A sesmaria e provisões de Luís Correa Lourenço.

Luís Correa Lourenço recebeu provisão para a Ermida/Capela de São Antonio, no "Certão das Três Pontes", conforme nos mostra documento transcrito pelo professor e pesquisador em Mariana, Minas Gerais, José Geraldo Begname.

As Provisões em nome de Luís Correa Lourenço:

Arquivo da Arquidiocese de Mariana (AEAM).
Pesquisador - José Geraldo Begname, historiador, professor e pesquisador

Assunto - Ermida
Localidade - LUIS CORREA LOURENÇO.
Referência - Livr. de Provisão 1777-1778, fl.32;

Assunto - Ermida
Localidade - Luís Correa Lourenço.
Referência - Livr. de Provisão 1779-1780, Tomo I, fl.19v.

Assunto - Ermida
Localidade - Sertão das Três Pontes, Luís Correa Lourenço. Invocação de Santo Antonio. Freguesia Lavras do Funil, Liv. de Provisão 1770-1771, fl. 24v.

A História

O historiador e genealogista Paulo Costa Campos, encontrou e registrou em sua obra, editada no ano de 2004, algumas Sesmarias em nome do mesmo Luís Corrêa Lourenço. Uma delas, em terras vizinhas a das Duas Barras, de Manoel Ferreira Guimarães. Das referidas citações, e buscando como recurso a análise de mapas, localiza-se neles rios e ribeirões. O Ribeirão Parapetinga (com as Duas Barras), o Rio do Cervo, onde cruza uma estrada vinda de Carrancas. Próximo deles, o Rio Angahy, com sua fazenda Pinheirinhos ou seja, Angahy Velho, local onde moraram os ancestrais dos "Ferreiras Avelinos" com descendência em Carmo da Cachoeira.

Um dos descendentes é o Manoel Ferreira Dias, o Neca da Selma, e outro á a família do Geraldinho do Som.

Com Mons. Lefort ficamos sabendo da Sesmaria recebida por Padre José Bento Ferreira, em 1752. Era uma sesmaria de enormes proporções. Nela o Reverendo Padre deveria abrir um caminho que ligasse Lavras do Funil à Campanha da Princesa. E que estivesse livre de alagados e alagadiços. A opção foi traçá-lo de forma que corresse no mesmo sentido do rio Ingaí, no entanto fugindo das margens alagadiças. Esta estrada passa próximo deste dito "Certão das Três Pontes". Nas terras de Pe. José Bento Ferreira, mais ao norte e na qual existe uma Ermida/Capela com várias Provisões, conforme o relatório a nós enviada pelo prof. Begname, é a chamada de São Bento do Campo Belo, hoje transformado no Município de São Bento do Campo Belo, antigo Eremita, e ex-distrito de Carmo da Cachoeira, Minas Gerais. Lembrando que houve uma mudança de local da sede administrativa do que conhecemos hoje como sendo o município de Carmo da Cachoeira.

Inicialmente o distrito da Boa Vista e pertencencia a Lavras do Funil, sendo transferida, mais tarde, para a Cachoeira dos Rates (Rattes), onde está até os dias atuais. No que era o Distrito de Carmo da Boa Vista, e bem próximo da fazenda do mesmo nome, de propriedade de José Joaquim Gomes Branquinho, ficava a Ermida/Capela do Padre Bento, ou seja a Ermida de São Bento do Campo Belo, instalada junto do caminho por ele aberto em terras da Sesmaria recebida. Ali, nesta Ermida, em 23 de novembro de 1779 casou-se Madalena Francisca de Jesus com Joaquim Pereira de Macedo, natural de Guarapiranga.Madalena Francisca era irmã, entre outros, de José da Silva Teixeira, filho de Simão da Silva Teixeira (nasc. 1712) e de Caetana Francisca de Jesus (nasc. em 1725). Pessoal procedente de São Miguel do Cajuru. José da Silva Teixeira, era afilhado de Diogo Garcia de da Ilhoa Júlia Maria da Caridade. Ele recebeu uma Sesmaria, em 1768, no Córrego Pinheiros, Lavras, entre as terras das Sesmarias de Alexandre de Souza Sobral e de Luís Correa Lourenço.

Projeto Partilha - Leonor Rizzi

Próxima matéria: Algumas fontes consultadas pelo Projeto Partilha.
Artigo Anterior: Registro do Livro de Provisões de 1770-1771.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.