Festa em um dia de júbilo pelo resultado das urnas.

Ares de um novo tempo, em que o povo vive a democracia. É atuante. Que este novo tempo venha embalado numa roupagem leve e fluídica de Esperança, de Fé, de Amor Universal.

O bairro, "Praça de Esportes" é formado de uma laboriosa e sofrida classe trabalhadora. Muitas crianças moram lá. Desse meio, é que surge o edil mais votado em Cachoeira, "Meio Dia". Cristão presbiteriano convicto, é muito querido de toda população.

O bairro onde ele mora, no domingo, no início da noite, foi palco de um grande espetáculo de fogos. Lançados aos ares, ao explodirem e deixarem o céu prateado, refletiam um desabafo. Nos estampidos o som do grito incontido. Festejavam a grande vitória, a da democracia. Conseguiram, pela união, levar à Câmara, um de seus representantes, "Meio Dia".

Nesta segunda-feira, a partir das 17 horas, um outro espetáculo inédito em Cachoeira. Uma carreata comemorativa percorreu as ruas da cidade, numa manifestação de muita alegria. Alegria contagiante. Para os cidadãos que viveram, em sua juventude, o tempo das "diretas já", o espetáculo conseguiu sintetizar um retorno de um período de conquistas.

Conquistas construídas, e como fruto da união. Ao sair às ruas, e da forma como aconteceu, o cachoeirense demonstrou que não aceita o paternalismo, o que ele quer é oportunidade de trabalho, ele não precisa e não quer esmolas. Quer viver a dignidade de ser um cidadão brasileiro, sobretudo cachoeirense. Foi esta a bandeira levantada pela chapa vencedora. Foi esta que a elegeu. Não só nas urnas, mas confirmada nas ruas. O povo mostrou união, e selou os resultados. Mostrou que vai "pegar junto", que vai acompanhar as ações de seu líder.

Parabéns Carmo da Cachoeira. Você conseguiu constituir a mesa de sua Câmara, em nível Municipal, com diferentes representações populares, inclusive a da mulher.

Luz e Harmonia a todos.

Projeto Partilha - Leonor Rizzi

Próxima matéria: O amor pelos cavalos unia os Gouvea e os Costa.
Artigo Anterior: A escolha do povo cachoeirense.

Comentários

eleitora de cachoeira disse…
É isso aí, MULHER VOTA EM MULHER, e Está dito. Eu consegui sair das amarras. Aqui o pessoal fala e faz pressão em cima da gente, dizendo que a gente tem que votar nos da família. Coisa antiga, fora de moda. Renata não é de minha família, mas é mulher, e lutadora. Madruga junto dos cafezais. Tem as mãos calejadas. Conhece a necessidade que a mulher trabalhadora enfrenta. Colocamos ela lá. Parabéns, Renata e para nós mulheres.

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.