Jacob Dias de Carvalho declara a morte da esposa.

Declarou o dito cabeça de casal que a defunta sua mulher fora natural da Vila de Taubaté, Comarca de São Paulo, filha legítima de Manoel Pereira da Silva e de Joana Ayres (...). Filhos declarados, entre outros:

- Andreza, de idade de trinta e um pouco mais ou menos casada com Domingos dos Reis e Silva assistente (?) termos da Vila de São João Del Rei desta Comarca.

Obs.: " (...) cujo sítio parte com João de Ávila e João de Mello, Francisco Xavier de Souza, Manoel Machado Pestana (...)".

Projeto Partilha - Leonor Rizzi

Próxima matéria: Luiz Dias de Carvalho, o filho de Jacob.
Artigo Anterior: O testamento do Padre José Dias de Carvalho.

Comentários

projeto partilha disse…
Antonio dos Reis e Silva, filho de Domingos dos Reis Silva aparece no Censo do ano de 1831, assinado pelo Juiz de Paz, João Luís França, Relação dos Habitantes de São Francisco de Assis da Onça. Vila de São João del Rei, da seguinte forma:

Fogo 115 - Antonio dos Reys e Silva, branco, 72 anos, casado, ocupação lavoura.
- Maria Clara de Resende, casada, branca, 51 anos.
- Querino dos Reys Silva Resende, branco, 28 anos, solteiro, ocupação - família.
- Geraldo, branco 23 anos, solteiro.
- Manoel, branco, 22 anos, solteiro.
- Francisco, branco 11 anos.
- Josefa, branca, 15 anos, solteira.
projeto partilha disse…
Francisca de Paula dos Reis, nascida em 1781, filha de Antonio Bernardes dos Reis /Antonio Bernardo dos Reis e Maria Crescência Angélica.
Cf. Projeto Compartilhar, Inv. de Manoel Antonio Paes Rabelo, casado com Izabel Pedrosa de Brito.

Aproveitem para ver também no Projeto Compartilhar. Inventário de José Bernardes dos Reis Pinto, inventariado em 1889, sendo seu inventariante o filho Sebastião Bernardes Pinto. Ele foi casado com dona Ana UMBELINA dos Reis. Foram moradores na Fazenda da Solidade, da Freguesia de Nepomuceno de Lavras. Entre os bens estavam um terreno ao pé da capela de São Sebastião do PORTO DOS MENDES e uma casa que divide com João Honório Costa, dona Maria Fernandina. Francisco José Pinto, o filho casado com com dona Ana Felisbina de Carvalho morava na Fazenda Solidade.
projeto partilha disse…
Em "ESCRAVOS E A MORTE: Uma sondagem nos registros paroquiais de óbitos de Minas Gerais colonial", Renato Pinto Venancio, selecionou para seu trabalho três paróquias, Campanha foi um delas. O trabalho, pela UNICAM, foi apresentado no XI Encontro Nacional de Estudos Populacionais da ABEP, descrito nas páginas 1299 a 1306.
Algumas tomadas:
- A Igreja católica sempre conferiu uma importância muito grande aos sacramentos que precediam a morte.

- No caso específico de Minas Gerais, a atividade religiosa se restringiu, pelo menos na primeira metade do século XVIII, às atividades paroquiais.

- Em nosso levantamento selecionamos as atas de óbitos de três paróquias mineiras. Mariana, ocupada em fins do século XVII, e sede do primeiro bispado mineiro. Diamantina, área povoada na década de 1720 e que foi alvo de uma rígida política metropolitana de isolamento. A terceira paróquia selecionada pertencia à Vila de Campanha, situada no Sul de Minas, subordinada ao distante bispado de São Paulo e voltada, desde o início do século XVIII, ao abastecimento das regiões auríferas.
JUNIOR CALDEIRA disse…
Capitão Antonio dos Reis e Silva, casado com Maria Clara de Rezende; pai de Ana Paulina de Rezende entre muitos. Ana Paulina de Rezende foi casada com JOSÉ DE SOUSA MEIRELLES.

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.

Palanques e trincheiras na defesa dos quilombos.