A escola cachoeirense, a aluna e o cônego.

A Escola Wanderley Ferreira de Rezende colocou um desafio aos alunos: sair a busca de dados e informações sobre aqueles que, de alguma forma forma colaboraram para implantação desta unidade de ensino na Cidade de Carmo da Cachoeira.

A aluna Maria Amélia da Paixão Oliveira e seu amigo de equipe saíram em busca de dados e estavam com muitas anotações. Entre os batalhadores para esta implantação estava o Cônego Manoel Francisco Maciel, Pároco da Matriz de Nossa Senhora do Carmo, de 9 de maio de 1944 ao ano de 1965. Com entrevista marcada, e a caminho da casa de Tereza Maciel Nascimento, sobrinha do referido Cônego, encontram um integrante do Projeto Partilha e não perderam tempo. Foram logo perguntando se o Projeto Partilha tinha alguma informação, além das já publicadas em carmodacachoeira.blogspot.comO combinado foi lhes passar alguns dados, que viriam se somar aos já publicados. Assim publicaremos hoje algo mais sobre a vida deste sacerdote.

Comentários

Obrigados pelo o apoio,
pois achamos que os mais novos
tem que continuar os belos passos
do nosso povo sem deixar nada pra atrás.
projeto partilha disse…
É issi aí, Maria Amélia. Esta geração promete, e vai dizer porque e para que veio. Resgatará e saldará um grande débito que a sociedade tem para com seu passado. Conte conosco hoje e sempre.
Em tempo: siga as notícias da página de amanhã. Rogério Vilela postou hoje para TS Bovaris, 3 fotos:

*duas muito especiais, e foram enviadas ao Projeto Partilha pelo médico cachoeirense, Dr. José Vilela Brettas, um dos grandes batalhadores na formação da comissão que iria garantir a presença de um Educandário aqui, que, posteriormente, se transformou na Escola que você estuda. Por acaso você já chegou a estudar sobre a Associação Santa Terezinha? Em minhas conversas com Dr. Brettas, ele contava o quanto lutou para que ela se concretizasse. Converse com a professora Beatriz, diretora daí, Irá se surpreender. Descobrirá atrás da administradora que conhece, uma profissional voltada para os assuntos culturais. Você já a entrevistou? Ela tem um estudo feito nessa linha, sabia? Tente e verá.

* a outra, foi enviada pela Família Maciel. Nela você irá ver o Cônego Manoel Francisco Maciel, quando ainda era Padre, e bem mocinho. Está junto de seus pais e irmãos.
projeto partilha disse…
A genealogia do Cônego Manoel Francisco Maciel, segundo o historiador Ary Florenzano, e em relação a seus avoengos, na linha paterna: João Maciel Valente, filho de Paula Camacho (nat. de São Paulo) e João Maciel, português. João casou-se com Maria Ribeiro, filha de Estevam Ribeiro Baião Parente e Maria Duarte. Foram pais de Maria Maciel, que se casou com Domingos Barbosa Calheiros. Maria e Domingos foram pais de João Maciel Barbosa, que se casou com Clara Domingos dos Passos, pais do pentavô do Cônego Manoel Francisco, Justo Domingues Maciel, falecido em 1762.Cf.: Silva Leme, vol. 8, p.234. Seu casamento foi em Santo Amaro/SP. Justo se casou com Maria da Cunha, falecida em 1799, na cidade de Bragança. Justo e Maria foram pais de Justo Domingos Maciel, falecido em Baependy, onde casou-se no ano de 1777 com Izabel Vieira, filha de Mathias Vieira do Couto e Thereza Custódia de Jesus, nascida em Parati (RJ), filha de José da Silva da Fonseca e Maria Moreira, fazenda denominada da "India".

Justo Domingos Maciel e Izabelforam pais, entre outros de João Domingues Maciel, que se casou com Rita Joaquina de Jesus, filha de Francisco Inacio de Souza Melo e Maria Custódia de Seixas.

Os bisavós, do Conêgo Manoel, pela linha paterna, foram: Francisco Antonio Maciel e sua mulher Ana Martins Covas, pais de Manuel Francisco Maciel, nascido em 12.11.1849 e falecido em 30.04.1913. Manuel Francisco casou-se com Ana Silvéria de Jesus, filha de Joaquim Inácio Lopes e Anna Silvéria de Jesus, filha de Vicente Ferreira de Abreu e Maria Abreu e Castro

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.