô, que uma vez ele fez um caxo de banana de ouro e deu para a rainha ou rei nao lenbro direito e essa rainha escondeu numa caverna la em perdoes e ninguem consegue entrar naquela caverna, por que luz nenhum dura la velas apagam luzes falham lamparina apaga nao tem como entrar la por que nada funciana rss meu nome é Douglas Fagundes Cândido
Toca das Feras disse…
o de cima ai é eu gente heh
Anônimo disse…
Meu nome é Antonio Joaquim Fidelis, eu nasci no povoado do RETIRO DOS PIMENTA la nos anos de 1945. Eu tambem já ouvi está historia do Romão Fagundes, estou em duvida até hoje ????? será que
ninguem se apropiou deste famoso caxo de banana rsrsrsrsrs

Postagens mais visitadas deste blog

Antiga foto da fazenda da Serra de Carmo da Cachoeira.