A família Moraes D'Antas no Sul de Minas.

Dona Anna Pires de Oliveira, é filha da bisneta de Balthazar de Moraes de Antas - dona Anna de Moraes Madureira (2-5), casada com Mathias de Oliveira no ano de 1679¹. Anna de Moraes Madureira foi filha de Francisco Velho de Moraes e de dona Francisca da Costa Albernaz.

Dona Anna Pires de Oliveira foi casada com Antônio Vieira de Moraes, filho de Francisca de Macedo e Moraes².

- Tanto dona Francisca de Macedo, como a Baronesa de Cabo Verde³ foram filhas de Carlos de Moraes Navarro e Maria Pedroso; e
- Dona Francisca de Macedo e Moraes foi casada com o português Antonio Vieira de Moraes pais de Teresa de Moraes, casada com André do Valle Ribeiro, pais de Ângela de Morais Ribeiro (Ribeira), casada com José Gomes Branquinho e pais de José Joaquim Gomes Branquinho da Fazenda-Sede do Distrito do Carmo da Boa Vista, Município de Lavras do Funil.

A partir de Francisco Teodoro Teixeira, casado com Maria Emerenciana Andrade, em 14.09.1818, filha legítima do alferes Manuel Joaquim de Santa Ana (Santana/Sant'Ana) e dona Venância Constância de Andrade, batizada em Carrancas. A pesquisadora Maria Esther Teixeira4 cita Antônio Vieira de Moraes, casado com dona Francisca Macedo, com sendo Antônio Vieira Dourado. Portanto, as expressões:

ANTÔNIO VIEIRA DOURADO / ANTÔNIO VIEIRA DE MORAES

... correspondem ao mesmo personagem de origem portuguesa e casado com a descendente da tradicional família portuguesa, "Moraes D'Antas".

Projeto Partilha - Leonor Rizzi

Próxima matéria: O testamento Inocência Constança de Figueiredo.
Artigo Anterior: Francisco Rodrigues e os Garcia Duarte.

1. Genealogia Paulistana.
2. O inventário de André do Vale Ribeiro faz menção expressa à sua sogra, com o nome de “Francisca de Macedo e Moraes”. Era filha de Maria Raposo e de Carlos de Moraes Navarro (*1633 +1672), o qual, por sua vez, era filho de Anna de Moraes Pedroso (*1616 +1647), casada com o primo de sua mãe, Capitão Pedro de Moraes Madureira. O Capitão Pedro teve por pais Leonor Pedroso e Pedro de Morais D’Antas (vereador em São Paulo em 1600), o qual era filho de Brites Rodrigues Annes e Balthazar de Moraes de Antas, sendo esses “Moraes D’Antas” uma tradicional família portuguesa.
3. Josefa Amelia dos Santos Bueno
4. TEIXEIRA, Maria Esther. Carrancas - Laços e entrelaços familiares. Editora Komedi. Campinas. 2005. Unidade 1. Parte 1. Tronco Um - esquematiza às fls.29 e 30 os ascendentes e descendentes, a partir de seu Testamento no 1874. Caixa 141, maço 1. Museu São João del Rei. O esquema 2, parte 2, fls.30.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.