Carmo da Cachoeira e o governo do militar.


Com a vitória da Revolução de março de 64, que pos fim aos dias de anarquia e incerteza a que o governo do Sr. João Goulart havia conduzido o país, foi instituído no Brasil o bipartidarismo; em conseqüência disto, foram organizados os dois únicos partidos permitidos em lei: - a Aliança Renovadora Nacional (ARENA) e o Movimento Democrático Brasileiro (MDB).

Até que o Governo da Revolução pusesse as coisas mais ou menos em ordem, aproximava-se a data das eleições municipais e em muitos municípios ainda não havia diretórios dos novos partidos mem mesmo em organização. Para estes municípios a Justiça Eleitoral nomeava Comissões Interventoras que substituíram os diretórios, realizando todos os atos que a eles caberia realizar. Para Carmo da Cachoeira o TRE nomeou para a ARENA uma Comissão Interventora formada pelos Srs. Alaor Lima Reis, Tufi Kalil Auad e a mim, Comissão esta que foi responsável pela indicação dos candidatos aos cargos eletivos municipais, nas eleições que seriam realizadas a 23 de novembro de 1966.

Realizadas as demarches costumeiras nestas ocasições, a ARENA apresentou como seu candidato ao cargo de Prefeito o nome do Sr. Sebastião Modesto de Oliveira, tendo como seu Vice-Prefeito o Sr. Antônio Pereira Chagas.

Tudo parecia correr normalmente, mas um grupo de filiados à ARENA, sem nenhuma razão plausível, pelo menos assim o julgamos, discordou da indicação e resolveu lançar outro candidato, surgindo então a ARENA II, com o candidato Paulo Reis Veiga Lima.

Não houve durante a campanha nenhum incidente, mas nem tudo correu tão pacificamente como nas eleições anteriores. Felizmente não houve maiores conseqüências e, realizadas as eleições, foi vitorioso, como já era de esperar, o candidato da ARENA I, Sebastião Modesto de Oliveira, que tomou posse a 1º de fevereiro de 1967.

Coube ao Prefeito Sebastião Modesto de Oliviera concluir e inaugurar a Praça do Carmo, essa obra que se tornou um motivo de orgulho para os cachoeirenses e de admiração para todos os visitantes. A sua inauguração, verificada a 16 de julho de 1968, foi considerada a maior festa até então aqui realizada e contou com a presença de muita gente dos municípios vizinhos, personalidades importantes da política nacional, entreas quais os deputados Dr. Silvio Menicucci, Dr. Mário Hugo Ladeira, Padre Souza Nobre, etc. etc. Confraternizando com o povo cachoeirense, a Escola de Samba "Serrote", da vizinha e amiga Cidade de Três Pontas, deliciou a grande massa de espectadores com as suas magníficas representações, que mereceram estrondosos aplausos de todos os presentes.

Voltando-se para os problemas administrativos, o Prefeito construiu a ponte do Ribeirão Couro do Cervo, adquiriu uma Patrol para as obras da Prefeitura e com ela abriu mais ou menos 100 quilómetros de estradas; construiu a Escola Rural do Palmital, auxiliou na costrução da Escola da Vargem Grande e criou três escolas rurais, realizando ainda outras obras de menor vulto.

Prof Wanderley Ferreira de Rezende

trecho do Livro: Carmo da Cachoeira: Origem e Desenvolvimento.

Próxima matéria: Carmo da Cachoeira no início dos anos 70.
Matéria Anterior: Um governo de oposição ao Palácio da Liberdade.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.