Carmo da Cachoeira por um Brasil melhor.

"Novos tempos necessitam de novos homes, novos homes constroem novos tempos".

O Movimento Fé e Cidadania, entendendo que só o amor e a paciência, e não a força, constroem, arregaçou as mangas e foi a campo. Contatou os candidatos aos cargos eletivos que irão formar a administração 2009 a 2012 e os representantes do povo na Câmara Municipal.

Vivendo ares de um novo tempo, mais interativo, todos os candidatos a prefeito confirmaram sua presença. Fizeram sua parte, e estão preparados para responder as perguntas que vierem dos entrevistadores. Cabe, no entanto, os cidadãos eleitores, fazerem a sua. Isentos de preconceitos, ouvir as propostas e ponderar sobre elas. A massa que é formada de cada um de nós, que somos eleitores, necessita conhecer, a fim de decidir conscientemente, e longe de emotividades e paixões incontidas. Cada candidato, democraticamente fará suas colocações e nós, cachoeirenses, iremos refletir por nós mesmos.

Temos que exercitar os dons Divinos da Inteligência e da vontade Livre. Temos que nos sentir seres amáveis e reflexivos. Seres pensantes. Ninguém precisa pensar por nós, já que somos dotados desta capacidade, dotados dela pela própria natureza - a de pertencer a Raça Humana.

Não só pela qualidade de seres pensante e livres, mas também porque somos contribuintes e pagamos os salários de nossos representantes. Para que não fiquemos limitados em nossos conhecimentos, o Projeto Partilha vai lembrá-los do compromisso que temos em realizar: o pagamento no final do mês de alguns representantes.

Em Carmo da Cachoeira, algumas de nossas obrigações, em níveis Municipais são: pagar, prefeito, vice-prefeito, secretários de governo e vereadores. Portanto, é bom que se conheça esses valores. A Resolução n.02/2008 estabelece um ganho de R$1.111,25 para cada vereador e R$1.234,72 para o presidente da Câmara Municipal. É o correspondente a folha de pagamento do mês de SET/2008. A Resolução n.4, estabelece para o ano de 2009 a 2012 a remuneração de R$1.900,00 para o cargo de vereador, e R$2.400,00, para o da presidência da Câmara. Outros encargos que temos como contribuinte: pagar o prefeito, cujo salário mensal é de R$8.032,21; vice-prefeito, R$2.294,73 e secretários de governo, R$1.788,88.

Diante dos números aumenta a nossa responsabilidade na hora da escolha. Os representantes são bem pagos e terão que mostrar sua competências na apresentação de projetos que visem o bem comum, como garante nossa Carta Magna.

Nossos parabéns a cada candidato pela coragem de implantar na cidade uma nova dinâmica no processo eleitoral, sentados numa mesma mesa, concordaram em discorrer comtransparência e honestidade sobre suas propostas.

Que a luz e a harmonia possa conduzir os trabalhos do dia 26/9/2008, às 19h30min. no São Paroquial, Carmo da Cachoeira, Minas Gerais.

Projeto Partilha - Leonor Rizzi

Próxima matéria: A venda da Cava por João Gomes do Nascimento.
Artigo Anterior: Hino ao Padre Victor, o Cônego Francisco de Paula Victor.

Comentários

Nossa legal demais esse debate aí hein? Posso enviar pergunta pelo blog pois não estarei na cidade dia 26!? Espero que o debate seja permeado por respeito e por sujeitos pensantes e livres como bem citado por projeto partilha... Que o debate seja produtivo com idéias em torno de propostas por e para Carmo da Cachoeira! "Saber reconhecer quem e o quê no meio do inferno não é inferno, e preservar e abrir espaço" (Ítalo Calvino)
projeto partilha disse…
Oi, "um outro mundo é possível". Gratidão pela sua participação. Com sua colocação temos a oportunidade colaborar com o cidadão cachoeirense, apontando alguns desafios enfrentados pelo Grupo Coordenador dos trabalhos - O Fé e Política. Pelo seu empenho, cidadão terá oportunidade de, pela primeira vez, ver e ouvir os candidatos a ADMINISTRADORES PÚBLICOS juntos, e falando sobre o mesmo assunto. Vai, porque um grupo ousou propor algo inovador. Inovou, apontou novos padrões de acesso ao conhecimento das propostas dos candidatos. Um grande amadurecimento, que contou com a Sociedade Civil organizada. O grupo tenta resolver alguns desafios neste processo. O primeiro deles, foi o de se encontrar um local que trouxesse um timbre bem visível de IMPARCIALIDADE, Um local onde, cada candidato pudesse se sentir "EM CASA". Onde pudesse falar e ser respeitado pela sua forma de ser e pensar. O local encontrado com esta característica foi o citado no convite: O Salão Paroquial, no entanto, este auditório tem sua capacidade limitada a 150 lugares. O grupo conta com o bem senso dos partidos e dos eleitores para o bom andamento dos trabalhos. Outro desafio foi o de encontrar mediadores neutros no processo, e com experiência em mediar divergências, evitando confrontos e gerando conflitos. O pessoal experiente e bom nisso estava em Varginha, e aceitou a incumbência. As perguntas aos candidatos feitos pela platéia deverão ser por escrito, e entregue no local. Após passar pelo crivo dos mediadores, ele mediador a repassará, para que cada candidato responda. Tudo nos conformes, como manda o bom figurino, né?
"Um outro mundo é possível", a única coisa que o povo cachoeirense busca, é que o futuro administrador seja um cidadão que VEJA, além da cidade composta por suas ruas, esgotos, iluminação pública, escolas, espaços sociais, praças, GENTE. Que ele tenha presente que GENTE é feita de sorrisos, medos, angustias, ideais, e de muito mais. O que ele vai administrar são as necessidades individuais e coletivas de uma sociedade dinâmica formada por crianças, adolescentes, jovens, casais e seus filhos, ou sem filhos, velhos, deficientes, religiosos e não religiosos, politicos e apolíticos, enfim, cada um apresentando, na abertura do leque, necessidades e muita diversidade e expectativas. O que o cidadão necessita é de um administrador que o escute, que o respeite. Essa cidade, formada de sorrisos, de alegria, de vida borbulhante ou pacata, de medos, de angustia e de prazeres, busca encontrar quem a administre com dignidade e sem paternalismos. O povo cachoeirense busca um ADMINISTRADOR, e PAGA BEM para o exercício do cargo.
Luz e Harmonia a todos, principalmente a você, um idealista, "um outro mundo é possível".
Parabens pela organização. Concordo plenamente que Carmo da Cachoeira não é uma empresa, é uma cidade feita de GENTE, de encontros, desencontros, de relações!!!! Sou eleitor aí, mas não poderei comparecer ao debate! Espero que seja significativo para a questão eleitoral na cidade, que como em outras cidades do Brasil, sofre de um processo histórico de degradação da democracia, da liberdade de expressão e dos direitos sociais.
projeto partilha disse…
Olá "Um outro mundo é possível". Esperamos que a entrevista ocorra em harmonia. Vale lembrar que a postura de cada candidato irá influenciar, sobremaneira, a forma de conduta de seu eleitorado durante a entrevista. Como é a primeira vez que isso acontece aqui, o ideal seria que o eleitor conhecesse a expectativa que o seu candidato em relação ao comportamento a ser manifestado no local. Para isso poderia ser utilizado o horário eleitoral gratuito. Se um lider pede para que não se apresente depois de beber, que faça silêncio, que siga as regras estabelecidas, que não vaie, seu eleitorado, certamente, irá atender. É questão de combinar a forma, e partir para a que preserve os padrões de respeito e éticos, você não acha?

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.