Negro rebelado pendurado em uma forca.

A figura recebeu o título “Um negro suspenso vivo pelas costelas numa forca”. Além do negro pendurado pode-se ver em primeiro plano um outro crânio e mas ao fundo, outros dois presos em um tipo de poste. Além destes crânios, esta imagem traz também ossos inteiros e alguns outros em pedaços espalhados pela cena, como que indicando, quem sabe, a ferocidade do ser disforme preso pelas cordas. O corpo do escravo aprisionado é uma excelente fonte para identificarmos as concepções sobre o escravo fugitivo.

Novamente, ele está nu, coberto apenas com uma pequena tanga. Seus traços são disformes e sua fisionomia é agressiva.

Trecho de um trabalho de Marcia Amantino.

Próximo Texto: Barleus e a imagem do Quilombo dos Palmares.
Texto Anterior: Stedman e a imagem do negro armado e em guarda.

Figura: Um negro suspenso vivo pelas costelas numa forca - Fonte: PRATT, Mary Louise. Os olhos do Império: relatos de viagem e transculturação. São Paulo: EDUSC, 1999, p. 166

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.