Mateus da Costa Manso e seus descendentes.


Córrego de Mateus da Costa Manso. Este nome não aparece registrado, pelo menos desta forma, no mapa por nós consultado, no entanto aparece a Lei de Criação a Cia. de Ordenanças, cujo capitão nomeado em 27/04/1811 foi João Damasceno Branquinho. Quem é o representante da "Família Manso" em Cachoeira?

Em 1859 é batizada aqui Maria, filha de Gabriel Francisco Manso e Maria Targina. Os padrinhos foram Francisco de Assis e Souza e Generosa América de Souza. O Pe. celebrante foi Joaquim Antonio de Rezende. A genealogia vem com a seguinte informação: Tenente Francisco Inácio de Souza. Inventáriado em Lavras. Comarca do Rio Verde. Ano 1863. Arquivado no Centro de Memórias do Sul de Minas - Campanha. A inventariante foi Maria Teresa Vilela. A sétima filha do casal é dona Generosa América de Souza e foi casada com Fernando José de Toledo. Dona Generosa é irmã de Rita Victalina de Souza, segunda esposa de José Fernandes Avelino, sub-delegado do Carmo da Cachoeira. A primeira esposa dele foi Maria Clara Umbelina.

Mateus Costa Manso aparece também no inventário de José da Costa de Moraes de 1812: "... é sócio com Miguel Antonio Ratis que se compõe de matos virgens, capoeiras e alguns campos cobertos que partem de uma banda com Manoel de Souza Dinis e de outra com Mateus da Costa Manso, José Cardoso da Silva. 481$000 - o terreiro deste mesmo sítio composto..."

Projeto Partilha - Leonor Rizzi

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.

A Família Campos no Sul de Minas Gerais.

Palanques e trincheiras na defesa dos quilombos.