Marcia Amantino estará aqui.


O mundo das feras:
Os moradores do sertão oeste de Minas Gerais
século XVIII

Apresentamos trechos de um dos trabalho de Marcia Amantino, onde ela faz um estudo sobre o processo de ocupação ocorrido sobre as áreas do interior da Capitania de Minas Gerais durante a Segunda metade do século XVIII. Naquele momento o contexto nesta região estava condicionado a necessidade de se encontrar terras para aumentar as extrações de ouro, aumentar a agricultura e consequentemente, incrementar a arrecadação dos impostos devidos à Metrópole. Para tanto, era necessário buscar a incorporação de novas áreas. Em função destes objetivos foi criado na Metrópole e transferido para a Colônia, um Projeto Civilizacional baseado no controle sobre as populações que viviam nestas áreas e na montagem de expedições enviadas à várias partes da Capitania.
O objetivo destas eram civilizar e povoar estas áreas com grupos que pudessem ser controladas. Era necessário “limpar” os Sertões de seus moradores considerados indesejados, ou seja, índios tidos como bravios, quilombolas e vadios. Para justificar estas expedições foram criadas inúmeras imagens negativas a respeito destes moradores e para cada um deles foram desenvolvidas atitudes específicas. Todavia, todas negavam o direito a estas terras por estes grupos.


trecho da tese de doutorado de Marcia Amantino apresentada ao Departamento de História do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio de Janeiro como parte dos requisitos para a obtenção do título de Doutor em História.
Orientador: Prof. Dr. Manolo G. Florentino


Comentários

sala de imprensa disse…
Veja também outro trabalho da Dra. Marcia, Práticas religiosas realizadas por escravos Cataguases(...) em www.escravidão.xpg.com.br
Neste trabalho é citado Severino Ribeiro de Resende.
observatório de imprensa disse…
Tivemos acesso ao Mapa de 1897 que a pesquisadora local está utilizando. O chefe do trabalho da COMMISSÃO GEOGRÁFICA E GEOLÓGICA DE MINAS GERAES, fl n.6 S2O2, correspondente a Luminárias(Lavras) elaboração foi Álvaro da Silveira. Encontramos lá as TRES BARRAS, citadas por Amantino. Vejam entre dois morros existentes no território: O do CHAPEO, junto ao Ribeirão do Mascatinho e o do ALTO DA BOCAYUVA. Entre estes dois morros há o ribeirão do Engenho da Serra. Há também uma estrada que vem do atual Município de Varginha e no mapa, está próximo ao Ribeirão do TAXO. Essa estrada bifurca, próximo ao Ribeirão do Mascatinho tomando duas dirções: Carmo da Cachoeiraa e Três Corações. Na estrada que vai a Três Corações, depois de passar pela Fazenda do Brejinho há um CEMITÉRIO, mais abaixo a Fazenda do Grotão. A estrada atravessa o Ribeirão Três Corações, junto a Fazenda do Moinho.A FAZENDA DAS TRÊS BARRAS fica entre os dois morros, e considerando uma certa distância, em parelelo, está a Fazenda do Gregório. No mapa vejo como Fazenda próximas, além das citadas a Fz. Lagoinha, a Fz. Bocayuva. Existe uma que está ilegível. Espero ter podido cooperar em alguma coisa. Ah! vejam também no trabalho da referida Dra. o nome do sogro de João Damasceno Branquinho.

Postagens mais visitadas deste blog

A organização do quilombo.