Padre José Procópio Júnior em Carmo da Cachoeira

Imagem
Paróquia Nossa Senhora do Carmo sob nova guiança Editorial Sai Pe. Daniel Menezes, e assume como administrador paroquial da acolhedora cidade de Carmo da Cachoeira, em fevereiro de 2019, o Pe. José  Procópio Júnior.
"Não cabe à pedra escolher o lugar que deve ocupar no edifício. Assim também não cabe à nós criaturas ditar ao Criador o que deve acontecer em nossa vida, pois Deus é quem sabe e dispõe com sabedoria própria." − Dom Servílio Conti, IMC Como página que observa os acontecimentos neste pedaço de chão mineiro, limitado por montanhas e que, segundo o cachoeirense Padre Godinho, “todas são azuis”, registramos o remanejamento ocorrido entre padres ligados a Diocese da Campanha no ano de 2019. Entre as mudanças encontra-se a Paróquia Nossa Senhora do Carmo/Carmo da Cachoeira – MG.

Sai nosso querido Padre Daniel Menezes. Por ele continuamos a rezar e o devolvemos, entre lágrimas e a esperança de um dia tê-lo entre nós. Somos eternamente gratos e devedores. Entra, aureola…

O padre de Carmo da Cachoeira, fiel amigo do povo.


Ajude-nos a contar a história de Carmo da Cachoeira. Aproveite o espaço "comentários" para relatar algo sobre esta foto, histórias, fatos e curiosidades. Assim como casos, fatos e dados históricos referentes a nossa cidade e região.

Comentários

Anônimo disse…
Durante o ano de 1863 foram realizados 89 batizados, sendo 42 de crianças crioulas, 27 de crianças pardas e 20 de crianças brancas. Estes atos religiosos aconteceram nos seguintes´pontos: Matriz, Igreja São Bento do Campo Bello; Ermida do Taquaral; Oratório de dona Marianna Felisbina da Silva; Oratório de Ignácio José da Silva; Ermida dos Tachos; Ermida de Antonio Severiano de Gouveia; Oratório do ten. Gabriel Flávio da Costa; Ermida de Domingos Marcelino dos Reis; Ermida de Nossa Senhora da Piedade da Fazenda Chamusca; Ermida de dona Marianna Vilella e ORATÓRIO DO TEN. JOAQUIM ANTONIO DE ABREU.
Os 10 primeiros batizados, na ordem como aparecem nos registros, são os seguintes:
01.01.1863 Lucas, crioulo, filho legítimo de Gabriel de Nação e Júlia. Padrinhos: Vicente e Victória;
01.01.1863 José, branco, filho legítimo de Marianna Francisca de Assis e André Pinto da Costa. Padrinhos: José Pinto da Costa e Maria Angela da Cunha;
15.02.1863 Felícia, crioula, filha legítima de José da Nação e Helena. Padrinhos: José Pardo e Delfina;
22.02.1863 Luiz, pardo, filho legítimo de Francisco e Nicetha. Padrinhos: Antonio e Marcilla;
01.03.1863 Raimundo, pardo, filho legítimo de Pedro e Dionizia. Padrinhos: João e Joanna de Nação;
01.03.1863 Antonia, crioula, filha natural de Martha. Padrinhos: José Celestino Terra e Balduina Cândida Branquinho;
01.03.1863 Higino, crioulo, filho legítimo de Antonio Manoel e Libânia Prudencianna de Oliveira. Padrinhos: José Valentim Vilas boas e Benedita Angélica de Jesus;
01.03.1863 Carolina, crioula, filha legítima de Valério e Mafalda. Padrinhos: Gabriel e Victória de Nação;
Aguida, parda, filha legítima de João e Bastianna. Padrinhos: Mathias de Nação e Joanna;
Amélia, branca, filha legítima de João Gomes Nascimento e Lucianna Cândida de Jesus. Padrinhos: José Fernandes Avelino e Amélia Augusta de Tolledo.

Postagens mais visitadas deste blog

Antiga foto da fazenda da Serra de Carmo da Cachoeira.