O padre e o garoto na antiga Carmo da Cachoeira.


Ajude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço "comentários" para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região.

Comentários

projeto partilha disse…
Uma reflexão. Candidatos aos cargos administrativos e eletivos de todo o Brasil, lembrem-se do estudo de CAIO PRADO, e fiquem atentos para não incorrerem em erros, ao montar seus programas de governo:

A palavra fica com CAIO PRADO:


"Ao longo de quatro séculos de história, os homens livres pobres foram marginalizados pela sociedade escravista brasileira, que lhes teria retirado as possibilidades das ocupações disponíveis. Ainda que dispostos a integrarem o mercado de trabalho, estavam impedidos porque a organização econômica da sociedade teria lhes retirado as oportunidades de inclusão. Sem possibilidade de se integrar ao mercado de trabalho e assimilados à condição de excluídos, a esse segmento populacional teria restado senão outro caminho que não fosse o crime".

Cf. Bruno Augusto Dornelas Câmara. Tema: Trabalho livre no Brasil Imperial: (...). Dissertação (mestrado). Universidade Federal de Pernambuco. CFCH. História. 2005. http://www.bdtd.ufpe.br/...
projeto partilha disse…
Carmo da Cachoeira - MG, inicia seus registros de Batizados com o Pe. Joaquim Antonio de Rezende. É o Livro LB-01. 1858 -1888. Seu primeiro registro é de 28/11/1858. Dos 50 primeiros registros temos: 17 crioulos; 20 pardos e 13 brancos. Aparecem, nas 50 primeiras anotações os seguintes pontos onde ocorreram a cerimônia. As anotações seguem a ordem cronológica dos registros: Matriz; Oratório do Taquaral, Pe. Con. Urbano dos Reis Silva; Ermida do cap. Antonio Joaquim Alves, Pe. Joaquim; Oratório de Antonio dos Reis e Silva, Pe. Joaquim; Ermida dona Mariana Vilella, Pe. Joaquim; Oratório da Boa Vista, Pe. José Bento Ferreira de Mesquita; Oratório de Domingos José Pinto, Pe. Joaquim; Oratório do Campo Formozo, Pe. Joaquim; Ermida do Alf. Domingos Marcelino dos Reis, Pe. Joaquim; Capella de São Bento, Pe. Joaquim. O período aqui apresentado está compreendido entre 28/11/1858 e 04/06/1859.As primeiras anotações são as seguintes:
28.11.1858 Rita, crioula,filha de Joaquim. Padrinhos: João Villela dos Reis e Anna Jacintha de Figueiredo.
02.12.1858 Filiciana, crioula, nascida a 10 de novembro. Padrinhos: João Alves de Gouvêa e Vitoria.
05.12.1858 Christina ou Christiana,crioula, filha legítima de João Affricano e de Generosa. Padrinhos: Joaquim Fernandes dos Reis e dona Anna Celestina dos Reis.
13.12.1858 Antonio, branco, filho de Custódio Villela e dona Jacintha Ponciana de Rezende. Padrinhos João Vilella Fialho e dona Maria Victória Branquinha. Pe. Con. Urbano dos Reis e Silva.
O último do ano de 1858 foi em 25.12. Francisco, branco, filho legítimo de Vicente Ferreira do Nascimento e Anna Antonia de Jesus. Padrinhos José Pedro Ferreira e Luciana Cândida de Jesus.
O primeiro do ano de 1859 foi Antonio, branco, filho legítimo de João Garcia Figueiredo e de dona Joaquina Cândida Branquinha. Padrinhos: cap. Francisco Garcia de Figueiredo e Maria Cândida Branquinho.
Outras referências:
11.01.1859. Evaristo, pardo, nascido em 26.10.1858, filho legítimo de José Ferreira Godinho e de Rita Antonia de Oliveira. Padrinhos: Pe. José Bento Ferreira de Mesquita e dona Ignácia Leopoldina da Costa.
11.01.1858, Maria, parda, filha legítima de Antonio Gonçalves Braga e de Emerenciana Felisbina de Jesus. Padrinhos: José Ferreira Godinho e Maria Guilhermina de Jesus.
18.01.1859 João, filho legítimo de Domingos José Pinto e Anna Alexandrina de Carvalho. Padrinhos: Ten. Coronel Antonio José Teixeira e dona Maria Benedicta dos Reis.
27.01.1859 Veríssimo, pardo, batizado pelo Pe. Agostinho José de Souza Oliveira, nascido em 15.11.1858, filho natural de Rita Joaquina. Padrinhos: José Liandro de Espíndola e Anna Lourenço.
28.01.1859 Martinho, branco, filho legítimo de Joaquim Alves de Gouvêa e de dona Anna Alves Vilella. Padrinhos: Antonio Joaquim Alves e Maria Carolina de Gouvêa..
02.02.1859 José, pardo, nascido em 07.01.1859, filho natural de Maria Christina do Nascimento. Padrinhos: Thomé Pinto Ribeiro e Anna Francisca de Jesus.
06.02.1859, branco, nascido em 15.11.1858, filho legítimo de João Campos do Nascimento e de Mequilina Maria de Jesus. Padrinhos: Pe. Joaquim e Beatris Maria de Jesus.
07.02.1859, Joaquim, pardo, filho legítimo de Pedro Dias dos Santos e Filiciana Maria de Jesus. Padrinhos: José Joaquim Dias e Maria Ferreira da Piedade.
07.02.1859 Anna, parda, filha legítima de Joaquim Rodrigues de Faria e Caetana Maria de Jesus. Padrinhos: João Ponciano Patricio e Anna Silvéria de Jesus.
07.02.1859 Mecias, parda, filha legítima de Manoel Gomes e de Alexandrina de Jesus. Padrinhos: Miguel Antonio de Carvalho e Claudina Baptista de Jesus.
13.02.1859, Pedrilha, parda, filha natural de Delfina. Padrinhos: João José do Nascimento e Rita Cândida do Nascimento.
27.02.1859 Pe. Agostinho José de Souza e Oliveirad sbatiza José, filho legítimo de João Garcia Duarte e de Iris Jacintha de Paula. Padrinhos: José da Silveira Caldeira e N. Sra. do Carmo.
06.03.1859 Maria, branca, filha legítima de Gabriel Franacisco Manso e Maria Targina. Padrinhos: Francisco de assis e Souza e Generoza América de Souza.
06.03.1859 Maria, parda. filha natural de Anna Ignácia de Jesus. Padrinhos: José Pimenta e Jesuína Maria Baptista.
07.03.1859 Maria, branca, filha legítima de Francisco de Paula Baptista e de dona Mariana Cândida de Figueiredo. Padrinhos: José Ignácio de Sant´Anna e Maria Floria de Oliveira.
10.03.1859, Thomaz. criolo, filho natural de Juliana da Costa. Padrinhos: Agostinho Marques de Arantes e Cândida Maria de Jesus.
03.04.1859 Francisca, parda, filha legítima de Miguel Antonio da Fonseca e Anna Cândida das Neves. Padrinhos: José Joaquim de Lima e Prudenciana Cândida das Neves.
10.05.1859 Manoel, pardo, filho legítimo de Joaquim Baptista Carneiro e Antonia Maria de Ramos. Padrinhos: Sirino da Costa Ramos e Maria Jacintha de Jesus.
projeto partilha disse…
Antonio Lopes Guimarães e dona Ignácia Geracina de Sousa são compadres de JOSÉ FERNANDES AVELINO. Em 26.06.1859, na Capela de São Bento, José Fernandes Avelino e dona Ignácia Generoza do Nascimento são padrinhos no batizado de Francisco, branco, nascido em 13.06.1859. Pe. Joaquim Antonio de Rezende.
projeto partilha disse…
JOSÉ CELESTINO TERRA e dona Amélia Augusta de Toledo são compadres de Antonio Cândido de Souza e de dona Balduina Josepha Leopoldina. A afilhada é Maria, branca, batizada em 10.07.1859, nascida em 02.07.1859. A cerimônia aconteceu na Igreja Matriz.

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.