As fazendas do Distrito de Boa Vista.


De acordo com uma elação datada de 1842 e assinada pelo Juiz de Paz Rafael dos Reis e Siva, eram as seguintes as seguintes as fazendas mais importantes que se compunham o Distrito de Boa Vista:

1ª - Boa Vista - A mais antiga sede do Distrito, pertence à família Branquinho, cujo membro mais idoso na ocasião era o Capitão João Damasceno Branquinho, com 65 anos de idade; Alexandre Gomes Branquinho, José Joaquim Branquinho, João Damasceno Branquinho Filho e outros;

2ª - Abelhas - Família Rezende. Joaquim Fernandes Ribeiro de Rezende, Geraldo Saturnino de Rezende, João Ribeiro de Rezende, Antônio Abdenago de Rezende,
Severino Ribeiro de Rezende, José Celestinho de Rezende, etc.

3ª - Rancho - Uma das três mais antigas. Pertenceu a Martinho Dias de Gouvêa, falecido antes de 1842.

4ª - Retiro - Gabriel dos Reis Silva, Joaquim Vilela dos Reis, Manoel dos Reis Silva Júnior, Antônio dos Reis Silva, Domingos Marcelino dos Reis, José dos Reis Silva, etc.

5ª - Campo Limpo - Rafael dos Reis Silva, Manoel Teodoro Neto, Francisco Lopes Guimarães, etc.

6ª - Serrinha - Francisco de Paula Teixeira, Luiz Gonzaga Branquinho, Joaquim Flávio da Costa, etc.

7ª - Caxambu - Antônio Severiano de Gouvêa, (era filho de Martinho Dias de Gouvêa e pai de outro Martinho Dias de Gouvêa e de outro Antônio Severiano de Gouvêa), Mizael Dias de Gouvêa, etc.

8ª - Campo Belo - Gabriel José Junqueira, José Mizael de Andrade, Francisco Daniel da Costa, Manoel da Silva Brandão, etc.

10ª - Duas Barras - João Ferreira Guimarães, José Ferreira da Silva, Joaquim Ferreira da Silva, Francisco Joaquim de Souza, João José de Carvalho, etc.

11ª - Palmital - José Antônio da Costa e outros.

Estas onze fazendas foram depois dividindo-se e subdividindo-se em muitas outras como: Taquaral, Chamusca, Brejo, Coqueiros, Laje, Saquarema, Mata, Morro Grande, Bananal, Atalho, Lagoinha, etc. etc.

Prof Wanderley Ferreira de Rezende

trecho do Livro: Carmo da Cachoeira: Origem e Desenvolvimento.

Próxima matéria: Várias versões, mesmo fato, assim se faz a história.

Comentários

projeto partilha disse…
Errata. Tipo de erro: digitação. Leia-se: De acordo com uma RELAÇÃO (...), ao invés de como constou.
projeto partilha disse…
Fazenda do Campo Limpo. MANOEL TEODORO NETO. Segundo OTÁVIO J. ALVARENGA em sua obra, TERRA DOS COQUEIROS. 1978, capítulo III, ao tratar de Genealogia Local, p. 29 detêm-se nas FAMÍLIAS ALVES E TEODORO, tratando-as da seguinte forma: "Têm aqui essas famílias procedência mais afastada, além de ascendência, também, vinda dos filhos de JOAQUIM JOSÉ ALVES, de quem, por igual, descendem os AQUINO ALVES, da CACHOEIRA, na pessoa de ANTÔNIO IGNÁCIO DA COSTA, casado com MARIA DINIZ JUNQUEIRA. (Família Antunes, p. 27 da referida obra: JOSÉ ALVES ANTUNES, casada com EMERENCIANA BÁRBARA DE CAMPOS, Andrelândia, portugueses, país de MANUEL ALVES ANTUNES, casado primeira vez com MARIA ANGÉLICA DE SÃO JOSÉ e, segundas núpcias com FRANCISCA DE PAULA REIS, de cujo segundo casamento, dentre outros ficou o referido JOAQUIM JOSÉ ALVES, além de Theodoro de Aquino Alves, José Teodoro Alves, Anastácia, Joana, Manuel, Antônio, Carolina, Rita e Mariana).
"Filho de ANTÔNIO INÁCIO DA COSTA e MARIA DINIZ JUNQUEIRA, descende FRANCISCO INÁCIO DE SOUSA, nascido em 1803. casado com ANA PAULA, que era filha de FRANCISCO ANTONIO DE SOUSA, morador, há mais de um século, no sítio de sucessores de LEONIDES ALVARENGA". Marta Amato, 2000: 36 diz:"... ANTONIO FRANCISCO DE SOUSA ..." . Liga-se a MARIA DE MORAIS RIBEIRO (1785).
Em Apparecida Gomes do Nascimento Thomazelli, p. 102, de sua obra AS FAMÍLIAS DE NOSSAS FAMÍLIAS encontramos o seguinte:

LUCIANA MARIA DE JESUS, casada com PAULO FRANCISCO MAFRA ou PAULINO FRANCISCO MAFRA. LUCIAN, filha do TENENTE FRANCISCO INÁCIO DE SOUSA e de sua mulher MARIA TERESA VILELA. O casal residia em CARMO DA CACHOEIRA - Minas Gerais.
projeto partilha disse…
Vinte e duas crianças nascidas entre 01.01 a30.03.1860 em Carmo da Cachoeira - Minas Gerais, sendo: 11 crianças pardas; 06 crianças crioulas e 05 crianças brancas. Foram batizadas nos seguintes pontos de religiosidade: Matriz, Capela de São Bento; Oratório de Manoel Moreira da Silva e Oratório de dona Maria Felisbina da Silva. Todos os atos são assinados pelo Pe. Joaquim Antonio de Rezende. Seus nome, seus pais e seus padrinhos:
01.01.1860, Maria, parda, filha legítima de Manoel Theodoro e Maria das Dores. Padrinhos: Manoel Antonio Teixeira e Dona Maria Victoria de Carvalho;
01.01.1860, Josepha, parda, filha legítima de André e Rita. Padrinhos: Polinário e Maxima;
01.01.1860, Egidio, pardo, filho legítimo de Joaquim Alves e Anna Francisca de Jesus. Padrinhos: Sebastião Rodrigues de S. Thiago e Francisco Nunes Chagas;
06.01.1860Maria, parda, filha legítima de Francisco de Paula Goularte e Sebastiana Francisca de Jesus. Padrinhos: João Baptista Alves e Marianna Felisbina da Silva;
08.06.1860 Mariana, parda, filha legítima de José Pinto da Costa e Anna Silvéria de Jesus. Padrinhos: André Pinto da Costa e Mecias Maria da Conceição;
08.01.1860 Thereza, branca, filha legítima de João da Matha Ribeiro e Margarida Vitalina da Silva. Padrinhos: Antonio Joaquim Alves e Joaquina Cândida Branquinha;
19.01.1860 José, branco, filho legítimo de Manoel Ferreira Avelino e Maria Theodora Ferreira. Padrinhos: JOSÉ FERNANDES AVELINO e dona MARIA CLARA UMBELINA;
22.01.1860 Thomé, pardo, filho legítimo de Mecias Pinto da Costa e Antonia Francisca de Jesus. Padrinhos: Ignácio José Alves e Maria Cândida de Jesus;
22.01.1860 Jerônimo, crioulo, filho legítimo de Luiz e de Jacintha de Nação. Padrinhos: Domingos de Nação e Brígida;
22.01.1860 Francisco, pardo, filho natural de Maria Theodora. Padrinhos: Evaristo Ferreira da Veiga e José Manoel do Spirito Santo;
22.01.1860 João, pardo, filho legítimo de José Joaquim de Pinho e de Carolina Maria. Padrinhos: Francisco de Paula Maffra e Generoza América de Souza;
02.02.1860 João, crioulo, filho legítimo de Leocádio Jacintho de Souza e de Anna Cândida de Souza. Padrinhos: JOÃO ALVES DE GOUVÊA e Luiza Maria da Conceição;
05.02.1860 Sebastião, crioulo, filho legítimo de Paulo Affricano e Anna. Padrinhos: Joaquim Fernandes dos Reis e Amélia Augusta de Toledo;
12.02.1860 Maria, parda, filha legítima de ANTONIO RIBEIRO DE MORAES e de Cândida Maria de Jesus. Padrinhos: Manoel Joaquim Alves Junior e Mecias Carolina de Jesus;
12.02.1860 Ananias, pardo, filho natural de Ignácia Ribeira. Padrinhos: Antonio Affricano e Angélica. Padrinhos: Theodoro e Magdalena;
21.02.1860 Joaquina, crioula, filha legítima de Antonio da Nação e de Joaquina. Padrinhos: Geraldo e Julia;
22.02.1860 Joaquim, branco, filho de João Baptista Alves e de Mariana Carolina de Figueiredo. Padrinhos: JOÃO ALVES DE GOUVÊA e MATIANA CAROLINA DE GOUVÊA;
26.02.1860 Lúcio, pardo, filho natural de Jacintha Maria de Jesus. Padrinhos: Joaquim da Costa Ramos e Alexandrina Maria da Cruz;
13.03.1860 Joaquina, crioula, filha legítima de Severino e Florência. Padrinhos: Paulo e Mariana Africanos;
13.03.1860 Lúcio, branco, filho legítimo de João Gomes Nascimento e Luciana Cândida de Jesus. Padrinhos: Domingos Teixeira de Rezende e Amélia Augusta de Toledo;
30.03.1860, América, filha legítima de Manoel Antonio de Mello e Mattos e Luiza de Mello e Mattos. Padrinhos: Domingos José Pinto e Felícia Constância de Figueiredo.

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.