Helena Maria de Jesus ou Helena Maria Rezende

Helena Maria, como é citada com maior frequência, Helena Maria de Rezende (pelo casamento), ou Helena Maria de Jesus, segundo consta nos testamentos de seus filhos Julião da Costa Rezende e Maria Helena de Jesus, e no assentamento de batismo de sua filha Teresa Maria de Jesus, era a mais nova das Três Ilhoas. Natural da freguesia de N. Sra. das Angústias, da vila de Horta, ilha do Faial, Bispado de Angra, onde nasceu em 15-1-1710 e foi batizada aos 19-1-1710. Passou para o Brasil em 1723, na companhia de sua mãe Maria Nunes e suas irmãs Júlia Maria da Caridade e Antônia da Graça, esta última junto com o marido Manuel Gonçalves da Fonseca e suas filhas menores Maria Teresa e Catarina de São José.

Desembarcaram no Rio de Janeiro, passando para Minas na companhia do conterrâneo Diogo Garcia que já se encontrava no Brasil, passando a residir no Rio das Mortes Pequeno, da freguesia de São João del-Rei. Uma sobrinha de Diogo era casado com o irmão das Três Ilhoas (Antônio Nunes).

Helena Maria de Jesus casou-se em 3-10-1725 na Matriz de N. Sra. da Conceição dos Prados, comarca do Rio das Mortes, com João de Rezende Costa, nascido cerca de 1695 na freguesia de N. Sra. da Assunção de Vila do Porto, Ilha de Santa Maria (Açores), filho de Manuel de Rezende e de Ana da Costa, que já eram falecidos naquela data.

Trecho da obra As Três Ilhoas.

Próxima imagem:
Imagem anterior: Três Ilhoas e uma explicação necessária.

Comentários

projeto partilha disse…
Júnior Caldeira.

Volte sempre. Sua presença é sempre enriquecedora. Por favor, ajude-nos nas ligações que você conhece e reconhece. Juntos, um dia, todos nós de mãos dadas iremos participar da grande festa de integração. Aí, os "do presente", representando os seus, "do passado" brindarão. O brinde será pela UNIÃO INTEGRADORA, pelo amor incondicional. Não é isto que prega a Carta marco pelos Direitos Humanos, outorgada em 1948?. Ela nos apresenta como uma irmandade fraterna, nos reestabelece a dignidade, nos fez lembrar de que somos todos irmãos, independente de credo, cor, raça, nacionalidade e origens.
Contamos com você e a força dos "Reis" de Carmo da Cachoeira, no Sul de Minas Gerais.
LUZ E HARMONIA A TODOS.
Junior Caldeira disse…
Obrigado pelo convite !
Vou além da Carta dos Direitos Humanos, respeitando as outras grandes religiões e seus mestres, vou ater me ao maior deles - CRISTO - pois sou cristão e no aprendizado com Jesus Cristo, a irmandade fraterna, dignidade e no tratar como filhos do mesmo PAI realmente somos todos irmãos.
Podem contar com a minha participação e gratidão por esta oportunidade.
projeto partilha disse…
Amém.

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.

Palanques e trincheiras na defesa dos quilombos.