A chegada do cometa animava o povo dos vilarejos.


Em uma pequena cidade como era a antiga Carmo da Cachoeira, qualquer acontecimento, por mais vulgar que fosse, despertava curiosidade como, por exemplo, a chegada de viajantes de firmas comerciais.

Quando ainda não tinhamos a estação da Rede Mineira de Viação e nem se falava ainda em automóveis, os meios de comunicação eram difíceis e as viagens eram feitas a cavalo; as mercadorias para os comerciantes eram trazidas em carros de bois e os viajantes, que eram conhecidos pelo nome de "cometas", talvez porque apareciam de longe em longe, chegavam com a tropa que conduzia as malas de amostras.

Ao ouvir-se o bimbalhar dos cincerros que eram amarrados ao pescoço dos animais de carga, já se sabia que o "cometa" estava chegando e o povo corria para as janelas para assistir à sua chegada ao hotel, ali mesmo na praça, na casa pertencente à família do Dr. Veiga Lima. O proprietário do hotel era o Sr. Francisco Chagas, que mantinha também uma casa comercial no mesmo prédio.

Prof Wanderley Ferreira de Rezende

trecho do Livro: Carmo da Cachoeira: Origem e Desenvolvimento.

Próxima matéria: A vida heróica e o triste fim de José Mariano.
Matéria Anterior: O cotidiano e as festas na antiga Carmo da Cachoeira.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.