Acordo entre os candidatos garante resultado.


Correm tranquilos os anos entre 1947 e 1962. Em 23 de novembro de 1950 realizaram-se novas eleições municipais e nelas concorreram como candidatos a Prefeito: pelo P.S.D. o Dr. João Otaviano Veiga Lima e pela U.D.N. o Sr. João Urbano e Figueiredo Rezende. A campanha política, como aconteceu no pleito anterior, correu em paz, embora cada partido, como seria natural, se esforçasse ao máximo pela vitória do seu candidato.

Na apuração até a penúltima urna apurada, estava o candidato pessedista ganhando por 13 votos; mas havia dúvida sobre a sua vitória final, porque tinha sido anulada uma seção e deveria haver eleição suplementar na mesma. E foi então que se deu um fato inédito em matéria eleitoral: julgando com muita razão, que a tal eleição não só iria dar muito trabalho mas exigiria também muita despesa, os chefes dos dois partidos interessados resolveram, de acordo com os candidatos, entrar em contato com os eleitores da seção anualada e pedir que nenhum comparecesse no dia marcado para a eleição. E isto de fato foi feito, pois no dia determinado vieram os funcionários do Fórum de Varginha e instalaram a seção, mas não compareceu ninguém para votar. Chegada a hora do encerramento, lavraram a ata explicando o não comparecimento dos eleitor e assim ficou reconhecida a vitória do candidato do PSD pela maioria de 13 votos.

Prof Wanderley Ferreira de Rezende

trecho do Livro: Carmo da Cachoeira: Origem e Desenvolvimento.

Próxima matéria: Várias versões, mesmo fato, assim se faz a história.
Matéria Anterior: Eleições municipais de 1947 em Carmo da Cachoeira.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.