Correspondência recebida:


de: estudante trespontano

No ano de 1902 dona Maria Theodora de Carvalho nomeia procurador o Barão de Boa Esperança para uma venda aí em Carmo da Cachoeira. A venda foi de "dois prédios e seus quintais e mais uma posse cercada de muro sita na Rua da Ponte no districto do Carmo da Cachoeira". O comprador foi Gabriel dos Reis Silva Júnior. As assinaturas são de dona Maria Theodora de Carvalho; Antônio Marciano dos Reis (VI); Beraldo Alexandre da Silva e Joaquim Alves Gomes. Espero ter colaborado, pelo menos um pouquinho.

de: Projeto Partilha

Falou-se tanto do Dr. José Constâncio e ficou de fora uma informação que deverá ligar os dados e é a de que, Theodolinda Eulália de Carvalho é representada no inventário por seu filho Álvaro Dias de Oliveira.

de Yasmin:

Que pena TS Bovaris. Quando puder vou trocar meu equipamento. Fiquei 45 minutos contados no relógio esperando abrir. Não deu. Ia muito devagar, até que travou tudo. Esperaria muito mais, porque pela capa, a mensagem é para os dias atuais. Enfim, a hora que eu conseguir juntar grana vou aperfeiçoar meu equipamento, se vou. Sou jovem o suficiente, e aqui o mercado de trabalho está aquecido. Vou arranjar um bico para aumentar meu salário. Sábado e domingo não faço nada mesmo. Vou aproveitar para trabalhar e ganhar dinheiro e assim poder melhorar o padrão.

de: leonor rizzi@

Águida e Padre André, ambos, grandes almas, e fortes o suficiente para viverem em seus corpos os preconceitos. Prontos para realizarem e enfrentarem sua tarefa com dignidade e honradez. Padre André é filho do homem na carne, e servo de Deus em sua função, como foi nosso irmão maior o foi. Ela nas mesmas condições. Ambos dignificam sua origem e nos enobrecem. Padré André é autêntico, de intensa vida interior e veio para resgatar. Está fazendo como ninguém o faria melhor. Queremos agradecer ao Mons. Nunes que o apresentou, indicando-o a Dom Diamantino Prata, dizendo intuitivamente, que seria o melhor para Cachoeira. É nosso pároco hoje e o amamos em Cristo nosso Senhor. Está fazendo da Paróquia o espaço de convivência harmonica e sem preconceitos, onde não existe "o melhor". Existem consciências em crescimento e aprendizado. Espaço de convivência aberto a todos indistintamente. Ele, como o Grande Mestre resgata a dignidade da raça e a dívida da sociedade cachoeirense com seus antepassados. Quem sabe, na unidécima ora. Águida, gratidão pela sua origem. Dom Diamantino, preserve o Pe. André conosco, por que aqui é o seu lugar, e para que para que possamos, através dele manifestar um novo comportamento, diante de uma raça que foi muito discriminada nos idos tempos. Fruto única e exclusivamente de nossa vivência no período de infância e imaturidade. Nossa Gratidão ao Criador por mais esta oportunidade, e desta vez, de caráter grupal.

de ativista:

Desde a Via Láctea até cada unidade viva no Planeta Terra um longo caminho. Cada um deverá fazer sua parte para que o equilíbrio se mantenha. Você está fazendo a sua, ou tem sido um comsumista irracional?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.