Correspondência recebida:





de: Leonor Rizzi

Hoje, encontrei-me um ancião em breve visita a Cidade. Cruzando com ele, que caminhava pela Praça, cumprimentei-o. Ele, com um sorriso tranquilo me disse: esta manhã é muito especial, os pássaros estão alegres e o sol irradiando uma luz inusitada. Respondi com um sorriso e lhe perguntei: O senhor está a passeio em Cachoeira? Como não houve resposta, e o olhar do ancião estava fixo na torre da Igreja, calei-me. Voltei meu olhar para onde estava o dele, na belíssima cruz artesanal, marco da religiosidade cachoeirense. Depois de algum tempo ele me disse: pedi ao meu motorista para entrar na cidade. Estamos em viagem. Olhei para ele e disse: o senhor lembra nosso pessoal. "Naves" ou "Branquinho"? Ele sorriu e respondeu-me com uma pergunta. Você já ouviu falar de uma antiga fazenda, a do Itamaraty. Aquela, de onde se avistava a velha fazenda da Barra, dos "Pintos"? Estamos com pressa. Temos horários para chegar. Quero lhes desejar um ótimo final de semana. Afastou-se, e eu respeitei o seu momento. Respondi, uma boa viagem. Volte sempre.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.