A descendência de Gomes Antônio do Nascimento.


Segundo Thomazelli1, Gomes Antônio do Nascimento, foi casado com dona Antônia Josefa da Conceição de Oliveira, filha legítima de Antônio Luís dos Santos (natural de Prados) e de dona Maria Josefa da Conceição (primeiro casamento em Aiuruoca e segundo em Campanha).

Antônio Luís dos Santos faleceu viúvo em São Thomé das Letras aos 80 anos, aos 04 de novembro de 1846, foram pais de:

1. Antônia Josefa da Conceição Oliveira, casada com Gomes Antônio do Nascimento;
2. Maria Antônia de Oliveira, casada com José Francisco Teixeira. Foram pais de, pelo menos:

→ Ana Joaquina do Espírito Santo casada com José Gonçalves de Góis, que faleceu em São Thomé das Letras aos 71 anos de idade, em 25 de março de 1874; e
→ Manuel José Gonçalves casado com Umbelina Maria de Cássia, filha legítima de Tomé Gonçalves Valim e de dona Vicência Umbelina de Cássia. Dona Umbelina Maria de Cássia faleceu em São Thomé das Letras, aos 23 de julho de 1897.

O quarto filho de Manuel e Umbelina, o Antônio José dos Santos, casado com dona Ana Maria de Jesus, foram pais de João, nascido e batizado em São Thomé das Letras, no ano de 1870. Foram padrinhos de João: Manuel José do Nascimento de dona Maria Rita do Carmo, mulher de João Ribeiro de Moraes.

Matéria baseada na obra:
As famílias de nossa família (mineiros e paulistas)
de Apparecida Gomes do Nascimento Thomazelli

Projeto Partilha - Leonor Rizzi

Próximo Texto:
Texto Anterior: Dona Maria Teresa de Jesus, madrinha de Anna Francisca do Valle.

1. Thomazelli, Apparecida Gomes do Nascimento, 1984. As famílias de nossas famílias (mineiros e paulistas). Belo Horizonte/ São Paulo, ed. do autor, p. 123

Comentários

projeto partilha disse…
HERÓI DA GUERRA DO PARAGUAI citado na obra de APPARECIDA GOMES DO NASCIMENTO THOMAZELLI, p. 318.

CLEMENTE ANTÔNIO MARQUES.

HERÓI DA GUERRA DO PARAGUAI, para a qual seguiu como voluntário.

Reza a crônica da Família que, durante os longos anos em que essa guerra se arrastou, contingentes e mais contingentes de jovens eram recrutados pelo Interior afora, nas cidades e nas fazendas. Por fim, nem mesmo os da mais tenra idade escapavam, ainda que apenas adolescentes. Somente os casados conseguiam dispensa. Daí os mais disparatados e apressados casamentos de jovens com mulheres muito mais velhas. Dentre os tais casos, o do irmão de Clemente, EMÍDIO ANTÔNIO MARQUES, que se casou com uma viúva carregada de filhos: d. Maria José de Lacerda. Seu primeiro marido, o fazendeiro JOAQUIM TEIXEIRA DO NASCIMENTO, fôra assassinado por seus próprios empregados, que procuravam roubar-lhes pedras preciosas, dentre elas, esmeraldas legítimas, uma das quais do tamanho jamais visto até aí. Esse tesouro, escondido em lugar ignorado, uma vez que o dono levou para o túmulo seu segredo, é ainda hoje(1984) procurado por estranhos, que dele têm notícia. A família é a única que se satisfaz com a idéia de que ele tenha existido, história que se tornou lenda. De vez em quando, os jornais daquelas paragens revivem a história do lendário tesouro. Para EMÍDIO, o que interessou foi apenas livrar-se do serviço de guerra.
Clemente apresentou-se no lugar do Irmão. Seguiu par o campo de batalha deixando atrás, além da família, uma noiva: MARIA CLAUDINA. Ao voltar, encontrou a noiva casada. Seu pesar, se é que houve pesar, durou pouco. Não tardou muito a casar-se com outra jovem: dona JOANA EVANGELISTA TEIXEIRA, filha legítima de Miguel Antônio Teixeira e irmã de João Miguel Evangelista Teixeira, marido de Maria Paulina Marques, sua irmã. Clemente e Joana residiram em Franca/SP.

Irmão de Clemente:
- dona Ana Bárbara Marques, casada com Manuel Francisco de Quadros, filho legítimo de José Antônio de Quadros e de dona Ana Perpétua da Luz, em Santa Rita do Paraíso, hoje Igarapava.
Manuel Francisco era neto paterno de Francisco Antônio de Quadros e de sua mulher, dona Ana Joaquina da Silva. Neto materno de Manuel Inácio de Sousa e de dona Rita Maria de Jesus;

- Antonio Joaquim Marques, casado com Maria Francisca da Conceição;

- Flávio Antônio Marques, que morreu afogado;

- Maria Madalena Marques, que morreu de febre, menor;

- Maria Paulina Marques, casada com JOÃO EVANGELISTA TEIXEIRA, natural de LAVRAS, Minas Gerais, filho de Miguel Antônio Teixeira;

- Manuel Antônio Marques, casada com Maria Jacinta do Nascimento;

- Mariana Cândida Marques, casada em primeiras núpcias com Secundino José Marques, filho legítimo de José Joaquim Marques e de dona Heliadora Policena Guimarães. Foi casada em segundas núpcias com Cândido Bento de Oliveira, de 29 anos, filho de Antonio Bento de Oliveira e de dona Isabel Rainha de Portugal. Foi testemunha seu irmão Clemente Antônio Marques. Sem descendência. Casada em terceira núpcias com Antonio Camilo;

Henrique José Marques, casado em primeiras núpcias com Maria das Dores Guimarães, filha de José Joaquim Marques e de dona Heliadora Policena Guimarães.
Casado em segundas núpcias com dona Ama Messias de Jesus, filha legítima de Albino Ribeiro da Silva e de dona Emerenciana Maria de Jesus;

- José Antônio Marques, gostava muito de burros, sendo que se embrenhou pelos sertões, onde procurou formar rebanho. Morou em Dores ou Formosa, Minas Gerais, casado com dona Joaquina Zeferina de Freitas;

- Emídio Antônio Marques, filhos todos de JOAQUIM ANTÔNIO MARQUES e de dona FRANCELINA MARIA DOS SANTOS. Emídio casou-se com dona Maria José de Lacerda, viúva de JOAQUIM TEIXEIRA DO NASCIMENTO.
Joaquim Antônio Marques, casado com dona Francelina, foi o quarto filho de Antonio Joaquim Marques e de dona Maria Vitória da Trindade.

Segundo Thomazelli, p.285, esta família está ligada, segundo o ponto a que chegou suas pesquisas, a ANTÔNIO DA COSTA LIXA e de dona TOMÁSIA DE LIMA (Testamento de Custódia Maria, datado de 06.01.1827).

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.