Padre José Procópio Júnior em Carmo da Cachoeira

Imagem
Paróquia Nossa Senhora do Carmo sob nova guiança Editorial Sai Pe. Daniel Menezes, e assume como administrador paroquial da acolhedora cidade de Carmo da Cachoeira, em fevereiro de 2019, o Pe. José  Procópio Júnior.
"Não cabe à pedra escolher o lugar que deve ocupar no edifício. Assim também não cabe à nós criaturas ditar ao Criador o que deve acontecer em nossa vida, pois Deus é quem sabe e dispõe com sabedoria própria." − Dom Servílio Conti, IMC Como página que observa os acontecimentos neste pedaço de chão mineiro, limitado por montanhas e que, segundo o cachoeirense Padre Godinho, “todas são azuis”, registramos o remanejamento ocorrido entre padres ligados a Diocese da Campanha no ano de 2019. Entre as mudanças encontra-se a Paróquia Nossa Senhora do Carmo/Carmo da Cachoeira – MG.

Sai nosso querido Padre Daniel Menezes. Por ele continuamos a rezar e o devolvemos, entre lágrimas e a esperança de um dia tê-lo entre nós. Somos eternamente gratos e devedores. Entra, aureola…

O desfecho da história do boiadeiro Venâncio.

Eu e meu companheiro estávamos realmente comovidos com a história do boiadeiro que, ao que parecia, soubera guardar por tantos anos a mais pura lealdade para com aquela que fora o seu primeiro e único amor. Venâncio, por sua vez, como que revivendo no seu íntimo as peripécias do seu amor infeliz, silenciara-se e apenas nos lançava rápidos e estranhos olhares. Para quebrar aquele silêncio que pesava sobre nós, perguntei-lhe:

— E após a morte da Ritinha o senhor nunca mais pensou em casamento?

— Ritinha não morreu.

— Não morreu?!

— Não, senhores. Ritinha não morreu e poucos meses depois casei-me com ela.

E virando-se para dentro da casa, chamou:

— Ritinha! Ó Ritinha, venha aqui, venha comprimentar os amigos.

Quem puder que formule uma idéia da cara que fizemos ao dar com os olhos espantados que, atendendo ao chamado do Venâncio, aparecera na porta da casa. Nunca havíamos visto mulher tão feia e só então compreendemos o logro em que caíramos. Completamente atrapalhados, tratamos logo de montar a cavalo e dar o fora, enquanto Venâncio soltava gargalhadas diabólicas. De longe ainda o avistamos a abanar-nos a mão e rindo-se como um danado. Voltando-me para meu companheiro, tão desarvorado como eu, comentei:

— E esta. hein? Não é que o diabo do velho nos embrulhou direitinho? Bem diz o ditado que "uns gostam dos olhos, outros da remela".

Meu companheiro limitou-se a responder com um sorrisinho muito amarelo.

E não era para menos.

Prof Wanderley Ferreira de Rezende

trecho do Livro: Gaveta Velha.

Próximo trecho: Os viajantes retornam a casa do velho Venâncio.
Trecho anterior: O pressentimento do boiadeiro e o retorno ao lar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Antiga foto da fazenda da Serra de Carmo da Cachoeira.