A epidemia de Bexiga em Perdões, Minas.

A preocupação com a varíola e a tuberculose era grande nomeio da população e, nesse ano (1913), uma forte epidemia de varíola, a "bexiga", assola o povoado do Cerrado, uma doença que facilmente se espalha entre a população e que, na maioria das vezes, leva à morte. Por iniciativa de Custódio Felipe de Carvalho, junto ao Coronel Leopoldo Dias de Oliveira é realizada uma barreira de contenção e a epidemia não se espalha pelo município.

Custódio Felipe de Carvalho era encarregado de levar alimentos e medicamentos. Um posto foi instalado em um ponto indicado, onde havia uma porteira e, ali, Custódio Felipe realizava a entrega a dois guardas que encaminhavam à comunidade. A sua fazenda, também no Cerrado, ficava fora da área de risco, mas mesmo assim, ele prestou toda assistência aos moradores e, sob sua orientação, os mortos foram enterrados em um cemitério local, que hoje já foi transformado em pasto para animais. Segundo informações, o cemitério dos portadores da "bexiga" ficas próximo à Igreja do Cerrado e o marco é o cruzeiro ali construído.

Trecho da Obra: Perdões e Sua História - Profª Cleuza Carvalho Marques

Próximo trecho:
Trecho anterior: Antônio Augusto da Luz e a 1ª escola mineira.

Para adquirir a obra: José Pedro dos Santos ME - Tel: (35) 3864-1939 -
- Av. Régis Bittencourt, 12, Perdões, MG. -

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.