Processo de Morigus do Padre Joaquim Leonel.

Documento encomendado pelo Projeto Partilha.
Transcrição de José Geraldo Begname.

Testemunhas no Processo de Moribus do Pe. Testemunhas de Moribus¹:

Aos 21/3/1798, no arraial de Lav. do Funil em casas do Ver. Joaquim Dias de Oliveira foram inqueridas as testemunhas abaixo:

- José Pereira Godinho, solt. nat. da freguesia de SJD Rei, alfaiate, morador no arraial de Lav. do Funil, 37 anos, assina.
- Cap. Antônio Justiniano Monteiro de Queiroz, nat. da freg. de Lav. do Funil, colt. negociante de negros, morador no arraial de Lav. do Funil, 24 anos, assina.
- Manoel Antônio Teixeira, nat. da freguesia de Freixe de Baixo, arceb. de Braga, casado, vive de negócio de fazenda seca e negros, morador no arraial de Lav. do Funil, 31 anos, assina.
- Custódio Luiz Afonso, solt. nat. da freguesia de Congonhas, Prof. de Primeiras Letras, morador no arraial de Lav. do Funil, 36 anos, assina.
- Alf. Thomé Ignácio Botelho, nat. da freguesia de Lav. do Funil, morador no arraial de Lavras do Funil, vive de negócio de fazenda seca, 25 anos, assina.

Testemunhas de Moribus²:

Tomado aos 16/4/1798 em Mariana em casas do Muito Rev. Antonio Alves Pereira Rodrigues. Todos estudantes do Seminário, nat. de diversas regiões. Somente um de SJD Rei: Gabriel de Souza Diniz, 24 anos.

Nota: as testemunhas de Patrimônio foram todas de SJD Rei, onde possuía uma casa. Por isso, não tomei nota delas.

Fim das informações sobre o processo de habilitação sacerdotal.

Projeto Partilha - Leonor Rizzi

Próxima matéria: Documentos analisados pelo Projeto Partilha.
Artigo Anterior: "De Genere" de Joaquim Leonel de Paiva e Silva.

1. Moribus fl.8-12.
2. Moribus, fl.17-21.

Comentários

projeto partilha disse…
Errata. Tipo de erro - digitação.
Leia-se MORIBUS, ao invés do que constou. O PROCESSO que nos passa informações sobre o Pe. Leonel é de MORIBUS.

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.