Padre José Procópio Júnior em Carmo da Cachoeira

Imagem
Paróquia Nossa Senhora do Carmo sob nova guiança Editorial Sai Pe. Daniel Menezes, e assume como administrador paroquial da acolhedora cidade de Carmo da Cachoeira, em fevereiro de 2019, o Pe. José  Procópio Júnior.
"Não cabe à pedra escolher o lugar que deve ocupar no edifício. Assim também não cabe à nós criaturas ditar ao Criador o que deve acontecer em nossa vida, pois Deus é quem sabe e dispõe com sabedoria própria." − Dom Servílio Conti, IMC Como página que observa os acontecimentos neste pedaço de chão mineiro, limitado por montanhas e que, segundo o cachoeirense Padre Godinho, “todas são azuis”, registramos o remanejamento ocorrido entre padres ligados a Diocese da Campanha no ano de 2019. Entre as mudanças encontra-se a Paróquia Nossa Senhora do Carmo/Carmo da Cachoeira – MG.

Sai nosso querido Padre Daniel Menezes. Por ele continuamos a rezar e o devolvemos, entre lágrimas e a esperança de um dia tê-lo entre nós. Somos eternamente gratos e devedores. Entra, aureola…

Francisco de Paula Cândido, professor público e escrivão de paz de Carmo da Cachoeira.


Os dados que o Projeto Partilha possui a Respeito de Francisco de Paula Cândido:

4 de março de 1841 - foi nomeado por Jeronymo Ferreira Pinto Vieira para tratar de todos os termos de uma causa contra Anna de Tal (Ana Rita de Jesus), mulher de Francisco Joaquim Alves;
24 de fevereiro de 1862 - na fazenda do Jardim, é assina como escrivão a escriptura de compra e venda que faz o tenente coronel José Fernandes Avelino ao coronel Luiz Antonio de Oliveira da fazenda Campo Formozo;
08 de junho de 1865 - é apresentado aqui como empregado público de 22 anos natural de Ouro Preto e morador "desta freguesia", quando testemunha quando José Rodrigues da Silva esteve presente a uma audiência Extraordinária perante o Juiz de Paz Antônio Dias Pereira de Oliveira;
27 de setembro de 1867 - testemunha no caso em que José Celestino Terra na qualidade de procurador e zelador da Matriz de Nossa Senhora do Carmo acusa Manoel Vicente de Assis de ter feito uma olaria num cercado no terreno do patrimônio da Matriz;
28 de abril de 1878 - 28/Abr – Francisco de Paula Cândido aparecia como secretário na formação da “Meza Parochial”;
30 de março de 1883 - neste documento ele é apresentado como "o professor público da freguesia do Espírito Santo dos Coqueiros" e entre diversos outros "...moradores nesta freguesia (que) ouviram o depoimento de Maria Rita de Jesus, (assina por ela Arthur Estolano da Fonseca) 46 anos, solteira, filha de Manoel Pedro e Rosa, natural de Lavras, jornaleira. Dizia ela que na quinta-feira Santa foi a sua casa Antonio Joaquim Martins e lhe ocasionou "offensas physicas"; e
Saturnino da Veiga do jornal O Monitor Sul Mineiro, no final do século XIX elenca a nata cachoeirense:
Dentista: Joaquim Candido de Abreu;
Escrivão interino de paz Francisco de Paula Candido;
Vigário da Paróquia Antônio Dias Robião Quartim;
Sacerdote residente no lugar: Padre Joaquim de Rezende; (Joaquim Antonio de Rezende)
Instrução Pública: Francisco de Paula Cândido;
Fiscal do distrito: Modesto Antonio Naves;
Oficial de Justiça: José Faustino da Silva; e
Juiz de Paz: Casemiro Gonçalves Pimentel.

Projeto Partilha - Leonor Rizzi

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Antiga foto da fazenda da Serra de Carmo da Cachoeira.