Padre José Procópio Júnior em Carmo da Cachoeira

Imagem
Paróquia Nossa Senhora do Carmo sob nova guiança Editorial Sai Pe. Daniel Menezes, e assume como administrador paroquial da acolhedora cidade de Carmo da Cachoeira, em fevereiro de 2019, o Pe. José  Procópio Júnior.
"Não cabe à pedra escolher o lugar que deve ocupar no edifício. Assim também não cabe à nós criaturas ditar ao Criador o que deve acontecer em nossa vida, pois Deus é quem sabe e dispõe com sabedoria própria." − Dom Servílio Conti, IMC Como página que observa os acontecimentos neste pedaço de chão mineiro, limitado por montanhas e que, segundo o cachoeirense Padre Godinho, “todas são azuis”, registramos o remanejamento ocorrido entre padres ligados a Diocese da Campanha no ano de 2019. Entre as mudanças encontra-se a Paróquia Nossa Senhora do Carmo/Carmo da Cachoeira – MG.

Sai nosso querido Padre Daniel Menezes. Por ele continuamos a rezar e o devolvemos, entre lágrimas e a esperança de um dia tê-lo entre nós. Somos eternamente gratos e devedores. Entra, aureola…

Garcia D'Avila e a família Alencar.

José Roberto de Alencar Moreira1 contanos que a família Alencar, os Alencares no Brasil tem sua origem na colonização do interior da Bahia devido a expansão pecuária, que dava suporte às usinas de cana-de-açucar, e seguiu margeando os grandes rios. Garcia D'Avila foi iniciador deste grande movimento de penetração povoadora, mas este só atravessou o rio São Francisco (que também era conhecido por rio dos currais) após a capitulação dos holandeses em meados do século XVII. Na segunda metade do século XVII, exploradores vindos da Bahia a serviço da "Casa da Torre" dos "Garcia D'Avila", junto com os bandeirantes paulistas, começaram a devassa da região onde viviam os belicosos índios cariris. Esta região localiza-se nos limites do que hoje são o oeste de Pernambuco, oeste da Paraíba do sul do Ceará.

Lembrando que a "Casa da Torre" dos Garcia D'Avila tem ligação com São Pedro de Rates (Rattes). Na região de Minas Gerais, assinalados os seguintes pontos: Alfenas, Itajuba, Rio Preto, além de São Paulo e Rio de Janeiro2. Moreira nos esclarece: "Com a queda do preço da borracha a família Seixas de Alencar mudou-se em 1920 para Bragança (PA) e depois para Santa Bárbara (AM), onde José Pordeus de Alencar trabalhou como comerciante (...). Em 1924, a família estava em Itajubá (MG). Em 1925, Alfenas (MG)".

Projeto Partilha - Leonor Rizzi

Próxima matéria: As famílias Conceição e Rezende por Célio Elias.
Artigo Anterior: O inventário de João Daniel de Carvalho de 1808.

1. Moreira, José Roberto de Alencar - História da família Seixas de Alencar. Brasília, 200, p.21.
2. Idem, p. 38.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Antiga foto da fazenda da Serra de Carmo da Cachoeira.