Antigos cachoeirenses registrados no Livro Fábrica.

No Livro Fábrica da Igreja Nossa Senhora do Carmo de Carmo da Cachoeira, no Sul de Minas Gerais, só existem cinco registros para o ano de 1874:

- Jorge Coelho da Silva; Manoel dos Reis e Silva; Jacintha, escrava de Purcina Leopoldina Rezende; Maria Angela da Cunha; Roque, escravo de Anna Generosa.

O ano de 1875 também contêm poucos nomes:

- Matheus escravo de Antônio dos Reis; Esmeraldina, filha de Anna Luiza; Anna Thereza de Jesus; Francelina filha de Joaquim Fernandes dos Reis; Antônio José de Sousa Arantes; Francisco José das Chagas; Joaquim, filho de José Ambrósio; Joaquim Elias; Bernarda do ribeirão; Francisco Nunes das Chagas; Francisca, escrava de Anna Jacintha; Theodora Umbelina de Jesus; Gabriel Flávio da Costa; Joaquim, escravo de João da Matta; Augusto, filho de Manoel Candido Borges; José filho de Joaquim Pedro de Rezende; Zeferino escravo de Antônio Procópio; Merenciana escrava de Luiz Antonio Bottrel; Apolinária escrava de Manoel Antônio Teixeira e Alexandrina mulher de Pedro Dias.

Nomes que aparecem na folha de nº 19:

- Gabriel Flávio da Costa; Ignácia Ribeiro de Moraes; José Fernandes Avelino; João Alves de Gouvêa; Antônio Severiano de Gouveia; Marianna Villela Palmeira e Silva; Modesto Naves; Joaquim de Rezende Branquinho; Joaquim Fernandes dos Reis; Jeronymo Ferreira Pinto Vieira; Antonio dos Reis Silva;Manoel Antonio dos Reis José Antonio dos Reis; João Antonio Naves; Luiz Antonio Bottrel; Custódio Vilella.

Projeto Partilha - Leonor Rizzi

Comentários

projeto partilha disse…
Vamos ao primeiro livro de batizados, hoje registrando os do ano de 1860, segunda etapa e como complementação dos já citados na página de ontem. Entre muitos, estes:

BALBINO, crioulo, filho legítimo de Jacintho Affricano e Eduarda Crioula. Foram padrinhos: Paulo Affricano e Romana.

DIOLINDA, crioula, filha legítima de Pio e Mariana Francisca. Padrinhos: José de Nação e Rita

THOMAZ, crioulo, filho legítimo de José de Nação e Helena. Padrinhos: Balbino e Anna de Nação.

No período compreendido entre 08/04/1860 e 30/12/1860 foram registrados 81 batizados, sendo 31 de crianças crioulas; 30 de crianças pardas e 20 de crianças brancas. Em função da busca que o Projeto Partilha está empreendendo de descendentes de MANOEL ANTONIO RATES e sua mulher MARIA DA COSTA MORAES, deter-se-a na apresentação de nomes presentes nos livros que possam evidenciar pistas para os possíveis reencontros. Portanto, não há critério discriminatório na apresentação dos nomes, apenas, ordem sequencial e registros com sobrenomes completos.
Os pontos de religiosidade onde foram realizados os atos sacramentais são os seguintes, na ordem de registro: Matriz, Capela São Bento; Ermida de dona Ana Emídia de Rezende; oratório de Manoel dos Reis e Silva; Oratório do ten. Gabriel Flávio da Costa; Ermida do alferes Domingos Marcelino dos Reis; Ermida de dona Mariana Vilella; Ermida do capitão Antonio Joaquim Alves.

Algumas datas, nomes da criança, de seus pais e padrinhos:
08.04.1860 João, pardo, filho legítimo de Francisco de Assis e Anna Silvéria. Padrinhos: José Thomás de Souza e Emerenciana Cândida de Jesus;
15.04.1860 Antonio, crioulo, filho legítimo de Manoel Joaquim e Maria do Carmo. Padrinhos: José Bernardino da Costa e Maria Targina;
29.04.1860 Júlia, parda, filha legítima de Cezário de Tal e Marianna Rodrigues. Padrinhos: João Alves de Gouvêa e dona Mariana Carolina de Gouvêa;
29.04.1860 João, pardo, filho legítimo de André Pinto da Costa e Mariana Francisca. Padrinhos: Bonifácio José da Silva e Maria José;
29.04.1860 Gabriel, branco, filho legítimo de Manoel Ferreira da Silva e Maria Carlota da Silva. Padrinhos: tenente coronel JOSÉ FERNANDES AVELINO e MARIA CLARA AVELINO;
30.04.1860 José, branco, filho legítimo de José Vilella de Rezende e Anna Celestina de Rezende. Padrinhos: José Celestino de Rezende e dona Anna Emídia de Rezende.
projeto partilha disse…
continuação do comentário anterior:
08.06.1860, Joaquim, branco, filho legítimo de Manoel dos Reis e Silva (II) e dona Generosa de Meirelles. Padrinhos: Gabriel dos Reis e Silva e Mariana Generoza dos Reis.

O projeto Partilha busca a origem familiar do primeiro casamento do alferes Manuel dos Reis e Silva, dona

CLARA MARIA DE JESUS, já falecida em 1840, quando Manuel contrai segundas núpcias.

13.05.1860, José, pardo, filho filho legítimo de Thomaz de Aquino e dona Ana Joaquina dos Reis. Padrinhos: José Bernardino da Costa e dona Maria Joseph Ferreira;
27.05.1860 Anna, branca, filha legítima de José Antonio Xavier e dona Maria Victoria de Jesus. Padrinhos: Bernardo José da Costa e dona Francisca Ferreira de Jesus;
02.06.1860 Francisca, branca, filha legítima de Bonifácio José da Silva Júnior e Anna Faustina da Ascenção. Padrinhos: Bonifácio José da Silva e Anna Antonia da Silva.
02.06.1860 Silvestre, pardo, Ermida de dona Anna Emídia de Rezende, filha legítima de José Ferreira Godinho e Rita Antonia de Oliveira. Padrinhos: Joaquim de Rezende Branquinho e Anna Celestina de Rezende;
03.06.1860 Ana, branca, filha legítima de Gabriel Flávio da Costa Júnior e dona Anna Delminda de Oliveira e Silva. Padrinhos: Gabriel Flávio da Costa e dona Marciana Jesuína de Andrade.03.06.1860 Victalina, crioula, filha natural de Eufrazina. Padrinhos: João Baptista Alves e dona Mariana Innocência de Figueiredo;
21.06.1860 Margarida, crioula, ORATÓRIO DO CAPITÃO MÁRIO DE FERREIRA MIZ (Martins?). O grifo está em função da omissão desta Ermida em, "pontos de religiosidade onde se deram os batizados" e em comentário anterior. Margarida, filha de Florêncio Affricano e Isabel. Padrinhos: Sebastião Ribeiro e Rita de Tal.
23.06.1860 Josefina, parda, filha natural de Mariana de Jesus. Padrinhos: JOSÉ CELESTINO TERRA e AMÉLIA AUGUSTA DE TOLEDO.
24.06.1860 Pedro, pardo, filho legítimo de Francisco Gomes Pereira e Maria Francisca Felizarda. Padrinhos Manoel Antonio der Melo e Mattos e Maria Luiza do Nascimento.
28.06.1860 João, pardo, filho legítimo de João Baptista de Tolledo e Maria Jacintha do Nascimento. Padrinhos: Antonio Serafim Reiz e Marianna Jacintha do Nascimento.
(continua)
projeto partilha disse…
(continuação)
01.07.1860 Diolinda, crioula, filha legítima de Thomé Pinto Ribeiro e Rita Cândida de Jesus. Padrinhos: Azarias José de Pádua e Anna Jacintha de Jesus.
08.07.1860 Viridiana, parda, filha natural de Maria Cândida do Nascimento. Padrinhos: Agostinho Marques de Arantes e Maria Emerencianna do Nascimento;
22.07.1860 João, branco, filho legítimo de João Francisco de Salles e Maria Eleutéria do Nascimento. Padrinhos: Joaquim Antonio Rangel e Rita Antonia de Oliveira;
22.07.1860, Francisco, branco, filho legítimo de Vicente Soares Ferreira e Maria Ignácia de Jesus. Padrinhos: Francisco Joaquim de Azevedo Sobrinho e Hipólita Claudina do Nascimento;
23.07.1860 Joaquim, pardo, filho legítimo de Juventino Gomes e Porfíria Maria Christina. Padrinhos: Mizael Antônio da Silva e Rita Antonia da Conceição;
27.07.1860 Custódio, pardo, filho legítimo de Joaquim Francisco da Cruz e Eufrazina Antonia do Nascimento. Padrinhos: Manoel dos Reis e Silva e Anna Cândida dos Reis;
29.07.1860 João, filho legítimo de Dominciano José Faustino e Maria Simplicia do Nascimento. Padrinhos: Gabriel Flávio da Costa Junior e Anna Delminda d´Oliveira e Silva; 29.06.1860 Generoza, branca, filha legítima de Miguel José Alves e Ignácia Generoza do Nascimento. Padrinhos: Ignácio Lopes Guimarães e Francisca Pracedina de Souza;
29.07.1860 Antonio, branco, filho legítimo de João Antonio da Fonseca e Maria do Carmo Souza. Padrinhos: André Martins Junqueira e dona Rita Umbelina do Spirito Santo;29.07.186029.07.1860 Esméria, crioula, filha de Prudêncio e Lucinda. \Padrinhos: Cândido Luiz Gonçalves e Anna Thereza de Jesus;
09.08.1860 João, pardo, filho legítimo de João Narcizo Coelho e Maria Rita do Nascimento. Padrinhos: Custódio Vilella Palmeira e Jacintha Ponciana de Rezende;
18.06.1860 Quintino, pardo, filho legítimo de Joaquim José Alves e Carolina Maria de Jesus. Padrinhos: Joaquim da Costa Ramos e Maria Francisca de Jesus.
23.08.1860 Olimpio, pardo, filho legítimo de José Monteiro Buril e Anna da Costa Ramos. Padrinhos: ten. Joaquim Antonio de Abreu e Marianna Theodora de Figueiredo;
02.09.1860 Florêncio, crioulo, filho legítimo de Cândido e Thereza de Nação. Padrinhos: JOSÉ CELESTINO TERRA e AMÉLIA AUGUSTA DE TOLLEDO;
03.09.1860 Maria, branca, filha legítima de José Garcia de Figueiredo e Joaquina Cândida Branquinha. Padrinhos: Antonio dos Reis e Silva e dona Maria Thereza de Figueiredo;
03.09.1860 Azarias, branco, filho legítimo de Manoel Ferreira dos Reis e de dona Anna Claudina Belarmina. Padrinhos: tenente coronel JOSÉ FERNANDES AVELINO e MARIA CLARA UMBELINA


O Projeto Partilha busca as origens dessa CACHOEIRENSE:

MARIA CLARA UMBELINA ou

MARIA CLARA AVELINO

e, PERGUNTA:




* qual a origem das terras POR ELES DOADAS para formação do PATRIMÔNIO DE NOSSA SENHORA DO CARMO, através desse casal?

24.09.1860 Maria, crioula, filha natural de Jacintha Cândida de Jesus. Padrinhos: Domingos Alves Teixeira e Anna Alexandrina Teixeira.
(continua)
projeto partilha disse…
(continuação)
1.10.1860 Bernardino, pardo, filho legítimo de João Luiz e Maria Joanna. Padrinhos: Domingos Alves Teixeira e Anna Alexandrina Teixeira;
01.10.1860 Marcos, crioulo, filho legítimo de José de Nação e de Anacleta. Padrinhos: Manoel da Costa Ramos e Anna da Costa Ramos;
07.10.1860 Anna, parda, filha legítima de Pedro Dias dos Santos e Feliciana Maria de Jesus. Padrinhos: Albino Dias dos Santos e Caetana Maria de Jesus;
14.10.1860 Francisca, crioula, filha legítima de João Affricano e Marcelina. Padrinhos: ten. coronel JOSÉ FERNANDES AVELINO e Balduina Cândida Branquinha;
14.10.1860 Martinianno, crioulo, filho legítimo de Caetano e Francisca. Padrinhos: Filisbino Joaquim Antonio de Oliveira e Maria Rita Romana;
28.10.1860 Manoel, pardo, filho legítimo de João Alves da Silva e Rita de Tal. Padrinhos: Gabriel Flávio da Costa Júnior e Anna Delminda de Oliveira;
28.10.1860 Mariana, parda, filha legítima de Francisco Ignácio e Maria Rita. Padrinhos: Ignácio José Alves e Maria Cândida de Jesus;
01.11.1860 José, branco, filho legítimo de Vicente Ferreira do Nascimento e Anna Antonia Ferreira. Padrinhos: Mel. (Manoel?) Ferreira de Sá e dona Maria Carlota de Souza.
01.11.1860 Irias, branca, filha legítima de EMÍDIO ANTONIO DE OLIVEIRA e dona ANNA VITALINA DO CARMO. Padrinhos: JOSÉ FERNANDES AVELINO e dona MARIA CLARA AVELINO.


QUAL A ORIGEM FAMILIAR DE DONA

MARIA CLARA UMBELINA

ou

MARIA CLARA AVELINO?

DOADORES DE PARTE DAS TERRAS PARA FOEMAÇÃO DO PATRIMÔNIO DE NOSSA SENHORA DO CARMO, em Carmo da Cachoeira, Minas Gerais.

O PARAÍSO É AQUI.

04.11.1860 Romana, crioula, , filha legítima de João Affricano e Generoza. Padrinhos Antonio dos Reis Sobrinho e dona Amélia Augusta de Toledo;
23.11.1860 Mizael, branco, Ermida do Cap. Antonio Joaquim Alves. Filho de Antonio Severiano de Gouvêa e Joanna Maria de Jesus;
25.11.1860 Benvinda, crioula, filha legítima de João Cândido Alves da Costa e Anna Claudina Diniz. Padrinhos: Ignácio José Alves e dona Maria Cândida de Jesus;
25.11.1860 Maria, branca, filha legítima de José Alves e Anna Francisca de Paula. Padrinhos: Francisco Gonçalves Vallim e Thomázia Maria dos Santos;
02.12.1860 Bárbara, crioula, filha de Miguel e Rita. Padrinhos: Antonio Cândido de Lima e Baldoina Cândido Branquinha;
06.12.1860, José, branco, filho legítimo de Antonio J. Ribeiro e Viridianna Carolina de Azevedo. Padrinhos: Francisco Joaquim de Azevedo Sobrinho e dona Hypolita Claudina do Nascimento;
09.12.1860 Gertrudes, branca, filha legítima de João Poncianno Patrício e Marianna Francisca do Nascimento. Padrinhos: Pedro Francisco Xavier e Carlota Maria de Jesus.
26.12.1860 João, pardo, filho legítimo de Domingos José de Oliveira e Maria Francelina de Jesus. Padrinhos: Manoel da Costa Ramos e Anna Generoza de Jesus;
30.12.1860 Manoel, pardo, filho legítimo de Joaquim José do Nascimento. Padrinhos: Manoel Joaquim Gomes e José Ferreira Godinho (com procuração de sua mulher), dona RITA ANTONIA DE OLIVEIRA. Fim do ano de 1860. Um bom trabalho de busca a todos nós:

MANOEL ANTONIO RATES?
MARIA DA COSTA MORAES?
MARIA CLARA UMBELINA?
MARIA CLARA AVELINO?
CLARA MARIA DE JESUS?
projeto partilha disse…
Livro de batizados. Ano 1861. O período de 01.01 a 05.07.1861 registra 57 batizados, sendo 33 de crianças pardas, 24 de crianças crioulas e 10 de crianças brancas. Os pontos de religiosidade que se encontram anotados são: Matriz, Igreja de São Bento, Oratório de Antonio Severiano de Gouvêa; Ermida de Severino Ribeiro de Rezende; Ermida do capitão Antonio Joaquim Alves; Oratório de Manoel Antonio Teixeira; Oratório do Campo Formozo; Oratório de dona Maria Felisbina da Silva e Oratório do ten. coronel JOSÉ FERNANDES AVELINO. Como nos comentários anteriores, serão mostrados os batizados, cujos nomes de pais e padrinhos tragam sobrenomes, dada a finalidade a que o blog se propõe: buscar as origens de Carmo da Cachoeira, a partir da criação, do que deu origem a Freguesia do Carmo da Cachoeira - MG. Busca-se, Manoel Antonio Rates e a provisão para funcionamento da ermida/capela/curato/igreja, enfim, documento que mostre os primórdios da religiosidade no local onde hoje está instalada a Matriz de Carmo da Cachoeira.
01.01.1861 Joaquim, pardo, filho natural de Rita Cândida do Nascimento. Padrinhos João Alves de Gouvêa e Mariana Carolina de Gouvêa;
06.01.1861 Anna, parda, filha legítima de João Chrisostomo Ramos e Anna Luiza Ferreira. Padrinhos: José Celestino Terra e dona Amélia Augusta de Tolledo;
13.01.1861 Joaquim, branco, filho de Antonio Francisco Manço e Maria Francelina. Padrinhos: Miguel José Alves e dona Ignácia Generoza da Silva;
13.01.1861 Francisco, branco, filho legítimo de José Maria do Espírito Santo e Anna Ribeira da Silva. Padrinhos: Miguel José Alves e dona Ignácia Generoza da Silva;
13.01.1861, Anna, parda, Filha legítima de Joaquim Pinto da Costa e Francisca Cândida da Silva. Padrinhos: Bonifácio José da Silva e dona Anna Antonia da Silva;
20.01.1861, Carolina, branca, filha legitima de Domingos José Pinto e Anna Teixeira de Carvalho. Padrinhos: Domingos Teixeira de Carvalho e dona Francisca de Paula Teixeira;
20.01.1861, Antonio, crioulo, filho legítimo de Manoel Antonio das Neves, digo da Fonseca e de Ana Cândida das Neves. Padrinhos: André José Junqueira e Prudencianna Cândida das Neves.
10.02.1861, Azarias, crioulo, filho legítimo de Feliciano e Zeferina. Padrinhos: Francisco Ignácio da Costa e Hipólita Carolina de Oliveira;
25.02.1861, Manoela, crioula, filha de Martha. Padrinhos: Azarias José de Pádua e Alexandrina Cândida do Espírito Santo;
03.03.1861, Henriqueta, crioula, filha legítima de Severino e Ignácia. Padrinhos: Joaquim Fernandes dos Reis e dona Marianna Carolina de Gouvêa;
03.03.1861, América, crioula, filha legítima de Gracianno Affricano e Antonia. Padrinhos: Sirino da Costa Ramos e Francisco;
07.03.1861, Martinha, crioula, filha de Elias e Prudencianna de Nação. Padrinhos: João Villela dos Reis e dona Mariana Nicézia dos Reis;
10.03.1861 Exaltina, crioula, filha legítima de Joaquim Gomes e Maria. Padrinhos: Ignácio Lopes Guimarães e dona Generoza Perpétua de Jesus;
10.03.1861, Manoel, crioulo, filho legítimo de Miguel de Tal e Anna Roza de Jesus. Padrinhos: Francisco de Paula e Maria Carolina de Mello;
11.03.1861 Mecias, parda, filha legítima de Joaquim José Mathias e Francelina Maria. Padrinhos: Estevão Ribeiro da Silva e dona Maria Cassiana da Costa;
14.03.1861, Joaquina, branca, filha legítima de Maximianno Severo do Lago e Silva e Maria Severina de Rezende. Padrinhos: Manoel Joaquim da Silva e Ignácia Leopoldina da Costa;
18.03.1861, Anna, parda, filha legítima de Joaquim Francisco Xavier e Cezária Félis de Jesus. Padrinhos: Francisco Baptista Carneiro e Maria das Dores Conceição;
21.03.1861 Joaquim, pardo, filho legítimo de Joaquim Antonio e Maria Christina de Jesus. Padrinhos: Antonio Cândido de Lima e Baldoina Cândida Branquinha;
24.03.1861 Marianna, parda, filha legítima de José de Oliveira e Maria do Carmo. Padrinhos: Manoel Antonio dos Reis e Maria Paulina dos Reis.

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.